Loja OLAVETTES: produtos Olavo de Carvalho

Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro concede Medalha Tiradentes a Olavo de Carvalho. Aqui.

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Livro Max and Satan - Karl Marx, o satanista

Conclua você mesmo se Karl Marx era satanista e se o comunismo não é nada mais nada menos que uma obra do "Chifrudo" clicando aqui para baixar e ler o livro:


Para quem viu a palestra de Tomas Schuman/Yuri Bezmenov (quem não viu clique aqui) um lembrete: ele diz que o retorno do Ocidente para a religião, a re-ligação com a transcendência, é a arma mais poderosa contra a subversão. Seria esta uma alusão à força motriz do SOCIALISMO/COMUNISMO? Seria esta uma preciosa dica deste homem que conhecia por dentro a URSS acerca das origens satânicas deste flagelo, o SOCIALISMO/COMUNISMO, adorado pelos piores homens e mulheres que já nasceram, como vemos nos "quadros políticos" brasileiros e na história do século XX? Basta ler o livro ou mesmo o trecho abaixo para você ter certeza que sim, SOCIALISMO/COMUNISMO é SATANISMO, é o que o ser humano pode fazer de pior a si mesmo e ao seu semelhante! 

Aqui no Cavaleiro do Templo você vai encontrar dois artigos sobre o assunto. Este abaixo e outro AQUI.


Trecho do livro:

"... Caracteristicamente, "Oulanem" é uma inversão de um nome santo: é um anagrama de Emanuel, nome bíblico para Jesus, que em hebraico significa "Deus conosco". Tais inversões de nomes são consideradas eficazes na magia negra. Somente poderemos compreender o drama Oulanem, se ouvirmos primeiro a estranha confissão feita por Marx em um poema intitulado "O Violinista", mais tarde declamado tanto por ele como pelos seus seguidores:

"Os vapores infernais elevam-se e enchem o cérebro, Até que eu enlouqueça e meu coração seja totalmente mudado. Vê esta espada? O príncipe das trevas Vendeu-a para mim." Estas linhas ganham significado quando se sabe que nos rituais de iniciação superior dos cultos satânicos é vendido ao candidato uma espada encantada que assegura o sucesso. Ele paga por ela, assinando, com o sangue tirado dos pulsos, um pacto segundo o qual sua alma pertencerá a Satanás após a morte. E agora uma citação do drama Oulanem:

"Pois ele marca o compasso e dá os sinais. Cada vez mais ousado, eu me entrego a dança da morte. Eles também são Oulanem. Este nome ressoa fortemente como a morte. Soando até morrer em vil rastejo. Pare! Agora o agarrei! Ergue-se da minha alma Tão claro como o ar, tão forte como meus próprios ossos. Contudo os meus braços são possuídos de força Para agarrar e triturar você (você = humanidade personificada). Com a força de um furacão.

Enquanto para nós ambos, o abismo se abre nas trevas. Você afundará, e eu seguirei gargalhando. Sussurrando em seus ouvidos:

"Desça, venha comigo amigo".

A Bíblia que Marx estudou nos seus anos de colégio, e que ele conhecia bastante bem na idade madura, diz que o diabo será amarrado por um anjo e lançado no abismo sem fundo (abyssos em grego: Apoc. 20:3). Marx deseja arrastar toda a humanidade para esse abismo reservado para o diabo e seus anjos. Quem fala através de Marx nesse drama? É razoável esperar-se que um jovem estudante nutra como sonho de sua vida a visão da humanidade entrando no abismo das trevas ("trevas exteriores" é uma expressão bíblica para "inferno") e ele próprio escarnecendo ao seguir após aqueles que ele conduziu à incredulidade? Em nenhum lugar do mundo esse ideal é cultivado, exceto nos rituais de iniciação da igreja de Satanás, em seus mais elevados estágios.

Aproxima-se a hora da morte de Oulanem. Suas palavras são:

"Arruinado, arruinado. Meu tempo esgotou-se. O relógio parou, a casa do pigmeu desmoronou. Breve apertarei a eternidade ao peito, E breve bradarei gigantescas maldições sobre a humanidade."

Marx admirava as palavras de Mefistófeles em Fausto:

"Tudo o que existe é digno de ser destruído." Tudo - inclusive o proletariado e os camaradas. Marx citou essas palavras em O 18º Brumaire. Stálin agiu de acordo com elas, destruindo até mesmo a sua própria família. A seita satanista não é materialista. Ela crê na vida eterna. Oulanem, o personagem por quem Marx fala, não nega a vida eterna. Ele a defende, mas como uma vida de ódio elevado ao extremo. É importante notar que a eternidade para os demônios significa "tormento". Jesus foi acusado dessa forma pelos demônios: "Vieste aqui atormentar-nos antes do tempo'?" (Mat. 8:29) O mesmo sucede com Marx:

"Ah, eternidade, ela é a nossa eterna mágoa, Uma indescritível e imensurável morte, Vil e artificialmente concebida para nos escarnecer, Nós próprios automatizados, cegamente mecânicos,

Feitos para sermos o calendário louco do tempo e do Espaço, Não tendo propósito, a não ser de acontecer, para ser arruinados."

Começamos a entender o que sucedeu ao jovem Marx. Ele tinha convicções cristãs, mas não vivia uma vida compatível com elas. A correspondência que trocou com seu pai testifica que ele dissipava grandes somas de dinheiro em prazeres, e mostra também suas constantes discussões com a autoridade paterna sobre este e outros assuntos. Nessa época, ele pode ter sido envolvido nas doutrinas altamente secretas da Igreja de Satanás, e ter recebido os rituais de iniciação.
Satanás fala através de seus adoradores, que o vêem em suas orgias alucinatórias. Assim, Marx é apenas o porta-voz de Satanás, quando declara: "Desejo vingar-me d' Aquele que governa lá em cima." Vejamos o final de Oulanem:

"Se existe algo que devora, Pulo para ser engolido, embora deixando o mundo em rumas Este mundo que se avoluma entre mim e o abismo, Eu o reduzirei a pedaços com as minhas continuas maldições. Lançarei meus braços ao redor da sua rude realidade. Abraçando-me, o mundo passará silenciosamente. E então mergulhará no nada absoluto, Morto, sem qualquer vida: isso seria realmente viver." (Todas as Citações de Oulanem e dos poemas são da obra de Robert Payne O Desconhecido Karl Marx, New York University Press, 1971). Em Oulanem, Marx faz o mesmo que o diabo; destina toda a raça humana à perdição. Oulanem provavelmente é o único drama do mundo no qual todos os personagens estão cônscios de sua própria corrupção, que ostentam e proclamam convictamente. Neste drama, não há brancos e negros. Não há Cláudio e Ofélia, ou Iago e Desdêmona. Nele todos são negros e todos revelam aspectos de Mefistófeles. Todos são satânicos, corruptos e condenados.

Quando escreveu isso, Marx, um gênio precoce, tinha dezoito anos. O plano de sua vida já havia sido estabelecido. Não havia qualquer palavra quanto a servir à humanidade, ao proletariado ou ao socialismo. Ele desejava arruinar o mundo. Almejava construir para si um trono, cujo baluarte seria o estremecimento humano.

Nessa época, encontramos algumas passagens críticas na correspondência trocada por Karl Marx e seu pai. O filho escreve:

"Desceu uma cortina. O meu Santo dos Santos foi feito em pedaços e novos deuses tiveram que ser instalados". Estas palavras foram escritas em 10 de novembro de 1837, por um jovem que professara o cristianismo até então. Ele declarara que Cristo estava em seu coração. Agora não é
mais assim. Quem são os novos deuses instalados em seu lugar? O pai responde: "Abstive-me de insistir em explicações sobre um assunto muito misterioso embora parecesse altamente suspeito."

O que era esse assunto misterioso? Até agora nenhum biógrafo de Marx explicou essas estranhas frases.

Werner Blumeberg, em seu livro Retrato de Marx, cita uma carta escrita pelo pai de Marx a seu filho, em 2 de março de 1837: "O seu progresso, a preciosa segurança de ver seu nome tornar-se um dia muito famoso e o seu bem-estar material não são os únicos desejos do meu coração. Estas foram ilusões que alimentei por longo tempo, mas posso assegurar-lhe que a sua realização não me teria tornado feliz. Somente se o seu coração permanecer puro e humano, e se nenhum demônio for capaz de afastar seu coração dos melhores sentimentos, somente então eu serei feliz." O que fez com que um pai expressasse repentinamente o medo da influência demoníaca sobre um jovem filho que até então fora um cristão confesso? ..."

23 comentários:

Leonardo disse...

Li o livro.
Impressionante como a "mídia neoliberal" e o "sistema de ensino burguês" escondem a verdade do público.
Não sei se Marx era satanista ou apenas doente mental, mas prova-se que a junção dos ideais comunistas com anti-religiosos é o cúmulo da maldade humana.
A menção de Marx à destruição total do mundo acompanhada por suas gargalhadas é por demais assustadora e, infelizmente, não improvável.
Por fim, penso que sugestão do autor de se combater o marxismo essencialmente como uma ideologia anti-religiosa é corretíssima. Camuflado como teoria econômica de "justiça social", tende sempre a vencer num debate mais cínico.

Erasmo disse...

Vcs escracham os ideais populares de libertacao, mas saibam quem primeiro bradou isso foi O Cristo Jesus, que dizia `os bem-aventurados sao os mendigos, maltrapilhos.`
E a inquisicao? sera que matou menos que o povo em seu ideal de libertacao? Se atacares o comunismo, ataque tambem o cristianismo, que apartir dele que comecouse a valorizar o ideal popular, de viver com pouco. Afinal, Jesus foi o primeiro revolucionario, pois um revolucionario nao eh um sociopata, mas um homem que esta alem de seu tempo, que nao aceita a moral instituida e propoe uma nova.
Um abraço, que Deus esteja contigo.

Cavaleiro do Templo disse...

Em que país você viu, depois de tomado pelos "poderes de Karl Marx e pela sua visão de mundo", o povo livre? E mais de 100 milhões de mmortes em 60 anos é muito mais do que se matou não durante o século XX, mas durante toda a história humana.

Comparar Jesus Cristo a Marx e/ou atribuir a Ele o carimbo de revolucionário é apenas fruto de um transe em que você está vivendo. Pois reflita, Jesus pregou a tomada de poder? Jesus propôs uma sociedade baseada em castas sociais e comandada pelos menos, digamos, capazes de fazê-lo? Jesus disse que os pobres é que deveriam comandar a sociedade? Ele propôs uma nova organização social/política/econômica?

Caia na real, cara...

Cavaleiro do Templo

Walter Ice disse...

Eu baixei via Internet e li tudo que havia de Karl Marx e de Engels na Internet, desde o Manifesto Comunista até Crítica ao Sistema de Gotta, etc...e acho que a doutrina de marx é ótima, mas apenas no papel, como uma ficção científica, ou um conto de Perry Rhodan. A realidade é totalmente diferente, e o comunismo foi o maior fracasso e a maior desgraça que se abateu sob a face da Terra. 110 milhões de pessoas morreram por causa do comunismo. Grande parte de fome. Sim, Marx era contra Deus, porque "Deus" naquela época eram o Czar da Rússia e o Imperador da China. O comunismo derrubou o Czar e o povo pagou o preço com a vida. Agora é hora de recomeçar, com liberdade, estudo e trabalho todos chegaremos lá. A ambição dos loucos comunistas e suas mentiras acabou por devorar a si mesma. Só no Brasil ignorante e na Venezuela mais ignorante ainda existe gente que é a favor isso, mas ninguém em sã consciência os segue. Vão acabar por si mesmos, também, pois estão errados. Charlatães, enganadores. Acordem.

Diogo Borges disse...

se voces acham que a revoluçao e a inversao do tempo e porque sao uns atrasados que nao sabem pensar por si e se seguem pelo modelo imprealista. voces devem ser daquelas pessoas que fazem t6udo o que vos mandam e calam a boca. voces deviam pensar mais por voces. e a hiostoria de o karl marx e satanista e porque acreditam em tudo o que vos dizem e nao sabem comentar nem pensar por voces proprios.

Cavaleiro do Templo disse...

Ô analfabeto, sua resposta está aqui: http://cavaleirodotemplo.blogspot.com/2010/04/vamos-dar-umas-risadas.html.

Fiquei feliz, conseguiu seus 15 segundos de fama.

insideme disse...

mas é cada uma vum, meu caro cavaleiro vc ta certo pensa e escreve como poucos... uma fã sua, yzzye

Maximiano Henrique Rebequi dos Santos disse...

Saudações
Li o livro, agora devemos continuar as pesquisas e descobrir tudo sobre essa ligação Satanismo/Comunismo.
Muito bem Cavaleiro, parabéns!
Será que posso colocá-lo no meu blog?
Abraços

Cavaleiro do Templo disse...

Maximiano, claro que pode!!! Temos que espalhar isto!!!

Maximiano Henrique Rebequi dos Santos disse...

Obrigado Cavaleiro!
Deus nos abençõe e proteja!

Cavaleiro do Templo disse...

Maximiano, Deus abençoe e proteja a todos nós. Amém.

Everardo disse...

Quando a igreja católico cobiçou o patrimônio das pessoas e passou a ver nelas "ligações com Santan", acabou encontrando em seres metafísico as razões morais para queimar vivas milhares de pessoas inocentes e ficar com seu patrimônio. Isso seria "bondade" ?

Cavaleiro do Templo disse...

Existe alguma referência à bondade de A, B ou C no artigo?

Everardo disse...

Não, Cavaleiro. Há apenas de maldade satanica. Mas, penso que não é possível referência a uma coisa sem implicitar a outra.

Cavaleiro do Templo disse...

É lógico que você pensa assim. E isto te faz pensar também que um cara satânico pode ser elevado ao status de um grande ser humano. De fato é assim que pensa a esquerdopatia mundial.

Cavaleiro do Templo disse...

Everardo, meu saco encheu. Vou te bloquear agora. Não tens e-mail, não diz onde está tuas publicações, nem mesmo se existem. Cansei de falar com fantasma e já deu para sacar qual é a tua.

Tchau.

Anônimo disse...

Maximiando, suas pesquisas poderão indicar à humanidade um novo caminho, longe da metafísica, das bruxarias e satanismos, idolatria, adoração a símbolos e imagens(suásticas, sigmas, cruzes, etc.) e rituais de magia, com insenso e mirra, canticos gregorianos ou xamãs, águas enfeitiçadas (bentas), magia (curas) e outros rituais macabros (pedofilia) ou não (sacramentos). Se você pensasse um pouquinho, veria que a fronteira entre o que prega e o que abomina é muito mais tênue do que você pensa.

Cavaleiro do Templo disse...

Não sou um SOCIOPATA que acredita que um dia poderei indicar um novo caminho para a humanidade. Que acha-se capaz disto é a turminha da maior demência coletiva da humanidade: os revolucionários. Eu me atenho a expô-los neste meu espaço e pela frequência na presença de defensores destes SOCIOPATAS (portanto SOCIOPATAS também), estou conseguindo.

Alex disse...

O que é sociopata?

Cavaleiro do Templo disse...

“Mas o psicopata (ou sociopata) não é um doente mental da forma como nós o entendemos. O doente mental é o psicótico, que sofre com delírios, alucinações e não tem ciência do que faz. Vive uma realidade paralela. Se matar, terá atenuantes. O psicopata sabe exatamente o que está fazendo. Ele tem um transtorno de personalidade. É um estado de ser no qual existe um excesso de razão e ausência de emoção. Ele sabe o que faz, com quem e por quê. Mas não tem empatia, a capacidade de se pôr no lugar do outro.”

Dra. Ana Beatriz Barbosa Silva
Psiquiatra e escritora, diretora das clínicas Medicina do Comportamento (http://www.medicinadocomportamento.com.br/), no Rio e em São Paulo, onde atende pacientes e supervisiona tratamentos.

_________

“Saber e não saber, ter consciência de completa veracidade ao exprimir mentiras cuidadosamente arquitetadas, defender simultaneamente duas opiniões opostas, sabendo-as contraditórias e ainda assim acreditando em ambas; usar a lógica contra a lógica, repudiar a moralidade em nome da moralidade, crer na impossibilidade da democracia e que o Partido era o guardião da democracia; esquecer tudo quanto fosse necessário esquecer, trazê-lo à memória prontamente no momento preciso, e depois torná-lo a esquecer; e acima de tudo, aplicar o próprio processo ao processo. Essa era a sutileza derradeira: induzir conscientemente a inconsciência, e então, tornar-se inconsciente do ato de hipnose que se acabava de realizar. Até para compreender a palavra “duplipensar” era necessário usar o duplipensar”

George Orwell, que magistralmente registrou a capacidade de algumas pessoas de viver em contradição sem nunca reconhecer um erro. Orwell a chamou de “duplipensar”

Cavaleiro do Templo disse...

“Mas o psicopata (ou sociopata) não é um doente mental da forma como nós o entendemos. O doente mental é o psicótico, que sofre com delírios, alucinações e não tem ciência do que faz. Vive uma realidade paralela. Se matar, terá atenuantes. O psicopata sabe exatamente o que está fazendo. Ele tem um transtorno de personalidade. É um estado de ser no qual existe um excesso de razão e ausência de emoção. Ele sabe o que faz, com quem e por quê. Mas não tem empatia, a capacidade de se pôr no lugar do outro.”

Dra. Ana Beatriz Barbosa Silva
Psiquiatra e escritora, diretora das clínicas Medicina do Comportamento, no Rio e em São Paulo, onde atende pacientes e supervisiona tratamentos.

Servulo disse...

Então, Olavo de Carvalho seria um sociopata?

Cavaleiro do Templo disse...

Não faço a menor idéia dos motivos que te levou a fazer a pergunta.

wibiya widget

A teoria marxista da “ideologia de classe” não tem pé nem cabeça. Ou a ideologia do sujeito traduz necessariamente os interesses da classe a que ele pertence, ou ele está livre para tornar-se advogado de alguma outra classe. Na primeira hipótese, jamais surgiria um comunista entre os burgueses e Karl Marx jamais teria sido Karl Marx. Na segunda, não há vínculo entre a ideologia e a condição social do indivíduo e não há portanto ideologia de classe: há apenas a ideologia pessoal que cada um atribui à classe com que simpatiza, construindo depois, por mera inversão dessa fantasia, a suposta ideologia da classe adversária. Uma teoria que pode ser demolida em sete linhas não vale cinco, mas com base nela já se matou tanta gente, já se destruiu tanto patrimônio da humanidade e sobretudo já se gastou tanto dinheiro em subsídios universitários, que é preciso continuar a fingir que se acredita nela, para não admitir o vexame. Olavo de Carvalho, íntegra aqui.
"Para conseguir sua maturidade o homem necessita de um certo equilíbrio entre estas três coisas: talento, educação e experiência." (De civ Dei 11,25)
Cuidado com seus pensamentos: eles se transformam em palavras. Cuidado com suas palavras: elas se transformam em ação. Cuidado com suas ações: elas se transformam em hábitos. Cuidado com seus atos: eles moldam seu caráter.
Cuidado com seu caráter: ele controla seu destino.
A perversão da retórica, que falseia a lógica e os fatos para vencer o adversário em luta desleal, denomina-se erística. Se a retórica apenas simplifica e embeleza os argumentos para torná-los atraentes, a erística vai além: embeleza com falsos atrativos a falta de argumentos.
‎"O que me leva ao conservadorismo é a pesquisa e a investigação da realidade. Como eu não gosto de futebol, não gosto de pagode, não gosto de axé music, não gosto de carnaval, não fumo maconha e considero o PT ilegal, posso dizer que não me considero brasileiro - ao contrário da maioria desses estúpidos que conheço, que afirma ter orgulho disso". (José Octavio Dettmann)
" Platão já observava que a degradação moral da sociedade não chega ao seu ponto mais abjeto quando as virtudes desapareceram do cenário público, mas quando a própria capacidade de concebê-las se extinguiu nas almas da geração mais nova. " Citação de Olavo de Carvalho em "Virtudes nacionais".