Loja OLAVETTES: produtos Olavo de Carvalho

Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro concede Medalha Tiradentes a Olavo de Carvalho. Aqui.

sábado, 8 de maio de 2010

PF prende no Brasil segundo homem das Farc

O DIA


Cavaleiro do Templo: notícia espetacular, vamos ver agora como o PT vai ajudar o cara a se safar. É possível até a "CNB do B" entrar na jogada e dizer que o cara é um homem santo que está no Brasil para ajudar as crianças pobres, os leprosos, etc. e tal. 



José Sanchez, conhecido como Tatareto, foi preso em Manaus com outras oito pessoas e 45 kg de cocaína

POR ANA D’ANGELO

Brasília - A Polícia Federal em Manaus fisgou na quinta-feira um peixe graúdo ao desbaratar uma quadrilha de traficantes de drogas que atuavam na Região Amazônica. Foi preso o segundo homem no comando da organização guerrilheira colombiana Forças Armadas Revolucionárias, as Farc. José Sanchez, que usa o codinome de Tatareto (gago, em espanhol).

Procurado pelo governo da Colômbia por envolvimento em homicídio, sequestro e extorsão, ele é membro da comissão de finanças da cúpula das Farc, segundo informou o Exército colombiano à PF. Além dele, outras oito pessoas foram detidas e 45 quilos de cocaína apreendidos. 
A prisão de um dos cabeças das Farc no Brasil deixou a cúpula da PF em Brasília em polvorosa, por temer repercussão política. O PT condena publicamente as ações do grupo. Mas está junto com a Farc no Foro de São Paulo, uma articulação que congrega movimentos de esquerda da América Latina. 

A PF nega que a Farc esteja agindo no Brasil. "Na verdade, esse indivíduo veio pra cá para atuar no narcotráfico para levantar capital e financiar as ações do grupo", acredita o chefe da Delegacia de Repressão a Entorpecentes no Estado do Amazonas, delegado Leandro Almada da Costa.


Cavaleiro do Templo: pensemos: como pode "A PF nega(r) que a Farc esteja agindo no Brasil" se "esse indivíduo veio pra cá para atuar no narcotráfico para levantar capital e financiar as ações do grupo"? Simples. Já é o PT e o Foro de São Paulo agindo para "canonizar" o sujeito daS FARC.

Tatareto foi preso quinta-feira à tarde, mas sua prisão foi divulgada somente às 16h desta sexta-feira pela PF de Manaus. 
 
Identidades falsas

Durante 10 meses, a DRE em Manaus investigou a atuação da quadrilha de traficantes, monitorando as comunicações via rádio, com autorização judicial. Quando foi iniciada a operação, os agentes não sabiam que se tratava de um dos comandantes das Farc.

Tatareto atuava no Brasil com identidade falsa de brasileiro, com o nome de Daniel Rodrigues Horosco. Mas, segundo o delegado Leandro Almada da Costa, sua verdadeira identidade foi confirmada por meio das digitais obtidas com o governo colombiano. Os outros presos, um deles irmão de Tatareto, também estavam com identidade falsa de brasileiros. 

Os mandados de prisão e de busca e apreensão determinados pela Justiça começaram a ser cumpridos a partir do meio-dia de ontem. O carregamento de cocaína foi apreendido debaixo de cinco toneladas de peixe, num barco pertencente ao comandante das Farc (?) que estava no rio Negro, próximo de um sítio também de propriedade do guerrilheiro (???). Segundo o delegado,Tatareto foi preso em uma de suas casas, localizada em Manaus. 

Um outro membro da quadrilha preso também é suspeito de ser integrante do grupo armado. Ele possui uma tatuagem das Farc no corpo. Agora, a PF vai iniciar o processo de identificação de todos os presos. No sítio do comandante da Farc, foi encontrada base de rádio com que ele se comunicava com a base na Colômbia.

Tatareto já havia sido preso anteriormente com 10 kg de cocaína num carro, em Manaus. Mas um acompanhante assumiu que era dono da droga e o chefe das Farc foi solto. Mas a PF continuou em seu encalço. Ele foi levado para um presídio estadual.

sexta-feira, 7 de maio de 2010

Soja Trangênica Ligada a Esterilidade e Mortalidade Infantil

A NOVA ORDEM MUNDIAL

FRIDAY, 7 MAY 2010


"Este estudo era apenas de rotina", disse o biólogo russo Alexey V. Surov, no que acabar como sendo o eufemismo do século. Surov e seus colegas tentavam descobrir se a soja trangênica (geneticamente modificada) da Monsanto, cultivadas em 91% dos campos de soja americanos (e em 71% da safra brasileira ) levaria a problemas no crescimento e reprodução. O que ele descobriu poderá colocar de cabeça para baixo uma indústria multi-bilionária.

Após a alimentar hamsters por dois anos ao longo de três gerações, aqueles na dieta trangênica, e especialmente o grupo com a dieta com o máximo de soja trangênica, apresentaram resultados devastadores. Até a terceira geração, a maioria dos hamsters alimentados com soja trangênica perdeu a capacidade de ter filhos. Eles também sofreram um crescimento mais lento, e uma alta taxa de mortalidade entre os filhotes.

E se isso não for chocante o suficiente, alguns hamsters na terceira geração ainda tinham cabelo crescendo dentro de suas bocas, um fenômeno raramente visto, mas aparentemente mais prevalentes em hamsters se alimentando de soja trangênica.

O estudo, realizado conjuntamente pelo Instituto Surov de Ecologia e Evolução da Academia Russa de Ciências e a Associação Nacional de Segurança genẽtica, deverá ser publicado em três meses (julho de 2010), de modo que detalhes técnicos terão de esperar. Mas Surov forneceu um esboço em um email (para o autor deste artigo).

Ele usou hamsters Campbell, com uma taxa de reprodução rápida, divididos em 4 grupos. Todos foram alimentados com uma dieta normal, mas um grupo foi sem soja, outro teve soja não-transgênica, um terceiro grupo usou soja transgênica, e um quarto continha quantidades mais elevadas de soja trangênica. Eles utilizaram cinco pares de hamsters por grupo, cada um dos quais produziram 7 a 8 ninhadas, totalizando 140 animais.

Surov disse ao jornal Voz da Rússia:

"Inicialmente, tudo correu bem. No entanto, percebemos um efeito bastante grave quando selecionamos novos pares de seus filhotes e continuamos a alimentá-los como antes. A taxa de crescimento destes pares foi mais lento e atingiram sua maturidade sexual lentamente."

Ele selecionou novos pares de cada grupo, o que gerou outras 39 ninhadas. 52 filhotes nascidos para o grupo de controle e 78 para o grupo se alimentando com soja não-trangênica. No grupo da soja transgênica, no entanto, nasceram apenas 40 filhotes. E destes, 25% morreram. Esta foi uma taxa de mortalidade cinco vezes maior do que os 5% observados entre o grupo de controle. Dos hamsters que comeram alto teor de soja trangênica, apenas uma única hamster fêmea deu à luz. Ela teve 16 filhotes, dos quais morreram cerca de 20%.

Surov disse: "O baixo número na F2 [terceira geração] mostrou que muitos animais eram estéreis."

O estudo a ser publicado também irá incluir medidas do tamanho do órgão para os animais de terceira geração, incluindo os testículos, baço, útero, etc. E se a equipe puder levantar fundos suficientes, eles também irão analisar os níveis de hormônio nas amostras de sangue coletadas.
  • Cabelo que cresce na boca
No início deste ano, Surov foi co-autor de um estudo em Ciências Biológicas Doklady mostrando que, em casos raros, cabelo crescia dentro de bolsas recuadas dentro da boca dos hamsters.

"Algumas dessas bolsas continham pêlos simples, outros, feixes grossos de pêlos incolor ou pigmentados, alcançando a superfície de mastigação dos dentes. Às vezes, a fileira de dentes foi cercada com uma escova de feixes de cabelo regular em ambos os lados. Os cabelos cresceram verticalmente e tinham pontas afiadas, muitas vezes cobertos com pedaços de mucosa ".

Na conclusão do estudo, os autores supôem que este defeito pode ser devido à dieta dos hamsters criados em laboratório. Eles escrevem: "Esta patologia pode ser exacerbada por elementos do alimento que estão ausentes nos alimentos naturais, tais como geneticamente modificados (trangênicos) ingredientes (trangênica de soja ou farinha de milho) ou contaminantes (pesticidas, micotoxinas, metais pesados, etc.)". Na verdade, o número de hamsters com pelos na boca era muito maior entre a terceira geração de animais alimentados com soja trangênica do que em quaisquer que Surov tinha visto antes.

  • Estudos Preliminares , mas Assombrantes
Surov adverte contra conclusões iniciais. Ele disse: "É bastante possível que os trangênicos não causem esses efeitos por si só." Surov quer fazer a análise dos componentes alimentar uma prioridade, para descobrir exatamente o que está causando o efeito e como.

Além dos trangênicos, poderiam ser os contaminantes, disse ele, ou maior resíduos de herbicidas, como o Roundup (também da Monsanto). Há, de fato, níveis muito mais elevados de Roundup nestes grãos, eles são chamados de "Roundup Ready". Genes bacterianos são inseridos em seu DNA a fim de que as plantas possam tolerar o herbicida Roundup, da Monsanto. Portanto, a soja trangênica sempre carrega a ameaça dupla de maior teor de herbicida, juntamente com todos os efeitos secundários da engenharia genética.

  • Anos de Distúrbios Reprodutivos de Alimentos Trangênicos
Os hamsters de Surov são apenas os últimos animais a sofrerem de distúrbios reprodutivos após consumo de transgênicos. Em 2005, Irina Ermakova, também com a Academia Russa de Ciências, informou que mais de metade dos bebês de mães ratos alimentados com soja trangênica morreram dentro de três semanas. Foi também cinco vezes superior à taxa de mortalidade de 10% do grupo da soja não-trangênica. Os filhotes do grupo trangênico também foram menores (veja a foto abaixo) e não poderiam se reproduzir.

Em uma coincidência , após a triagem de alimentação de Ermakova, seu laboratório começou a alimentar todos os ratos na instalação com uma ração comercial de soja trangênica. Dentro de dois meses, a mortalidade infantil em toda a instalação chegou a 55%.


Quando Ermakova alimentou os ratos machos com soja trangênica, os testículos mudaram de cor de rosa normal para azul escuro! Cientistas italianos, da mesma forma, encontraram alterações nos testes com ratos (PDF), incluindo células danificadas jovens de esperma. Além disso, o DNA de embriões de ratos machos alimentados com soja trangênica funcionava de forma diferente.

Um estudo do governo austríaco, publicado em Novembro de 2008 mostrou que, quanto mais milho transgênico foi administrado a camundongos, menos bebês eles tinham (PDF), e menor os bebês eram.

O fazendeiro de Central Iowa Farmer Jerry Rosman também teve problemas com porcos e vacas se tornando estéreis. Alguns de seus porcos ainda tiveram gravidez falsas ou deram à luz a sacos de água. Depois de meses de investigações e testes, ele finalmente rastreou o problema como sendo a alimentação com milho trangênico. Cada vez que um jornal, revista ou programa de TV reportava os problemas de Jerry, ele recebia chamadas de mais agricultores queixando-se de esterilização de animais em suas fazenda, devido ao milho trangênico.

Os pesquisadores da Baylor College of Medicine descobriram acidentalmente que os ratos alimentados com sabugo de milho "nem procriavam ou apresentava comportamento reprodutivo. Testes com o material de milho revelou dois compostos que pararam o ciclo sexual das fêmeas, em concentrações aproximadamente 200 vezes menores do que os fitoestrógenos clássicos." Um composto também reduziu o comportamento sexual masculino e as duas substâncias contribuíram para o crescimento de glandulas mamárias e de culturas de células cancerosas da próstata. Os pesquisadores descobriram que a quantidade das substâncias variavam nas diferentes variedades de milho trangênica. O sabugo de milho moído usado no estudo foi provavelmente enviado de Iowa central, perto da fazenda de Jerry Rosman e de outros que se queixam de animais estéreis.

Em Haryana, na Índia, uma equipe de veterinários investigar relataram que búfalo que consomem algodão trangênico sofrem de infertilidade, bem como abortos frequentes, partos prematuros, e úteros com prolapso. Muitos búfalos adultos e jovens também morreram misteriosamente.

  • Negação e Ataque aos Pesquisadores
Cientistas que descobrem resultados negativos a partir de trangênicos são regularmente atacados, ridicularizados, tem negado seus financiamentos, e até mesmo demitidos. Quando Ermakova relatou a alta mortalidade infantil entre filhotes de ratos alimentados com soja trangênica, por exemplo, ela apelou para a comunidade científica para repetir e verificar seus resultados preliminares. Ela procurou também fundos adicionais para analisar órgãos preservados. Em vez disso, ela foi atacada e vilipendiada. As amostras foram roubadas de seu laboratório, os papéis foram queimados em sua mesa, e ela disse que seu chefe, sob a pressão de seu patrão, disse-lhe para parar de fazer qualquer pesquisa de organismos geneticamente modificados. Ninguém ainda repetiu os estudos simples e baratos de Ermakova.

Na tentativa de oferecer a sua simpatia, um dos seus colegas sugeriu que talvez a soja transgênica vai resolver o problema de super-população!

Surov relatou que até agora ele não está sob qualquer tipo de pressão.

Abandonando a Massiva Experiência de Alimentação Trangênica

Sem testes detalhados, não se pode identificar exatamente o que está causando as aberrações reprodutivas em hamsters e ratos russos, camundongos italianos e austríacos e gado na Índia e América. Podemos apenas especular sobre a relação entre a introdução de alimentos geneticamente modificados em 1996, e o correspondente aumento em bebês de baixo peso, infertilidade e outros problemas entre a população americana. Mas muitos cientistas, médicos e cidadãos interessados não acreditam que o público deve continuar a ser animais de laboratório para a maciça experiência descontrolada da indústria de biotecnologia.

Alexey Surov diz: "Não temos o direito de utilizar trangênicos até que entendamos os possíveis efeitos adversos, não só para nós mesmos, mas também para as futuras gerações. Definitivamente precisamos de estudos totalmente detalhados para esclarecer isso. Qualquer tipo de contaminação tem de ser testada antes de serem consumidas, e os trangênicos são apenas uma delas."

Fontes:
Huffington Post: Genetically Modified Soy Linked to Sterility, Infant Mortality in Hamsters
Responsible Technology: Genetically Modified Soy Linked to Sterility, Infant Mortality

Pesquisador mete o pau em Marco Aurélio Garcia por defender que Exército do Povo Paraguaio é “peça de ficção”

ALERTA TOTAL
Edição do Alerta Total - www.alertatotal.net
Leia também o Fique Alerta – www.fiquealerta.net (atualizado nesta Sexta)

sexta-feira, 7 de maio de 2010

Por Jorge Serrão

O chamado Exército do Povo Paraguaio, grupo armado acusado de promover roubos, sequestros e assassinatos, tem tudo para se tornar uma grande ameaça à estabilidade política do país e da região sul do continente, se não for efetivamente combatido. O EPP hoje não tem o poder de desestabilizar as instituições paraguaias. Mas adverte que a guerrilha paraguaia pode se tornar um problema "muito grande" para o país nos próximos cinco anos, por ter ligações com as Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) e com narcotraficantes do Brasil.

O alerta é do analista político Francisco Capli, da consultoria paraguaia First Análisis y Estúdios. O pesquisador paraguaio meteu bronca no assessor especial da Presidência do Brasil para Assuntos Internacionais. Marco Aurélio Garcia, na última quarta-feira chegou a classificar o EPP como uma "peça de ficção". Capli critica que MAG está completamente equivocado: "O EPP não é uma fantasia. O EPP é sim uma ameaça real, porque há gente morrendo e sendo ameçada em regiões do norte do país, como São Pedro e Concepción. Há muita gente com medo e sendo ameaçada".

O pesquisador paraguaio alerta que, em parceria com o EPP, facções criminosas brasileiras como o Comando Vermelho e o PCC já atuam nos dois lados da fronteira. O EPP foi criado em 1990, como o braço armado do extinto Partido Pátria Livre, de orientação socialista, que tinha ligações com o Foro de São Paulo, fundado por Fidel Castro e Lula da Silva para aglutinar as esquerdas na América Latina e Caribe.

Francisco Capli tem uma definição perfeita para o EPP: “É como um câncer em estado inicial. Se não for combatido, pode tomar o corpo todo. É preciso prestar atenção a isso. O EPP pode se transformar em uma narcoguerilha e, se você não atacar, pode tomar todo o Paraguai, e o Brasil não ficaria de fora”. O governo Fernando Lugo decretou estado de exceção em cinco Departamentos (Estados) do Paraguai, sob a justificativa de empregar três mil homens para combater o EPP.

NOTALATINA - Quilombo de Palmas: mais um Kolkhoze tupinikin!




Olá, amigos,


Depois de muito tempo o Notalatina volta a atualizar-se, desta vez trazendo uma denúncia gravíssima que está ocorrendo na lingínqua Bagé, no RS. O governo está ampliando os "kolkhozes tupinikins" e agora a farsa criminosa quer atingir uma comunidade quilombola que vive há séculos em plena harmonia com os fazendeiros brancos.

Há uma excelente entrevista com um dos líderes do Quilombo de Palmas, em que ele desmascara a farsa governamental e denuncia a "coletivização forçada" das terras de seus legítimos proprietários.

Peço que divulguem amplamente, porque esta notícia não está sendo publicada pela grande imprensa, mas não esqueçam de dar os créditos ao Notalatina.

Fiquem com Deus e até a próxima!


G. Salgueiro

O PT QUER DAR UM GOLPE NA DEMOCRACIA; CONFESSA ISSO EM UM JORNAL

BLOG REINALDO AZEVEDO
sexta-feira, 7 de maio de 2010 | 5:33


Escrevo abaixo sobre aquele papo de auto-regulamentação da mídia, um debate que, segundo entendo, tem DNA moral da pior qualidade. Nasce da gritaria petralha. Aliás, “petralha” passaria num conselho, ou a palavra seria considerada manifestação de “preconceito”? E o termo “neoliberal” empregado como xingamento? Liberdade de expressão ou manifestação inequívoca de discriminação?  Trato do assunto em outro post. Vamos adiante. A direção nacional do PT editou um jornal chamado “Movimentos”. Quem assina o editorial é o presidente do partido, José Eduardo Dutra.
Lê-se lá, segundo informa na Folha Ranier Bragon:

“Os movimentos sociais organizados precisam se manter atentos, pois o ‘ovo da serpente’ está intacto e as mesmas elaborações teóricas, sentimentos de superioridade e defesa de privilégios que animaram os golpistas de 1º de abril de 1964 ainda estão presentes nos corações e mentes da elite”.

E onde estariam os golpistas? A turma de Dutra explica, ainda segundo a Folha:

O texto principal do jornal, de 12 páginas, fala que “os articuladores e reais mentores da ditadura” estão “encastelados em entidades patronais, nos meio de comunicação que a ditadura lhes legou, nos espaços conquistados, graças ao seu servilismo, no Poder Judiciário, no Legislativo e na burocracia dos Executivos”.

“Movimentos” procura ainda associar o pré-candidato tucano José Serra, acreditem, ao ambiente que resultou no golpe de 64. É verdade! Serra era presidente da UNE, foi perseguido e teve de se exilar. Em 1973, teve de fugir do Chile por causa do golpe de Pinochet.

Na página 7, manda ver: “É Dilma ou barbárie”, ecoando, de modo bucéfalo, o “socialismo ou barbárie”, da revolucionária Rosa Luxemburgo. A expressão deu nome a um grupo da esquerda francesa. Como se nota, a palavra “Dilma” está no lugar da palavra “socialismo”. Pode-se entender que ela é o socialismo possível hoje — e a boa notícia, no caso, é que isso dá conta do estado em que se encontra o socialismo…

Um partido que associa uma das vítimas do golpe de 64 a um ambiente supostamente golpista que haveria no país evidencia que não estamos diante das opções “Dilma ou barbárie”. Nesse caso,  sou obrigado a concluir que “Dilma É a barbárie”.

Vamos adiante nos desdobramentos lógicos do jornal petista, assinado pelo presidente do partido. Se o ambiente que temos aí — com liberdade partidária, liberdade de organização, liberdade de expressão, Poderes no pleno gozo de suas prerrogativas e imprensa livre — é golpista, é manifestação prévia da barbárie, então Dilma Rousseff é a opção para acabar com essa bagunça. Os petistas contam com a vitória de sua candidata para pôr um fim a essa zorra. Logo, conclui-se que Dilma está se candidatando a dar um golpe nas instituições, em nome do PT, tão logo isso seja possível.

E vejam lá que o Judiciário também está na mira.

As palavras têm sentido. O PT confessa, com o seu jornal, que a democracia que está aí não lhe serve. Isso faz do PT um partido golpista.

No Espírito Santo, o DEM cogita aliar-se a PMDB e PT

BLOG DO JOSIAS DE SOUZA


Cavaleiro do Templo: deste caso eu posso falar, é meu Estado. Conheço PESSOALMENTE o Max da Mata. Não é segredo por aqui que o PMDB/ES é amigaço do PT. Se as coisas "complicam" para o PT do B, complicam também para o DEM, PSDB... Querer o DEM/ES quer. Então, está aí abaixo a intenção, o desejo de ficar juntinho com quem está juntinho con o PT. Cá para nós, isto aqui também não é nenhum segredo, mas isto é outra história... Caem argumentos, caem argumentos... Não é que o DEM poderia vir a fazer, já o fez tem é muito tempo.


Ouça-se o que diz o secretário-geral do diretório do DEM-ES, vereador Max Mata:
“Não podemos colocar as questões nacionais à frente das locais”.





El Roto/El Pais


Aliado do PSDB de José Serra no plano nacional, o DEM costura no Espírito Santo uma parceria com PMDB e PT, pilares da candidatura de Dilma Rousseff.

Os ‘demos’ capixabas flertam com o apoio à candidatura de Ricardo Ferraço (PMDB) ao governo do Estado.

Ferraço é, hoje, vice-governador do Espírito Santo. Vai às urnas escorado no prestígio do governador Paulo Hartung (PMDB).

O petismo local foi convidado a indicar o candidato a vice da chapa de Ferraço.

Assim, confirmando-se todos os arranjos, vai-se formar a curiosa aliança PMDB-PT-DEM.

Em notícia veiculada nesta segunda (15), o repórter Felipe Quintino informa que a atração de aliados tornou-se um desafio para o PSDB do Espírito Santo.

Chama-se Luiz Paulo Vellozo Lucas o candidato do tucanato ao governo estadual. É deputado federal, amigo do presidenciável José Serra.

Arrastar o DEM para dentro da coligação tucana tornou-se, entre todos, o principal desafio de Vellozo Lucas.

Pela lógica, o movimento seria natural, já que, na seara nacional, o DEM é o principal parceiro da candidatura presidencial do tucano Serra.

Mas Vellozo Lucas enfrenta uma emboscada do ilógico. Ouça-se o que diz o secretário-geral do diretório do DEM-ES, vereador Max Mata:

“Não podemos colocar as questões nacionais à frente das locais”.

Max Mata argumenta que, ligando-se à candidatura pemedebê de Ricardo Ferraço, o DEM tonifica suas chances na disputa de 2010.

Passaria a sonhar com a eleição de pelo menos um deputado federal para representar o Estado na Câmara, em Brasília.

Como se vê, os interesses regionais podem aproximar nos Estados forças que, em Brasília, parecem irreconciliáveis.

No fundo, PT e DEM padecem de males semelhantes. O mal do DEM é o excesso de cabeças associado à escassez de miolos.

O PT padece da mesma insuficiência de massa encefálica, mas com uma cabeça só, a de Lula.

- PS.: Siga o blog no twitter.
Escrito por Josias de Souza às 19h19

CUBA: UM FRACASSO EM GESTÃO

ViVerdeNovo

SEXTA-FEIRA, 7 DE MAIO DE 2010



O maravilhoso latifúndio caribenho de propriedade dos irmãos Castro, troca a mão de obra de militares, médicos e outros técnicos por petróleo. Eles fazem a segurança pessoal de Chávez, comandam na qualidade de assessores o treinamento do exército vermelho da Venezuela e suas milícias, além de vigiar e controlar os passos dos outros cubanos não fardados. São dezenas de milhares de cubanos servindo à pátria na Venezuela.

É nesta condição, que milhares de médicos e outros profissionais têm fugido da Venezuela (e de Cuba) para a Colômbia, enfrentando longas caminhadas ate a fronteira. As crianças na ilha aprendem a marchar e desde a mais tenra idade são aterrorizadas pelas professoras, que ensinam como o "imperialismo ianque tenta acabar com a revolução".

Agora os temos também no Brasil, médicos e ginastas, espalhados pelo nordeste e em universidade como a Metodista, pertencente à Fundação Volkswagen. Estão felizes cumprindo sua tarefa revolucionária. Cumprindo o legado do Castro comandante, a sandice de "ajudar os povos" – nos quatro cantos do mundo – a derrotar o imperialismo ianque. Aqui não tem para onde fugir, sabem que serão presos, enfiados num jatinho e repatriados.

As mocinhas se prostituem no Malecón – avenida litorânea na cidade de Havana, - agradando os turistas em troca de um tenis, uma calça jeans ou uma blusa que só os estrangeiros podem adquirir nas boutiques que o governo mantém nos hotéis. Outras são contratadas do estado para servir aos convidados estrangeiros, uma prática comum desde os tempos da velha União Soviética.

Não sei se os atuais governantes daqui, que treinaram guerrilha em Cuba, chegaram a cortar cana, na qualidade de voluntários para ajudar a cumprir as metas de produção de Fidel Castro. Em alguns livros escritos pelos internacionalistas que andaram por lá, estão descritos os "convites" para o "trabalho voluntário" no corte de cana.

O que eles não querem ler é o que vem descrito sobre o resultado da gerencia econômica centralizada, sobre a produção e produtividade da industria açucareira cubana: a produção caiu, nivelando-se aos níveis de 1905! É o que está na edição do "El País", jornal espanhol, de 6 de Maio de 2010. A descrição chega a ser trágica quando fala da desmobilização de usinas e redução de postos de trabalho.

O jornalista Maurício Vicent, que assina a matéria, cita: "Entre 2002 e 2004, Cuba reestruturou o setor açucareiro, o que representou o fechamento de quase uma centena de fábricas: das 156 que existiam, ficaram 61 e foram eliminados mais de 100 mil postos de trabalho." Escapou a informação de que as fábricas foram desmobilizadas por falta de reposição de peças. No desmonte, a sucata foi utilizada para manter as remanescentes em atividade.

O jornalista espanhol ilustra com outros dados o funcionamento do que foi o carro chefe para as exportações à URSS, que pagava pelo açúcar cubano o dobro dos preços de mercado: "Segundo analistas, a safra deste ano (09/10) poderá ficar em torno de 1,1 milhão de toneladas, "ou até menor".

"Como dados de referência: em 1924, a safra foi de 4,2 milhões de toneladas; em 1958, de 5,6 milhões; em 1990, o último ano da solidariedade da União Soviética, a produção foi superior a 7,8 milhões de toneladas".
"A catástrofe é evidente. Desde que se iniciou a safra no final do ano passado, somente dez das 44 usisnas que foram ativadas, cumpriram o plano estipulado para esta safra. E somente duas, das 14 províncias (estados) envolvidas conseguiram alcançar as metas. Segundo o "Granma", faltou "controle e exigência" ao Ministério do Açúcar."

A realidade é que chove no molhado. As usinas estão sucateadas sem peças de reposição. "Além disso, a superfície de cultivo dos canaviais diminuiu de 2 milhões de hectares para cerca de 750 mil, segundo dados oficiais".

"Na temporada 2008-2009, a ilha produziu 1,4 milhão de toneladas de açúcar e faturou mais de US$ 600 milhões. Muito longe dos US$ 4 bilhões que obtinha quando o açúcar era a principal fonte de divisas e seu produto de exportação mais importante".

Fica aqui uma sugestão para estreitar os fraternais laços de amizade entre Lula, Fidel e Raúl: enviar brigadas de acampados do mst para cortar cana em Cuba. Poderiam aprender o risco do bordado em missão patriótica e no retorno, na condição de empreendedores, criar e administrar usinas de etanol em seus lotes e terras encampadas dos fazendeiros burgueses.

Dois coelhos de uma só cajadada.

PCC é o novo braço armado da esquerda irresponsável da América Latina

UCHO.INFO

06.05.2010


Mundo da lua
narcotrafico_01Marco Aurélio Garcia, assessor especial da Presidência da República para assuntos internacionais, e Nelson Jobim, ministro da Defesa, não se entendem quando o assunto é guerrilha e narcotráfico. Questionado pelo ucho.info sobre a participação de criminosos brasileiros no atentado contra um senador paraguaio, dias atrás, Garcia disse que associar os movimentos guerrilheiros aos narcotraficantes é um factóide. “Até aí morreu Neves”, disse o assessor presidencial diante da informação de que a polícia paraguaia prendeu três integrantes do PCC na operação criminosa. Marco Aurélio Garcia alegou que a Polícia Federal há muito colabora com a polícia do Paraguai. Ora, se isso de fato acontece de maneira contínua, alguém errou de maneira vergonhosa no caso do senador.
No contraponto, o ministro Nelson Jobim diverge do assessor especial do presidente Lula da Silva. No intervalo do seminário “Segurança Internacional: Perspectivas Brasileiras”, realizado pela Fiesp na capital paulista, Nelson Jobim conversou com ucho.info. O ministro da Defesa entende que o narcotráfico e a guerrilha têm uma estreita convivência, pois o tráfico de drogas financia as organizações guerrilheiras. Sobre a participação de criminosos brasileiros no atentado contra o senador do Paraguai, Jobim afirmou que é preciso encarar o episódio como um crime transnacional.
No dia 11 de abril, o jornal boliviano “La Prensa” publicou entrevista com Marco Aurélio Garcia, que não descartou a possibilidade de o PCC estar atuando na Bolívia. Sobre a presença do PCC em território boliviano, é preciso recuar no tempo e resgatar alguns fatos. Em 2006, antes dos ataques da onda de terror patrocinada pelo PCC na cidade de São Paulo, o deputado cassado José Dirceu viajou sigilosamente à capital boliviana. Em La Paz, Dirceu se reuniu com o deputado Gabriel Herbas Camacho. Ligado ao presidente Evo Morales, Gabriel é irmão de Marcos William Herbas Camacho, o “Marcola”, considerado no mundo do crime como o número 1 na hierarquia do Primeiro Comando da Capital.
Na tentativa de evitar a convergência dos fatos, o deputado federal Paulo Pimenta (PT-RS), relator da CPI do Tráfico de Armas, cumpriu ordens palacianas e não poupou “Marcola” em seu relatório. Mas a farsa montada por Pimenta cairia logo em seguida. Em 2006, integrantes do PPC foram flagrados pela polícia paulista, durante grampos telefônicos, trabalhando para o “mensaleiro” José Genoíno, atualmente deputado federal pelo PT de São Paulo.
Confira abaixo a transcrição de trecho das escutas telefônicas
“É PRA ELEGER O GENOÍNO”
Maria de Carvalho Felício, a “Petronília”, então mulher de José Márcio Felício, ex-líder do PCC, transmite ao preso José Sérgio dos Santos, a quem chama de “Shel”, orientação repassada por um líder da organização sobre as eleições de 2002.
Maria de Carvalho Felício: Ele mandou uma missão pro Zildo (piloto-geral de Ribeirão Preto). Vamos ver se o Zildo é capaz de cumprir.
José Sérgio dos Santos: Tá bom. Você quer passar pra mim ou dou particularmente pra ele?
Maria: Não, não. Ele quer festa (ataques) até a eleição. E é pra eleger o Genoíno. E, ser for o caso, ele vai pedir pro pessoal mandar as famílias não irem nas visitas pra votar, entendeu? Ele falou que um dia sem visita não mata ninguém. Ele falou: “Fica todo mundo sem visita no dia da eleição pra todo mundo votar pro Genoíno”.
Santos: Não, mas isso… Acho que todo mundo… A maioria das mulher de preso… Vai votar no Al? Nunca.
Maria: Então, é pra pedir isso. Se, por exemplo, a mulher vai, daí a mãe, a irmã tudo vota pro Genoíno. Se só a mulher que vota, então essa mulher não vai na visita e vota no Genoíno. É pra todo mundo ficar nessa sintonia: Genoíno.
Santos: E é dali que vem, né?
Maria: Isso. É o (incompreensível)
Santos: Tá bom.
Maria: Tá bom, então?
Santos: Tô deixando assim um boa-tarde aí. Se cuida agora. Vai descansar
(Imagem: Reprodução de tela do pintor colombiano Fernando Botero)

Entrevista com uma das lideranças dos quilombolas de Palmas, município de Bagé, que desmascara a farsa que a mídia está divulgando sobre os produtores rurais

Ouçam, é de arrepiar.

Graça Salgueiro do NOTALATINA me enviou.

Entrevista com Mario Oliveira

LÉO BRANDÃO

Acompanhe a entrevista com Mario Oliveira, pré-candidato a Presidência da República pelo Partido Trabalhista do Brasil. Esta é a terceira entrevista realizada com um presidenciável.


Léo Brandão: Por que você é candidato numa eleição polarizada entre PT e PSDB? Afinal, há esta polarização?


Mario Oliveira: A candidatura é para oferecer uma alternativa realmente diferente para o Brasil, sem os vícios das políticas atrasadas e corruptas. O PT e o PSDB estão dividindo o poder por muitos anos e o país continua atrasado e atormentado pelos graves problemas de Segurança, Educação, Saúde, Habitação etc. A polarização é uma tentativa dos partidos dominantes de monopolizarem também o processo eleitoral, uma usurpação do direito de escolha da população.

Léo Brandão: O seu programa de governo critica o PSDB por ter uma política conservadora. Ideologicamente, a sua candidatura não representa o conservadorismo nas questões sociais? Em qual sentido o PSDB é conservador? 

Mario Oliveira: Eu digo que o PSDB é imobilizante, teve a oportunidade e não avançou nas reformas fundamentais, pois é dominado por caciques encastelados no poder partidário. O estado de São Paulo é administrado pelo PSDB faz muitos anos e ainda apresenta educação de baixa qualidade, sistema de saúde insuficiente, insegurança, cidades enfaveladas etc. Querem mais tempo para fazer o que? A minha candidatura é conservadora no sentido de que as instituições devem ser funcionais e republicanas, que devemos ter absoluto respeito pelas leis, que os direitos fundamentais devem ser preservados e protegidos a qualquer custo. Nas questões sociais, os governos atuais se concentram no assistencialismo porque é mais fácil, o difícil é criar empregos de qualidade.

Léo Brandão: O senhor se definiu como um candidato centrista. Propostas como a legalização da Pena de Morte e do fim do Bolsa Família não são consideradas “de direita”? O que difere o centrismo da direita política? 

Mario Oliveira: As propostas são para resolver os problemas de Segurança, da banalização da Vida e do Dinheiro Público e os meios serão os necessários, na seqüência: Rigorismo Penal, Prisão Perpetua e se necessário Pena de Morte (é preciso coibir a violência de qualquer forma, não podemos ter mais 50 mil homicídios/ano no país, é inaceitável). Vou rever o Bolsa Família e propor que os beneficiários trabalhem em projetos de meio ambiente, recebendo um valor maior, mais digno. Pode se dizer que o centrismo significa o ponto de equilíbrio entre o poder do Estado e da Sociedade.

Léo Brandão: Quais setores precisam ser privatizados? Houve erros nas privatizações ocorridas no Brasil?


Mario Oliveira: As demandas da sociedade têm que ser atendidas em tempo hábil. As pessoas têm necessidade de transporte digno agora, de aeroportos, trens e ônibus que funcionem agora, de suprimento de energia agora. Se o Estado não tem recursos, usa-se então a concessão. Prefiro as concessões às privatizações e priorizo as concessões que criarem ativos novos, que criem riqueza (não simplesmente assumir ativos públicos já pagos pela população). O problema das privatizações ocorridas é que não houve um numero suficiente de competidores que assegurasse a melhor proposta para o Estado (vide o caso de Belo Monte, só dois consórcios) e não houve o aporte de recursos privados (usaram-se principalmente recursos públicos para financiar o setor privado).

Léo Brandão: Atualmente, há mais de três dezenas de Ministérios de Estado no Brasil. Quais Ministérios serão mantidos? Os cargos comissionados serão mantidos, extintos ou substituídos por funcionários de carreira?

Mario Oliveira: Temos 38 órgãos com status de Ministério, um exagero evidentemente. Entendo que o número não pode ser maior do que 20. Pretendo reduzir os cargos de livre nomeação gradualmente, de forma que ao final de 4 anos tenhamos no máximo 1000 cargos de livre nomeação somente. A média gerencia tem que ser profissionalizada, ou seja, preenchida com profissionais escolhidos no setor privado ou público, e selecionados por uma Agencia de Recrutamento Independente.

Léo Brandão: O pré-candidato defende o liberalismo econômico ou a intervenção estatal na economia? Qual a sua política para a redução de impostos? O senhor defende a criação de um “Imposto Único”?

Mario Oliveira: Eu defendo a implantação do capitalismo competitivo, diferente do liberalismo sem controle e cartelizado. O Estado deve se concentrar nas suas atividades estratégicas e deixar para a iniciativa privada a geração de riquezas, o que está previsto inclusive na Constituição Federal. Pretendo reduzir a carga tributária de forma seletiva, reduzindo em um primeiro momento as Contribuições (que aumentaram brutalmente nos últimos 16 anos, distorcendo o conceito de federação e concentrando recursos na União). A prioridade será desonerar fortemente os investimentos produtivos, para atrair os investimentos privados nacionais e estrangeiros de risco. O imposto único é uma extraordinária idéia, mas de implantação difícil e demorada.

Léo Brandão: O senhor é pré-candidato a Presidência da República pelo Partido Trabalhista do Brasil, dissidente do PTB. A Reforma Trabalhista, sem redução da jornada de trabalho não seria oposta à ideologia do Trabalhismo?

Mario Oliveira: O cerne da ideologia do Trabalhismo é que os trabalhadores tenham empregos de qualidade e com remuneração digna. A questão da redução da jornada de trabalho é para economias desenvolvidas e ricas, o que não é o nosso caso.

Léo Brandão: Um dos problemas que geram desilusão dos brasileiros à política é a improbidade administrativa. A cada semana novas denúncias aparecem e envolve todos os grandes partidos. Como evitar que casos de corrupção ocorram na esfera pública? O senhor é favorável à lei da Ficha Limpa?

Mario Oliveira: Vou criar uma Agencia Anticorrupção ligada diretamente ao Presidente da República e nomear o vice-presidente para dirigi-la, o que irá demonstrar, de plano, o quanto o Presidente se preocupa com isso. Adicionalmente vou propor penas severas para corrupção (igualar a crime hediondo) e incentivar a delação premiada em dinheiro para quem delatar casos de corrupção. Sou absolutamente favorável a Lei da Ficha Limpa (se para conseguir um emprego comum é preciso ter ficha limpa, imagine para um cargo público).

Léo Brandão: Como seria a governabilidade no seu governo, já que para governar precisa de apoio do Congresso? O senhor oferecerá cargos a partidos fisiologistas em troca de apoio legislativo?

Mario Oliveira: A maior parte das medidas que proponho não precisam de novas leis. Após eleito vou apresentar à sociedade e aos partidos os projetos de governo; com isso vou obrigar que os partidos negociem a sua participação no governo discutindo os projetos e não cargos e interesses. É a forma transparente de tratar do interesse público. Não oferecerei cargos a partidos fisiologistas em troca de apoio legislativo.

Léo Brandão: Por que o candidato quer acabar com a Reforma Agrária? Como lidar com setores como o MST quando “invadem” terras?

Mario Oliveira: A Reforma Agrária é uma bandeira política, por isso é que até hoje não foi realizada. O PT que sempre a defendeu praticamente a abandonou, é só ver o numero de assentamentos nos últimos anos. O custo para assentar uma família é superior a R$ 60 mil (dados oficiais), ora se existir um milhão de famílias teríamos o custo de R$ 60 bilhões, sem garantias de que teríamos sucesso em fixar o homem no campo. Prefiro colocar os recursos nas famílias que atualmente estão no campo, motivando-as a lá permanecerem e evitando que migrem para as já inchadas cidades. O direito de propriedade é absolutamente sagrado e não se pode tolerar invasões, sob risco de desmoralização do Estado, o que já ocorre. Os que liderarem a invasão de terras devem ser punidos criminalmente, simples.

Léo Brandão: Qual a opinião do candidato sobre o Plano Nacional de Direitos Humanos (PNDH-3)?

Mario Oliveira: Absolutamente desnecessário e inoportuno. Já temos as leis que cuidam dos assuntos que o PNDH-3 pretende “organizar”. É, na verdade, uma iniciativa totalitária, objetivando tutelar a sociedade por grupos partidários e ideológicos.

Léo Brandão: As fronteiras do País serão protegidas pelas Forças Armadas, para reduzir o narcotráfico?

Mario Oliveira: Sim, pois as Forças Armadas são o poder mais equipado/organizado para proteger nossas fronteiras e impedir o narcotráfico e o tráfico de armas.

Léo Brandão: Caso eleito, como será a relação do seu governo com o governo venezuelano e com a ditadura cubana? Sanções serão necessárias para Países que não governam sob o “Império da Lei”?

Mario Oliveira: O governo venezuelano e o cubano não comungam dos princípios democráticos e de respeito aos direitos individuais. Manteremos com eles relações diplomáticas normais, protocolares. O principio da autodeterminação dos povos e o da não intervenção são fundamentais nas relações internacionais, logo sanções estão descartadas.

Léo Brandão: Caso não chegue ao segundo turno, o senhor pretende apoiar uma candidatura que identifique com os seus ideais?

Mario Oliveira: É uma questão a ser analisada quando e se não passar para o segundo turno.

Léo Brandão: Por que devo votar no candidato Mario Oliveira? Por que devo ter a esperança de ver você no segundo turno?
Mario Oliveira: Entendo que a pergunta deve ser diferente. Qual é o candidato que tem as melhores propostas para o Brasil, que defende os interesses nacionais e não está vinculado a esquemas de poder viciados, atrasados e corruptos? A esperança de me ver no segundo turno decorre do fato de que eu sou efetivamente o único fato novo qualificado que surgiu na política brasileira nos últimos 20 anos e que a população brasileira, ao tomar contato e me conhecer, não hesitará em optar por alguém com as minhas qualificações e disposição para servir de fato ao Brasil e aos brasileiros.

As propostas do pré-candidato Mario Oliveira estão no site do Movimento Independente Brasil.

wibiya widget

A teoria marxista da “ideologia de classe” não tem pé nem cabeça. Ou a ideologia do sujeito traduz necessariamente os interesses da classe a que ele pertence, ou ele está livre para tornar-se advogado de alguma outra classe. Na primeira hipótese, jamais surgiria um comunista entre os burgueses e Karl Marx jamais teria sido Karl Marx. Na segunda, não há vínculo entre a ideologia e a condição social do indivíduo e não há portanto ideologia de classe: há apenas a ideologia pessoal que cada um atribui à classe com que simpatiza, construindo depois, por mera inversão dessa fantasia, a suposta ideologia da classe adversária. Uma teoria que pode ser demolida em sete linhas não vale cinco, mas com base nela já se matou tanta gente, já se destruiu tanto patrimônio da humanidade e sobretudo já se gastou tanto dinheiro em subsídios universitários, que é preciso continuar a fingir que se acredita nela, para não admitir o vexame. Olavo de Carvalho, íntegra aqui.
"Para conseguir sua maturidade o homem necessita de um certo equilíbrio entre estas três coisas: talento, educação e experiência." (De civ Dei 11,25)
Cuidado com seus pensamentos: eles se transformam em palavras. Cuidado com suas palavras: elas se transformam em ação. Cuidado com suas ações: elas se transformam em hábitos. Cuidado com seus atos: eles moldam seu caráter.
Cuidado com seu caráter: ele controla seu destino.
A perversão da retórica, que falseia a lógica e os fatos para vencer o adversário em luta desleal, denomina-se erística. Se a retórica apenas simplifica e embeleza os argumentos para torná-los atraentes, a erística vai além: embeleza com falsos atrativos a falta de argumentos.
‎"O que me leva ao conservadorismo é a pesquisa e a investigação da realidade. Como eu não gosto de futebol, não gosto de pagode, não gosto de axé music, não gosto de carnaval, não fumo maconha e considero o PT ilegal, posso dizer que não me considero brasileiro - ao contrário da maioria desses estúpidos que conheço, que afirma ter orgulho disso". (José Octavio Dettmann)
" Platão já observava que a degradação moral da sociedade não chega ao seu ponto mais abjeto quando as virtudes desapareceram do cenário público, mas quando a própria capacidade de concebê-las se extinguiu nas almas da geração mais nova. " Citação de Olavo de Carvalho em "Virtudes nacionais".