Loja OLAVETTES: produtos Olavo de Carvalho

Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro concede Medalha Tiradentes a Olavo de Carvalho. Aqui.

sábado, 7 de julho de 2012

Membros do partido de Chávez distribuem folhetos das Farc

 

VEJA

07/07/2012 - 09:19

América Latina

O grupo terrorista colombiano manteve presença no Foro de São Paulo, o encontro anual da esquerda, que acabou na sexta-feira

Duda Teixeira, de Caracas

Manifesto das Farc e biografia de Manuel Marulanda são divulgados no encontro da esquerda em Caracas

Manifesto das Farc e biografia de Manuel Marulanda são divulgados no encontro da esquerda em Caracas (Alexandre Schneider)

Desde que Lula tornou-se presidente do Brasil, o Partido dos Trabalhadores tentou impedir a presença das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) no Foro de São Paulo, o encontro anual da esquerda. A norma nunca foi efetivamente cumprida, porque partidos ligados ao grupo terrorista continuaram participando. Com o evento sendo realizado em Caracas e com o presidente venezuelano Hugo Chávez no comando, o controle que já era fraco ficou totalmente frouxo.

Leia também:

Em Caracas, José Dirceu está em casa

Amiga das Farc é estrela do Foro de São Paulo
Boneco de Chávez fala muito e perde a bateria com facilidade
Foro de São Paulo virou parte da campanha de Chávez

A ex-senadora Piedad Córdoba, flagrada nos e-mails de Raúl Reyes aconselhando o grupo nas negociações com o governo de seu país, sentou-se na mesa principal durante a assembleia do Foro. Além disso, um livreto com o Manifesto das Farc e outro com a biografia de Manuel Marulanda foram distribuídos por integrantes do Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV, o partido de Chávez), no salão onde ocorreu a assembleia principal. Perguntados sobre quem tinha trazido os panfletos, eles respondiam: “Foram os nossos irmãos colombianos”.

Chávez já disse que as Farc tem um projeto político. Centenas de membros do grupo estão escondidos atualmente na Venezuela, onde realizam sequestros, assaltos e se preparam para incursões armadas na Colômbia. Com o presidente venezuelano no comando do Foro, que acabou na sexta-feira, dia 7, os terroristas ficam ainda mais livres.

Lula, Foro de São Paulo e as FARC: COMUNO-PETISMO E NARCOTRÁFICO, tudo juntinho

 

 

clip_image002

Imagem retirada de site do Governo Venezuelano em http://goo.gl/hwSIw

___________________

Posted 06/07/2012 by lpacheco

Gobierno Bolivariano de Venezuela

Mensaje del Ex Presidente Lula Da Silva: Chávez, cuente conmigo, cuente con el PT

http://www.minci.gob.ve/2012/07/06/mensaje-del-ex-presidente-lula-da-silva-chavez-cuenta-conmigo-cuenta-con-el-pt-2/

"Compañeros y compañeras,

En 1990, cuando creamos el Foro de Sao Paulo, ninguno de nosotros imaginó que en apenas dos décadas llegaríamos a donde llegamos. En aquella época, la izquierda solo estaba en el poder en Cuba. Hoy, gobernamos un gran número de países e, incluso donde somos oposición, los partidos del Foro tienen una influencia creciente en la vida política y social..."

Em português, íntegra, em vídeo postado pelo (sic) Ministerio del Poder Popular para la Comunicación y la Comunicación onde Lula faz esta declaração acima: http://www.youtube.com/watch?v=tD4mfCnugXo&feature=plcp ou em link alternativo aqui: http://youtu.be/Afpmw3J8X1A

 

___________________

07/07/2012 - 09:19

VEJA

http://veja.abril.com.br/noticia/internacional/membros-do-partido-de-chavez-distribuem-folhetos-das-farc

clip_image001[5]

Manifesto das Farc e biografia de Manuel Marulanda são divulgados no encontro da esquerda em Caracas (Alexandre Schneider)

Membros do partido de Chávez distribuem folhetos das Farc

O grupo terrorista colombiano manteve presença no Foro de São Paulo, o encontro anual da esquerda, que acabou na sexta-feira

Desde que Lula tornou-se presidente do Brasil, o Partido dos Trabalhadores tentou impedir a presença das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) no Foro de São Paulo, o encontro anual da esquerda. A norma nunca foi efetivamente cumprida, porque partidos ligados ao grupo terrorista continuaram participando. Com o evento sendo realizado em Caracas e com o presidente venezuelano Hugo Chávez no comando, o controle que já era fraco ficou totalmente frouxo.

A ex-senadora Piedad Córdoba, flagrada nos e-mails de Raúl Reyes aconselhando o grupo nas negociações com o governo de seu país, sentou-se na mesa principal durante a assembleia do Foro. Além disso, um livreto com o Manifesto das Farc e outro com a biografia de Manuel Marulanda foram distribuídos por integrantes do Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV, o partido de Chávez), no salão onde ocorreu a assembleia principal. Perguntados sobre quem tinha trazido os panfletos, eles respondiam: “Foram os nossos irmãos colombianos”.

Chávez já disse que as Farc tem um projeto político. Centenas de membros do grupo estão escondidos atualmente na Venezuela, onde realizam sequestros, assaltos e se preparam para incursões armadas na Colômbia. Com o presidente venezuelano no comando do Foro, que acabou na sexta-feira, dia 7, os terroristas ficam ainda mais livres.

___________________

28 JUNIO, 2012

Valter Pomar é o “secretário executivo do Foro de São Paulo e membro do Diretório Nacional do Partido dos Trabalhadores” segundo o site do Foro de São Paulo em http://forodesaopaulo.org/?p=1520

___________________

18.agosto.2010 18:02:30

‘As Farc nunca participaram do Foro de São Paulo’, diz Valter Pomar

MARINA GUIMARÃES do ESTADÃO

http://blogs.estadao.com.br/radar-politico/2010/08/18/as-farc-nunca-participaram-do-foro-de-sao-paulo-diz-valter-pomar/

“O secretário executivo do Foro de São Paulo, Valter Pomar, do Partido dos Trabalhadores (PT), negou hoje (18) qualquer vínculo desse grupo de partidos da esquerda e da centro-esquerda latino-americanas, criado em 1990, com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).As Farc não participam e nunca participaram do Foro de São Paulo”, disse Pomar, em entrevista a correspondentes brasileiros em Buenos Aires, onde se realiza o 16.º encontro da organização..."

___________________

24/08/2003 - 05h46

''As Farc têm todo o tempo do mundo'', diz comandante (das FARC)

FABIANO MAISONNAVE da FOLHA DE SÃO PAULO, enviado especial à Colômbia

http://www1.folha.uol.com.br/folha/mundo/ult94u62119.shtml

Leia a seguir entrevista concedida à Folha de S.Paulo na última terça-feira pelo comandante das Farc Raúl Reyes em algum ponto da Amazônia colombiana.

"...Folha de S.Paulo - O sr. conheceu Lula?

Reyes - Sim, não me recordo exatamente em que ano, foi em San Salvador, em um dos Foros de São Paulo.

Folha de S.Paulo - Houve uma conversa?

Reyes - Sim, ficamos encarregados de presidir o encontro. Desde então, nos encontramos em locais diferentes e mantivemos contato até recentemente. Quando ele se tornou presidente, não pudemos mais falar com ele..."

___________________

25.01.2007

PRAVDA em português

FARC: Saudação ao Foro de São Paulo

http://port.pravda.ru/mundo/25-01-2007/15168-farcsaudacao-0/

"Mesa Diretora, Companheiros Delegados e Companheiras Delegadas ao XIII Foro. San Salvador, El Salvador. Recebam nossa carinhosa e bolivariana saudação, muitos êxitos em suas deliberações.

Ao não podermos nos fazer presentes em tão importante evento, lhes entregamos este documento com nossos pontos de vista e agradecemos de antemão o fato de tê-lo em conta nas deliberações..."

____________________

VÍDEOS

. Hugo Chávez conhece Lula e Raúl Reyes, das FARC, ao mesmo tempo no Foro de São Paulo

http://www.youtube.com/watch?v=L7RWZVoJ7dM

 

 

. 3º Congresso do PT - parte 3 - Socialismo Petista.wmv

A CRIAÇÃO DO FORO DE SÃO PAULO:

UMA “NOVA CIVILIZAÇÃO” E EXTINÇÃO DO CAPITALISMO.

Ou COMUNO-PETISMO.

http://www.youtube.com/watch?v=RnCU7dbFL_8

 

MPF dá entrada em ação que permite a 'cura' de gays


ADHT: DEFESA HETERO

6.07.2012 às 01h15 > Atualizado em 6.07.2012 às 02h02

POR PAMELA OLIVEIRA

Rio -  O Ministério Público Federal (MPF) deu entrada em ação civil pública para anular parte da resolução do Conselho Federal de Psicologia que proíbe que profissionais prometam a cura da homossexualidade.

A ação, proposta por três procuradores do Rio, argumenta que a norma “impede que psicólogos atendam clinicamente homossexuais que desejam mudar a orientação sexual”. O pedido do MPF deixou ativistas de direitos humanos indignados.

“Retomar a discussão sobre a homossexualidade ser ou não uma doença é um absurdo do mesmo tipo que seria retomar a discussão sobre se o sol gira em torno da terra. Um dos procuradores, o Fábio Aragão é evangélico e está colocando o cargo dele a serviço da crença pessoal dele. Isso é um erro grave porque a Justiça deve ser laica”, afirmou o deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ).

Foto: Carlo Wrede / Agência O Dia e George Magaraia / Portal IG

Carlos Tufvesson (de preto),ao lado de seu companheiro André Piva, ficou indignado com a ação. Já o pastor Joide, ex-travesti, defende a ‘cura’ | Fotos: Carlo Wrede / Agência O Dia e George Magaraia /Portal IG

A resolução 01/99 do Conselho Federal de Psicologia, de março de 1999, se baseia na classificação da Organização Mundial de Saúde (OMS). Segundo a OMS, a homossexualidade não é doença, distúrbio nem perversão. Portanto, não é passível de cura.

Revolta

“Onde o Brasil está querendo chegar? Quer ir na contramão da política de Direitos Humanos? A OMS já deu parecer que a homossexualidade não é doença. Não cabe ao Ministério Público Federal questionar isso, mas, sim, defender as minorias. Na minha opinião, essa ação é um desserviço que desqualifica o Judiciário”, afirma o estilista e ativista pelos direitos dos homossexuais Carlos Tufvesson.

A ação, que teve o pedido de liminar rejeitado em 1ª e 2ª instância, afirma que o conselho permite que o psicólogo trate o “cidadão que deseja sair da heterossexualidade para tornar-se homossexual”.

O pedido do MPF argumenta que a resolução “viola tanto os direitos dos psicólogos quanto o direito daqueles que optarem pelo auxílio psicológico para resolver a angústia que traz a opção sexual que está seguindo em dado momento da vida”.

Bancada evangélica luta em Brasília

Semana passada, discussão do projeto legislativo do deputado João Campos (PSDB-GO) — que tenta derrubar a resolução do Conselho de Psicologia e liberar atendimento para quem queira mudar a orientação sexual — gerou tumulto no Congresso.
O tema mistura política e religião: Campos é da bancada evangélica. O pastor Joide Miranda, 47, defende o ponto de vista polêmico. Ex-travesti, hoje casado e pai de um menino, ele fundou em Cuiabá a Associação Brasileira de Ex-LGBTTs, que ajuda pessoas que “desejam deixar voluntariamente o estado da homossexualidade”. “Deus restaurou minha identidade”, diz.


ADENDO ADHT:


A denúncia foi feita pela ADHT  inicialmente em 2/8/2011, conforme se pode ver neste link, porém enviamos novamente por estar faltando algumas informações em 7/12/2011, conforme se pode verificar pelo email recebido hoje por nós.

Esperamos que o juiz julgue favorável a denuncia que fizemos e que foi acatada por tres procuradores do MPF-RJ.  Continuemos nossa luta porque a batalha ainda não está ganha, porém, o parecer favorável do MPF-RJ já é uma grande vitória.


From: Sec. Proc. Andre Coutinho [mailto:SecProc_AndreTC@prrj.mpf.gov.br]
Sent: Friday, July 06, 2012 2:10 PM
To: defesa_hetero@yahoo.com
Subject: Promoção de Arquivamento Proc. Admin. 1.30.001.003172/2011-00

A Sua Senhoria o Senhor

Reverendo Doutor Alberto Thieme

<endereço removido nesta publicação>

Prezado Senhor,

Cumprimentando-o, sirvo-me do presente para, de ordem, encaminhar a Vossa Senhoria a peça inicial oferecida na Ação Civil Pública n.º 2011.51.01.018794-3 e a anexa cópia da promoção de arquivamento do Procedimento Administrativo 1.30.001.003172/2011-00, ficando facultada a interposição de razões escritas e documentos até a apreciação da promoção de arquivamento pela 5ª Câmara de Coordenação e Revisão do Ministério Público Federal, nos termos do § 3º do art. 17 da Resolução CSMPF nº 87/2006.

Atenciosamente,

Elson Gonçalves da Silva

Assessor
Gab. Dr. Andre Tavares Coutinho

sexta-feira, 6 de julho de 2012

Mundo Muçulmano Enfrenta Devastadora Diminuição da Fertilidade

 

C-FAM

Jul 06, 2012

Austin Ruse

NOVA IORQUE, 6 de julho (C-FAM) Os índices de fertilidade das populações muçulmanas no mundo inteiro quase que literalmente despencaram no precipício, de tão profunda que foi a diminuição. Especialistas em políticas públicas na ONU e outros órgãos mal notaram isso.

“Persiste uma noção amplamente percebida — ainda comumente tida dentro dos círculos intelectuais, acadêmicos e estratégicos do Ocidente e outros lugares — de que as sociedades ‘muçulmanas’ têm uma resistência especial para embarcarem na vereda da mudança demográfica e familiar que transformou os perfis populacionais na Europa, América do Norte e outras regiões ‘mais desenvolvidas’”, escreve Nicholas Eberstadt e Apoorva Shah na edição de 1 de junho de Policy Review.

A maioria das pessoas pensa que os índices de fertilidade muçulmana estão crescendo com rapidez surpreendente. Isso tem desembocado em pânico sobre a crescente influência muçulmana, principalmente na Europa. Embora Eberstadt e Shah não lidem especificamente com muçulmanos na Europa, eles apontam para o fato de que os índices de fertilidade estão diminuindo em todo o mundo muçulmano e que países predominantemente muçulmanos têm tido uma queda mais profunda do que qualquer outro país na história.

Usando dados da Divisão de População da ONU, que projeta os índices de fertilidade para 190 países, Eberstadt e Shah “avaliam a magnitude das diminuições de fertilidade em 48 dos 49 países e territórios identificados de maioria muçulmana no mundo”. Os dados mostram que “quarenta e oito países e territórios de maioria muçulmana testemunharam diminuição da fertilidade durante as três décadas passadas”.

Quando a absoluta redução da fertilidade é examinada, Eberstadt e Shah mostram “uma queda estimada de 2,6 nascimentos por mulher entre 1975 e 1980 e 2005 e 2010 — uma diminuição absoluta marcadamente maior do que estimava-se para o mundo como um todo (-1,3) ou para as regiões menos desenvolvidas como um todo (-2,2) durante esses mesmos anos. Eles apontam para o fato de que “Dezoito dessas regiões com maioria muçulmana viram (índices totais de fertilidade) queda em três ou mais durante esses 30 anos — com nove deles em quatro nascimentos por mulheres ou mais”.

Eberstadt e Shah apontam que em termos de diminuição relativa da fertilidade, “a estimada média ponderada de população para regiões de maioria muçulmana como um todo era -41 durante essas três décadas”. Eles mostram que “22 países e territórios de maioria muçulmana tinham, conforme as estimativas, sofrido diminuições de fertilidade de 50 por cento ou mais durante esses três décadas — dez deles em 60 por cento ou mais. Para o Irã e as Maldivas, as diminuições em índices totais de fertilidade durante esses 30 anos excederam, conforme as estimativas, 70 por cento”.

Das dez maiores diminuições em índices totais de fertilidade na era pós guerra “seis ocorreram em países de maioria muçulmana”, dizem Eberstadt e Shah.

Eberstadt e Shah apontam várias implicações para essa realidade de rápida redução da fertilidade no mundo muçulmano. As projeções populacionais da ONU terão de seguir o exemplo. Em 2000, a ONU projetou 102 milhões de iemenitas até o ano 2050. Essa estimativa foi reduzida para 62 milhões dez anos depois.

Eberstadt e Shah dizem que há uma “diminuição vindo na população em idade de trabalho (15-64)”. Eles dizem que o mundo muçulmano enfrentará crescente e debilitante escassez de mão de obra. Eles também projetam populações rapidamente envelhecendo tal como já estão experimentando os países europeus de longe mais ricos.

Os autores estão perplexos que outros especialistas na ONU ou mesmo nos próprios países muçulmanos não discutem esse problema galopante.

Tradução: Julio Severo

Arquiteta de Direitos Reprodutivos Morre enquanto Seu Legado se Desmorona

 

C-FAM

Jul 06, 2012

Susan Yoshihara, Ph.D.

NOVA IORQUE, 6 de julho (C-FAM) A ativista feminista Joan Dunlop morreu na semana passada aos 78 anos de idade, apenas uma semana depois que seu legado de remodelar as iniciativas internacionais de controle populacional como “direitos reprodutivos” começaram a se desmoronar.

Dunlop era uma protegida de John D. Rockefeller III, que liderava as investidas em prol do controle populacional internacional. A visão e grande fortuna dele estabeleceram e definiram a agenda para as instituições que ainda hoje estão na linha de frente das batalhas mundiais para legalizar o aborto, como a Federação Internacional de Planejamento Familiar, o Conselho de População, a Fundação Rockefeller e o Fundo de População da ONU.

A iniciativa de Dunlop reviveu o descontrolado movimento de controle populacional depois que suas táticas coercivas foram amplamente reveladas nas décadas de 1970 e 1980. Ela assim ajudou a moldar os debates internacionais de aborto por quase três décadas.

Mas exatamente no momento em que ela estava dando o último suspiro, os líderes mundiais estavam esmagando tentativas de incluir “direitos reprodutivos” num importante documento da ONU. O documento foi negociado duas semanas atrás na cúpula da ONU sobre desenvolvimento sustentável no Rio de Janeiro.

Vinte anos depois de descaradamente defenderem o controle populacional na primeira cúpula do Rio, os delegados decidiram que o conto outrora conveniente dos direitos das mulheres não era mais necessário.

O termo surgiu na conferência da ONU sobre população e desenvolvimento no Cairo em 1994, um encontro de alto nível e muito polêmico em que defensores do aborto e alguns governos tentaram e não conseguiram obter reconhecimento do aborto como um direito humano internacional. Desde então, o termo “direitos reprodutivos” e outros termos tais como “saúde reprodutiva” têm resistido porque serviram aos delegados de ambos os lados do debate do aborto. O documento oficial do Cairo permite que os governos o interpretem como incluindo ou excluindo o aborto, de acordo com as leis e políticas nacionais.

Mas no fim, o estratagema de Dunlop está demonstrando ser sua ruína.

Durante os recentes anos passados, personalidades importantes como a secretária de Estado dos EUA insistiram oficialmente em que a saúde e direitos reprodutivos incluíssem o aborto. Isso foi um fator decisivo e deu credulidade para os delegados no Rio que pediram sua rejeição.

O termo acabou também ficando desnecessário, já que as ligações entre defensores do controle populacional e ambientalistas estão à vista de todos de novo. O conto “pró-mulher” era menos útil, e vinha com excessiva bagagem, isto é, a polêmica do aborto.

Acreditando na palavra das feministas de que os direitos reprodutivos não são sobre controle populacional, mas em vez disso sobre a concessão de direitos para as mulheres, os delegados anunciaram da tribuna de negociação que o termo tinha pouco a ver com a “economia verde” que era sua prioridade na cúpula do Rio.

As feministas atacaram esses comentários como retrocesso nos direitos das mulheres. Ao tentar justificar sua inclusão durante o final de semana, vários reforçaram suas ligações com o controle populacional. Escrevendo no Huffington Post, a ambientalista Diane MacEachern disse: “reduzir o crescimento da população dando para as mulheres acesso à contracepção que elas já querem poderia reduzir as emissões de gás estufa em 8 e 15 por cento”.

A futura utilidade de “direitos reprodutivos”, um termo e conceito que saturam a literatura de desenvolvimento e direitos da ONU, agora parece nebulosa.

Exatamente enquanto o legado de Dunlop vai desvanecendo, a bilionária Melinda Gates está assumindo o centro do palco com sua nova campanha mundial de planejamento familiar. Na próxima semana em Londres, Melinda, como Dunlop, tentará convencer os governos que sua iniciativa não tem nenhuma ligação com o controle populacional ou o aborto. Como Dunlop, Melinda diz que é puramente sobre a saúde e direitos das mulheres. E como a carreira de Dunlop na mesma arena demonstra, a ambiguidade que poderá obter sucesso para Melinda poderá também provocar seu fracasso.

Tradução: Julio Severo

Altos oficiales venezolanos y colombianos tendrián nexos con narcotraficantes

 

Los contactos del narcotráfico en Venezuela

 

EL ESPECTADOR

6 Jul 2012 - 9:28 am
Por: Élber Gutiérrez Roa
Las redes del narcotráfico dominicanas y mexicanas no siempre controlaron la ruta de las drogas por Venezuela. Mafiosos colombianos como 'Jabón' y 'Comba' les ayudaron a abrir camino. ¿Cómo lograron consolidarse en la zona?

Alias 'Chupeta' fue uno de los narcos que más utilizó la ruta por Venezuela.

Alias 'Chupeta' fue uno de los narcos que más utilizó la ruta por Venezuela.

Si hay un tema que por estos días ocupa la atención de la DEA y las autoridades antidrogas del continente es cómo frenar el proceso de diversificación de rutas de los narcos y descubrir sus enlaces en países que antes no eran tan relevantes como lugares de tránsito del ilegal producto hacia Estados Unidos y Europa.

Un objetivo ambicioso, pues entre más se escudriña mayores son las sorpresas en torno a la cantidad de funcionarios oficiales, de todos los rangos y de varios países, que sucumben ante la tentación del dinero fácil.

Las rutas cambiaron –o se reactivaron las que hace muchos años no eran usadas- y ya hay hechos que se prestan para interpretaciones contradictorias. Por ejemplo, mientrasinteligencia de Estados Unidos señala que la ruta por el Océano Pacífico es la más utilizada para hacer llegar a ese país la droga colombiana que pasa por América Central,los reportes señalan que la mayoría de decomisos son por el Mar Caribe.

De lo que no hay duda es de que, ante la presión colombiana contra la guerrilla, lasbandas criminales, los paramilitares y los narcos puros, dichas organizaciones se vieron forzadas hace mucho tiempo a diversificar sus formas y puntos de envío para abastecer el mercado internacional. Documentos de la DEA revelados por El Espectador el 4 de mayo pasado dan cuenta de que desde hace más de una década el papel de Venezuela se hizo más importante en este sentido. Los mapas indican que Jamaica perdió importancia como lugar de tránsito y que aumentaron los envíos siguiendo la ruta de Aruba-Isla Margarita- Puerto Rico o vías alternas a través de Venezuela para llegar a África y luego a Europa.

Dos semanas después El Espectador también documentó que el negocio por Venezuelaresultó tan atractivo para los narcos que pronto llegaron delincuentes de otros países a disputarles la hegemonía a los colombianos, aprovechando momentos de división por la caída de algunos capos o vendettas internas. Fue así como entre La Guajira colombiana y el Zulia venezolano aparecieron carteles dominicanos y ‘Los Zetas’ mexicanos.

¿Cómo lograron los carteles colombianos enquistarse en Venezuela y cuál fue el punto de quiebre para que los de otros países les quitaran el control del negocio? La Fm de RCN, en su emisión de noticias del viernes en la mañana dio nuevas puntadas sobre el tema en un seguimiento a su investigación sobre el diario de alias “Chupeta” y documentos confiscados a Luis Enrique Calle Serna, alias “Comba”.

Se trata de dos de los narcos colombianos que más utilizaron la ruta venezolana durante la última década y quienes, según reveló la emisora, tenían cuidadosamente detallados los nombres de por lo menos una docena de contactos de alto nivel en Venezuela –entremilitares y civiles- para poder moverse con tranquilidad en ese país. Uno de esos documentos, de 2008, señala que Wilber Varela, alias “Jabón”, uno de los narcos más sanguinarios de la última generación y quien fue asesinado en Venezuela el 31 de enero de 2008, tenía que establecer contactos con Néstor Reverol, entonces general de laGuardia Nacional de Venezuela y actual viceministro de Seguridad Ciudadana y director de la Oficina Nacional Antidroga (ONA). También se habla de un exgeneral del estado Lara, entre otros.

El que sean mencionados como personas a contactar no significa que los narcos en verdad los hayan abordado. Mucho menos demuestra que los citados funcionarios y exfuncionarios del vecino país hayan aceptado las supuestas propuestas de los delincuentes. Sencillamente aporta elementos para el análisis que coinciden con tiempos y lugares en los que los mafiosos colombianos habrían actuado.

De hecho, los documentos son evaluados por las autoridades colombianas para establecer también quienes pudieron estar comprometidos desde este lado de la frontera en la expansión de dichas estructuras criminales. Desde el 26 de marzo de 2009, dijo La Fm, losdocumentos de Chupeta fueron enviados a la Fiscalía por el entonces contraalmirante de la Armada, César Augusto Narváez Arciniegas, jefe de Inteligencia Naval.

Mientras tanto, los gobiernos de Colombia y Venezuela trabajan para cerrarle el paso a las múltiples violencias que se extienden por los 2.200 kilómetros de frontera común. A la estrategia de repliegue de las Farc, que corren a buscar refugio en Venezuela luego deatacar en Colombia; a la de las Águilas Negras, que desde 2004 se lucran delnarcotráficos y las vacunas a ganaderos en el estado venezolano de Apure. A la de los contrabandistas de gasolina, negocio en el que tienen cada vez más participación las bandas emergentes. Y a la que generan los enfrentamientos entre todos los anteriores, a quienes el ansia de dinero fácil ha llevado a una guerra en la que quienes llevan la peor parte son siempre los campesinos de uno y otro lado de la frontera.

Inversão do tempo

 

GNOSIOFOBIA BRASILEIRA

QUINTA-FEIRA, 5 DE JULHO DE 2012

 

"Estão empurrando o Paraguai para fazer aliança com outros países ou blocos"

A maioria dos esquerdistas jura de pés juntos que o contragolpe militar de 1964 foi uma "armação" com ajuda do governo norte-americano. A única prova que os doentes apresentam é um telegrama do embaixador americano Lincoln Gordon à Casa Branca, contando o que havia acontecido e pedindo orientações, tal telegrama foi enviado um dia depois daquilo que eles chamam de "golpe".

Os adeptos da mentalidade revolucionária não reconhecem a cronologia dos fatos, e não podem fazê-lo porque suas mentes são treinadas para jogar com o tempo sempre a favor de seus ideais, seja para se defender (coisa que fazem com um cinismo inacreditável) ou para atacar (coisa que fazem com maestria e crueldade.

Manuel Ferreira Brusquett, atual ministro da Fazenda do Paraguai, concedeu uma entrevista a  BBC Brasil onde afirma que a postura adotada pelos países do MERCOSUL está "empurrando o Paraguai a alianças com outros países e blocos". 

Mal ele sabe que é justamente isso que a "trupe" de Chavez deseja, afinal usarão essa aliança que será firmada no futuro, como a desculpa por terem acusado de golpe a destituição do antigo presidente. 

Fonte: http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2012/07/120704_paraguai_economia_brusquetti_mc.shtml

Sobre o Título do Timão

 

GNOSIOFOBIA BRASILEIRA

Dilma queria um Golpe MILITAR?

 

GNOSIOFOBIA BRASILEIRA

SEXTA-FEIRA, 6 DE JULHO DE 2012

"As revelações feitas agora pela cúpula do governo uruguaio não deixam a menor dúvida: Dilma não foi apenas uma das articuladoras da suspensão do Paraguai do Mercosul. Ela também foi a principal artífice do golpe — este na esfera diplomática — que aprovou o ingresso da Venezuela no grupo. A presidente brasileira atuou para acolher um governo que, dias antes, havia se reunido com a cúpula militar paraguaia para incitar uma quartelada.

Se os generais do Paraguai tivessem feito o que lhes recomendou Chávez, a Constituição do país teria sido rasgada. Fernando Lugo teria sido mantido no poder pelos tanques, e a nossa presidenta certamente estaria chamando a solução, agora, de “democrática”. VEJA Online havia revelado em primeira mão a tentativa de quartelada chavista. Os filmes que vieram a público não deixam a menor dúvida." Reinaldo Azevedo - Veja

Quem é Dilma Rousseff? Essa pergunta deveria ter sido feita por seus eleitores antes das últimas eleições de 2010. A verdade é que ninguém fez essa pergunta direito, e se foi feita, a resposta ainda não veio, ou melhor, está vindo! Melhor que responder com palavras é dar a resposta por meio de ações, e a presidente está fazendo isso.

Desde que Dilma assumiu a presidência, o governo vem trabalhando como um "corpo de bombeiros", hora apagando o fogo dos escândalos ministeriais, onde a imagem de faxineira foi atribuída a presidente graças ao trabalho da mídia bem paga, hora apagando o fogo do ROMBO deixado pelo ex-presidente Lula, onde a mídia mais uma vez dá a ela o "status" de gestora competente ao endividar o país ainda mais para gerar a falsa sensação de estabilidade econômica ante a "crise mundial". 

Outra "ação" do governo Dilma, e essa talvez mostre o verdadeiro caráter da presidente, tem sido a "Comissão da Verdade", apelidada carinhosamente de "começão da verdade" graças aos bilhões gastos em indenizações, onde um grupo indicado pela presidente está incumbido de esmiuçar os documentos do regime militar brasileiro, e convidar (intimarão na verdade) pessoas de ambos os lados da "guerra" para conseguir chegar à verdade histórica, que entrará nos  livros didáticos de nossos filhos, que para felicidade geral dos vermelhos, aprenderão que gente como Dirceu, Lula  e a própria presidente foram os heróis da democracia.

Tudo estaria bem se não fosse a Veja, ah não, sempre ela! Com certeza o Cachoeira deve ter ligado para o Policarpo e pedido esse favor! 

Segundo a revista Veja, o Paraguai era alvo de um golpe organizado por Chávez, e não é o mexicano amigo da Chiquinha, eu falo do Presidente da Venezuela, que teve frustrado o seu plano quando o Congresso paraguaio sabiamente defenestrou o camarada Lugo da presidência. 

Tudo bem, mas onde entra Dilma nessa história?

A "presidenta" aparece nas linhas do blog do  jornalista Reinaldo Azevedo, que informa que Dilma não só  adiantou a saída do Paraguai do MERCOSUL  como teria dado apoio aos planos de um GOLPE MILITAR no país vizinho. Assustador não é mesmo?

Portanto camaradas, a verdade é a seguinte: Estamos diante da maior dissonância cognitiva em pessoa que já sentou seus fartos glúteos na cadeira presidencial. A verdade é que as ações da presidente nos tira toda e qualquer possibilidade de entender QUEM É DILMA ROUSSEFF.

Para os que apostavam que ela seria um "fantoche" de Lula, eu rebato com veemência, porque Lula vive em outro mundo, o estado mental constante do ex-presidente não o permitiria saber se para chegar ao Paraguai seria preciso "atravessar um oceano". Dilma, embora não consiga terminar uma só frase ou concluir qualquer pensamento,  é mais capacitada, sabe cumprir a risca as orientações vindas da PRESIDÊNCIA do Foro de São Paulo, que em breve terá sua sede construída na capital paulista com o nome de memorial.

Portanto Dilma Rousseff é isso,  a contradição em pessoa!

fonte: Blog do Reinaldo Azevedo

Sequestrador de Brenda em Culto Evangélico é preso

 

Publicado em 06/07/2012 por inforgospel

A prisão do sequestrador de Brenda que aconteceu no dia 05/07/12 em Maringá/PR, depois do suspeito ter aproveitado a distração da mãe durante um culto em comemoração aos 50 anos da Igreja Deus é Amor em São Paulo, nos leva a alertar a todos quantos estiverem em grandes concentrações de pessoas, seja em eventos evangélicos ou em qualquer outro de tomarem muito cuidado com as crianças, pois são alvos fáceis para sequestradores, como também temos visto de pessoas que fazem trafico de pessoas no mundo. O alerta fica para todos - Portanto "Vigiai e orais" como a Palavra de Deus pede. Amém... post http://www.odiario.com/blogs/inforgospel/ - via: http://g1.globo.com/bom-dia-brasil/videos/t/edicoes/v/policia-de-sp-diz-que-s... - 06/07/12

GOVERNO DILMA FALTA COM A PALAVRA E PROMOVE O ABORTO - DOCUMENTO REDIGIDO PELA REGIONAL SUL 1

 

Do FACEBOOK

por Adelice Godoy, sexta, 6 de Julho de 2012 às 15:53 ·

(Texto preparado e aprovado na reunião extraordinária de 23/06/2012) - Comissão em Defesa da Vida do Regional Sul 1 da CNBB

No dia 16 de outubro de 2010, a então candidata a Presidente da República, Dilma Rousseff, assinou uma carta de compromisso na qual afirmava:

         "Sou pessoalmente contra o aborto e defendo a manutenção da legislação atual sobre o assunto. Eleita Presidente da República, não tomarei a iniciativa de propor alterações de pontos que tratem da legislação do aborto e de outros temas concernentes à família”.

         Em 4 de outubro de 2010, o Diário Oficial da União publicava a prorrogação, até fevereiro de 2011, do termo de cooperação Nº 137/2009, assinado alguns dias antes pelo governo Lula, criando no Ministério da Saúde um grupo de “estudo e pesquisa para despenalizar o aborto no Brasil e fortalecer o SUS”.

         Se a Presidente Dilma fosse coerente com o que escreveu na carta de 16 de outubro, logo eleita, acabaria com este grupo de estudo e pesquisa. Mas não foi isto que ela fez.

         Um novo termo de cooperação Nº 217/2010 foi publicado no Diário Oficial do dia 23/12/10 para criar um “grupo de estudo e pesquisa para estudar o aborto no Brasil e fortalecer o SUS”. Do nome do grupo foi retirado o termo “despenalizar”, mas os demais nomes e detalhes são os mesmos. Este novo termo de cooperação foi prorrogado através de nova publicação no Diário Oficial de 22/12/11 e novamente prorrogado com publicação no Diário Oficial de 09/01/12 para vigorar até 30/08/12.

         Em fevereiro deste ano, a Presidente Dilma designou a socióloga Eleonora Menicucci para Ministra da Secretaria de Políticas das Mulheres. A nova Ministra, que também integra o grupo de estudo sobre o aborto, fez apologia do mesmo, relatou ter-se submetido pessoalmente duas vezes a esta prática e afirmou que levaria para o governo sua militância pelos “direitos sexuais e reprodutivos das mulheres” (Folha de São Paulo, 07-02-2012) expressão eufemística para abrir espaço ao direito ao aborto. Ela também declarou ter participado na Colômbia de um curso de autocapacitação para que pessoas não médicas pudessem praticar o aborto pela técnica da aspiração manual intra-uterina (Estado de São Paulo, 13-02-2012).

As decisões e os atos de uma pessoa falam mais alto do que as palavras faladas ou escritas. Com a designação de Eleonora Menicucci como Ministra das Políticas para as Mulheres, a Presidente Dilma rasgou a carta de 16 de outubro de 2010, pois entrou em contradição com o compromisso assumido naquele documento.

         Os jornais Folha de São Paulo, Estado de São Paulo e Correio Braziliense noticiaram, na primeira semana de junho deste ano, que o governo Dilma, quebrando todas as promessas feitas, estaria implantando, através do Ministério da Saúde, uma nova estratégia, desenvolvida pelos promotores internacionais do aborto, para difundir esta prática, burlando a lei sem, por enquanto, modificá-la. Segundo esta estratégia, o sistema de saúde passará a acolher as mulheres que desejam fazer aborto e as orientará sobre como usar corretamente os abortivos químicos, garantindo em seguida o atendimento hospitalar, e serão criados centros de aconselhamento para isso (Folha de São Paulo, 06-06-12).

         Na última semana de maio a Ministra Eleonora Menicucci afirmou à Folha de São Paulo que“Somente é crime praticar o próprio aborto, mas que o governo entende que não é crime orientar uma mulher sobre como praticar o aborto” (Folha de São Paulo, 06-06-12).

         Ainda, segundo a imprensa, estaria sendo elaborada uma cartilha para orientar as mulheres na realização do aborto com segurança (Estado de São Paulo, 07-06-12).   Estaria também sendo elaborada, por parte do Ministério da Saúde, uma nova Norma Técnica sobre os cuidados do pré-aborto, sendo que os do pós-aborto já estão garantidos por Norma Técnica anteriormente publicada (Correio Braziliense, 09-06-12).

         Como coroamento de todo este trabalho de difusão da prática do aborto, mesmo deixando as leis como estão, o Correio Braziliense, do dia 9 de junho, noticia a possibilidade por parte do Ministério da Saúde de liberar para o público a venda de drogas abortivos, atualmente em uso somente nos hospitais.   

         De fato, esta é a política da Presidente Dilma: incentivar e difundir o aborto, favorecendo os interesses de organismos internacionais que querem impor o controle demográfico aos países em desenvolvimento, mesmo se isto leva a Presidente a desrespeitar a vontade da maioria do povo brasileiro, que é contrária ao aborto, e a infringir as mais elementares regras da democracia.

         Não queremos que a Presidente Dilma faça pronunciamentos por palavras ou por escrito, queremos fatos:

         1. A demissão imediata da Ministra Eleonora Menicucci da Secretaria das Políticas para as Mulheres.

         2. A demissão imediata do Secretário de Atenção à Saúde do Ministério da Saúde, Helvécio Magalhães, que está coordenando a implantação das novas medidas a serem tomadas por esse Ministério.

         3. O rompimento imediato dos convênios do Ministério da Saúde com o grupo de estudo e pesquisa sobre o aborto no Brasil.

Comissão em Defesa da Vida do Regional Sul 1 da CNBB

True Outspeak - Olavo de Carvalho - 4 de julho de 2012

 

ESTAMOS EM GUERRA!!! JUNTEM-SE, SOLDADOS!!!

 

PADRE PAULO RICARDO


Neste episódio do Parresía, Padre Paulo Ricardo nos alerta para o estado de guerra que vivemos. Essa notícia, ao contrário de produzir medo, deve ser motivo de alegria para cada um de nós, para cada cristão, pois, é sabido que todo aquele que se unir ao bem será confrontado pelo mal e terá que o enfrentar. É o bom combate.

Esta batalha não é recente, começou lá no Paraíso, com os nossos primeiros pais. Desde então o homem vive num estado de guerra. O livro de Jó é bem claro quando nos diz: é uma batalha a vida do homem sobre a terra, ou seja, não é possível crer que essa vida não trará dificuldades, tentações, dores e perdas. Não. Neste mundo o mal é imortal. É importante saber disso. E saber também que não é esta a vida destinada e querida por Deus para cada um de seus filhos. Deus quer para nós a vida eterna, o Paraíso, a Eternidade. Estamos lutando, portanto, por algo além desse mundo.

Sabendo, então, que o Mal é invencível neste mundo e que, ao mesmo tempo, teremos que passar por ele para chegarmos à vida que realmente importa, o que devemos fazer? Qual estratégia devemos adotar?

São Gregório de Nissa, em sua homilia sobre o Cântico dos Cânticos diz que: a salvação nos é obtida pela unidade, pois a salvação consiste em estarmos unidos na íntima adesão ao único e sumo bem. Assim, a salvação só é possível se estivermos unidos de forma verdadeira à Igreja una e santa e àquele que é capaz de dar ao homem a felicidade perfeita: Deus.

O prêmio a ser alcançado é a salvação das nossas almas, a vida eterna. O caminho para alcançá-lo é estar unido a Deus e à Igreja. Parece simples, parece fácil, mas não é. O Inimigo sabe quão frágil é a determinação do homem em suportar as intempéries. Ele sabe que o homem deseja naturalmente proteger-se a si mesmo, evitando dores, tristezas, perdas. O Inimigo também sabe que, embora possa vencer neste mundo, a batalha maior já está perdida. Assim, não podendo vencê-la, cuida para que o menor número de soldados a vença.

O método utilizado por ele é bastante antigo: dividir para conquistar. Para tanto, oferece aos homens distrações, prazeres terrenos (poder, dinheiro, drogas, sexo, comodismo, hedonismo etc.), tudo que servir para desviar a atenção do Sumo Bem.

Não existem dois “sumo bem”, apenas um. Um soldado não pode servir a dois senhores, lutar em ambos os lados. Não, em algum momento todos nós, soldados de Deus, seremos confrontados e teremos que escolher. Orígenes afirmou com propriedade: “diante de uma tentação, um cristão ou sai idólatra ou sai mártir."

Assim, somente a íntima, profunda e convicta adesão ao único Sumo Bem que é Deus, pode ser o caminho para a vitória. Não somente a vitória da guerra cultural, da vitória da batalha travada pelo Bem e pelo Mal, mas sim, a vitória que trará a salvação das nossas almas.

“Salvar o planeta” é “bobagem inigualável” diz ex-secretário de Meio Ambiente

 

VERDE: A COR NOVA DO COMUNISMO

quinta-feira, 5 de julho de 2012

 

"Salve o planeta: suicide-se"! Absurdos do catastrofismo ambientalista.

"Salve o planeta: suicide-se"! Absurdos do catastrofismo ambientalista.

Este blog assume uma posição estritamente não-partidária. Se reproduzimos comentários ou opiniões de personalidades engajadas em alguma associação política ou função pública, é só em função do tema do blog.

Quer dizer, a adoção do ambientalismo e da ecologia pelos militantes do comunismo em crise, como método para obter sorrateiramente aquilo que não conseguem pela via da propaganda ou da convicção.

Neste sentido tem conteúdo relevante as afirmações do ex-secretário de Meio Ambiente e ex-presidente do Incra Xico Graziano, no artigo “Profetas do apocalipse” de 26/06/2012.
É mais uma voz que ecoa a denuncia, há muito feita, dos métodos apavorantes e catastrofistas empregados pelos “vermelhos” disfarçados de “verdes” para obter objetivos ideológicos que procuram não evidenciar.

Eis alguns excertos do artigo:

Xico Graziano

Querer “salvar o planeta” exibe uma soberba incomparável na história da humanidade. Tal ideia, absurda, radicaliza a visão antropocêntrica, creditando ao ser humano uma prepotência acima de qualquer outra atribuída a ele, dono do universo e dos planetas. Imagine.

Tem sido terrível perceber a queda na compreensão de que o perigo ecológico ronda a civilização humana, não o planeta Terra. Até então (a Rio+20) a dubiedade, elementar, permanecia quase que restrita às salas de aula.

Nestes dias, porém, pulularam campanhas e matérias jornalísticas dando dicas de como “salvar o planeta”. Uma bobagem inigualável.

Os problemas ecológicos afetam, e comprometem, isso, sim, o futuro da humanidade. A pressão sobre os recursos naturais, se continuar aumentando, trará reveses na qualidade da existência humana.

Em certas partes do mundo, populações padecem com a falta de água potável, sofrem com a poluição da atmosfera, amargam com a desertificação. O planeta nem liga. Basta uma dose de insignificância humana para perceber a diferença.

Esconde-se, aqui, um lamentável engano. O ambientalismo começou a tratar o gás carbônico (CO²), conhecido na biologia e na agronomia como o “gás da vida”, como um vilão planetário, responsável pelo efeito estufa da Terra.

Alarmismos absurdos clamam "salvar o planeta".
Foto: a torre Eiffel coberta pelo mar

Ora, a absorção do CO² através dos estômatos das plantas permite realizar a fotossíntese, processo vital que transforma energia solar em energia química, base dos carboidratos e proteínas vegetais. Libera, ademais, oxigênio no ambiente.

Entrou na moda “neutralizar” as emissões de CO² à busca de um certificado de boa conduta ambiental. Noutro dia, um ônibus circulava nas ruas da capital paulista entupindo a atmosfera com fumaça preta, embora ostentando logo acima do sujo escapamento um lindo dizer: “carbono neutro”. Licença para poluir.

É inaceitável considerar o gás carbônico no capítulo da poluição. Esse absurdo conceitual embaralha a mente das pessoas e alivia a barra dos verdadeiros poluidores.
Há quem acredite, por exemplo, ser o arroto bovino mais danoso à atmosfera que o escapamento dos automóveis. Risível.

Sem entender direito dos assuntos, as pessoas tendem ao repeteco dos chavões, onde tudo se mistura, se confunde, se banaliza na vontade de, orgulhosamente, ajudar a “salvar o planeta”.

27º Podcast Mises Brasil, com João Pereira Coutinho

 

MISES BRASIL


logo_baixa.jpgENTREVISTA  27 -- JOÃO PEREIRA COUTINHO

Doutor em Ciência Política e professor da Universidade Católica Portuguesa, João Pereira Coutinho é um dos principais colunistas de dois dos mais importantes jornais do Brasil e de Portugal: Folha de S. Paulo e Correio da Manhã. Também comentarista político da tvi24, canal de TV português, Coutinho sempre utilizou a sua opinião também como um instrumento de defesa das liberdades contra as investidas autoritárias de governos, partidos políticos, instituições, entidades ou pessoas físicas com projeção pública.

Coutinho tem dois livros publicados (Vida Independente e Avenida Paulista) e veio ao Brasil esta semana para participar do lançamento do recém-lançado Por que Virei à Direita, do qual é coautor junto com Luiz Felipe Pondé e Denis Rosenfield. Aproveitando a vinda dele, fui entrevistá-lo para este Podcast e a conversa teve como eixo central a crise européia, o problema do euro e de que forma isto afeta a liberdade. "O euro revela bem todos os fracassos em que a Europa esta mergulhada neste momento. A União Européia procurava ser um projeto de unidade, mas é, neste momento, um exemplo de desunião e de atrito, às vezes até com contornos nacionalistas entre diferentes estados."

A entrevista também abordou o papel do coletivismo na Europa e a influência do politicamente correto lá e aqui. "O Brasil está a seguir o mesmo tipo de políticas politicamente corretas que já foram testadas em quase todas as partes do mundo Ocidental. Penso que o Brasil está a chegar com 20 anos de atraso a políticas que já foram testadas e fracassaram. Por exemplo, o caso das cotas raciais, que apresentam problemas que já foram muito bem estudados em outros países, sobretudo nos Estados Unidos. No entanto, o Brasil avança na adoção de cotas raciais com a ideia de que os indivíduos devem ser discriminados positivamente pela sua cor da pele quando esse tipo de política já gerou situações perversas noutros países, como nos Estados Unidos, segundo mostrou Thomas Sowell, que desenvolveu um estudo muito bom sobre cotas raciais, o Affirmative Actions Around the World, em que mostra vários problemas gerados por elas.

(...) O politicamente correto parte do pressuposto errado de que existem grupos homogêneos. E esse é um tipo de pensamento que se aceita em sociedades totalitárias, em que você identifica, por exemplo, os judeus, quando, na realidade, não existem grupos, existem indivíduos, existem o João, a Teresa, a Maria, o Manuel, e cada indivíduo tem uma história particular, tem méritos, tem vícios e virtudes particulares. (...) E, nesse sentido, é muito curioso que as pessoas que partilham o pensamento politicamente correto são muito parecidas com, por exemplo, os racistas. Porque os racistas também só pensam em grupos. Para o racista, não há o Manuel, o João, a Teresa, só há os brancos e os negros. Uma pessoa favorável às cotas raciais é um racista do avesso. Enquanto um discrimina negativamente, o outro quer discriminar positivamente."

 

clique aqui para fazer o download do .MP3

Armado, brasileiro se sente seguro

 


Publicado em 06/07/2012 por diogowaki

1. Dep. Claudio Cajado (http://www.deputadoclaudiocajado.com.br/) relator do PL do dep. Peninha. Vamos escrever dando sugestões.

2. Respondendo aos nossos participantes.

3. Pesquisa de opinião mostra que, "armado, brasileiro se sente seguro" (http://www.google.com.br/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&source=web&cd=4&ved=0CGIQFjAD&url=http%3A%2F%2Fwww.secom.gov.br%2Fsobre-a-secom%2Facoes-e-programas%2Fcomunicacao-publica%2Fclipping%2Fjunho-2012%2Fclippingsecom-midia-09-de-junho-de-2012%2Fat_download%2Ffile&ei=1ev2T4XQIOj22QXp3ejQBg&usg=AFQjCNHHI_Sajc2rFItsxQJ1aqYYVCbeaw&sig2=PBQed6XG06KftVG3Xkj3jg)

4. Início da campanha eleitoral: votar em candidatos que defendam o direito à legítima defesa

Blogueiro Ricardo Gama, candidato a vereador pelo Rio de Janeiro. Começa a campanha 2012.

 

quinta-feira, 5 de julho de 2012

Olavo de Carvalho, TOS de 04/07/2012: contra QUEM ou QUAL MOVIMENTO estamos lutando?

 

"GOEBBELS" BOLIVARIANO É O EMBAIXADOR DE CHÁVEZ NO BRASIL E ESTEVE ENVOLVIDO COM FERNANDO LUGO NO PARAGUAI

 

BLOG DO ALUIZIO AMORIM

Quinta-feira, Julho 05, 2012

 

Esta fue la reunión que mantuvo el exmandatario Fernando Lugo en Mburuvicha Róga, el jueves 21 de junio, con los cancilleres del Unasur y su equipo de abogados. En el círculo aparece Maximilien Sánchez Arveláiz mirando al fotógrafo. / ABC Color

Maximilien Sánchez Arveláiz é um conhecido propagandista e especialista em infiltração do plano comunista bolivariano do regime de Hugo Chávez. Em 2010 foi designado embaixador da Venezuela no Brasil. É conhecido como o "cérebro"do chavismo no exterior. É também conhecido pela alcunha de "Goebbels" bolivariano. Esse homem esteve misturado entre os cancheles da Unasul que estiveram em assunção e em todo tempo acompanhou o chanceler Nicolás Maduro, segundo o diário paraguayo ABC Color, citado pelo site v enezuelano La Patilla.

Fernando Lugo recebeu o "Goebbels" cucaracha com um largo sorriso, conforme mostra a foto mais abaixo, no dia 21 de junho. Comm seu laptop, o menino de recado de Chávez manteve o caudilho informado online sobre tudo o que se passava no Paraguai, conforme esta reportagem que transcrevo do ABC Color postada no site La Patilla. Leiam:

EN ESPAÑOL - Maximilien Sánchez Arveláiz es un conocido propagandista y experto en infiltración del plan bolivariano. En 2010 fue designado por Hugo Chávez como embajador de Venezuela en el Brasil. Es conocido como el “cerebro” del chavismo en el exterior. El hombre llegó mimetizado entre cancilleres del Unasur que estuvieron en Asunción y en todo momento acompañó a Maduro, según el diario paraguayo ABC Color.

Fernando Lugo lo recibió con una amplia sonrisa en Mburuvicha Róga el jueves 21 de junio, junto a los cancilleres del Unasur. Sánchez Arveláiz participó de la reunión que mantuvo esa noche el exmandatario con los cancilleres, parte de su entonces gabinete y los abogados que al día siguiente lo defenderían en el juicio político.

Mientras en esa reunión el exasesor jurídico Emilio Camacho intentaba explicar a los cancilleres los pormenores del porqué el Congreso Nacional no había aprobado la “cláusula democrática” de Usuahia II y por ello Unasur no podía usar ese argumento para presionar a los parlamentarios, Sánchez Arveláiz lanzaba amenazantes miradas a los fotógrafos. Cuando se percató de que lo estaban fotografiando, decidió inmediatamente cubrirse el rostro con su iPad.

Lugo abraça o menino de recados de Chávez que é o embaixador da Venezuela no Brasil e conhecido como o Goebbels bolivariano, encarregado da difusão da doutrina bolivariana no estrangeiro

Este diplomático venezolano, que es conocido como el “mimado” de Hugo Chávez, estuvo sentado discretamente a un costado de la mesa principal, detrás del canciller Nicolás Maduro.

Desde su iPad, en ocasiones tomaba fotografías, filmaba la reunión e informaba al Presidente venezolano, en tiempo real, de todo lo acontecido.

Además de reportar a Chávez, el motivo de la presencia de Sánchez Arveláiz era el de coordinar con “grupos sociales” paraguayos una confrontación para defender a quien estaba por ser defenestrado vía juicio político. Esta fue su principal tarea en nuestro país.

Para Chávez, es un estratega clave de su proyecto; para sus detractores, un agitador experto en infiltración bolivariana en el exterior.

Desde su desginación como embajador del Brasil, en 2010, estuvo abocado a diseñar e imponer los planes de penetración ideológica izquierdista en Argentina, Brasil, Bolivia y Paraguay.

En la estrategia de Sánchez Arveláiz de movilizar a los sectores sociales, también se sumó la de lograr que los militares no acaten la decisión del Congreso.

La convocatoria de los altos jefes militares a Palacio de López habría sido una propuesta del “cerebro” chavista, quien recomendó a Maduro asumir la actitud desafiante en la arenga a los jefes castrenses a fin de obligarles a sublevarse y a salir a las calles a favor del exobispo.

Infiltración bolivariana

Desde su llegada al Brasil, Sánchez Arveláiz, según publicaciones periodísticas, fue creando círculos bolivarianos en la región. La primera tarea es juntarse e identificarse con movimientos sociales que indirectamente terminan apoyando el proyecto chavista bajo un engañoso ropaje democrático.

Para esta misión no se escatiman recursos económicos, ya que destinan millones en las campañas que van desde financiar proyectos de sindicatos y comprar conciencias. Cuentan que Sánchez Arveláiz participa y se conecta para su plan con actividades y proyectos llevados adelante por anarquistas históricos, militantes que actúan bajo la identidad de periodistas o internautas, blogeros, universitarios, funcionarios y expertos en propaganda y manipulación. También lo conocen como el “Goebbels bolivariano”.

Com o Paraguai, fazemos assim. Com o México, assado. Perguntar não ofende: quem explica? Freud?

 

RICARDO SETTI

04/07/2012

às 13:00 \ Política & Cia

 

Fernando Lugo, do Paraguai; López Obrador, do México: no Brasil, é um peso e duas medidas (Fotos: Norberto Duarte / AFP :: Henry Romero / Reuters)

Fernando Lugo, do Paraguai; López Obrador, do México: no Brasil, é um peso e duas medidas (Fotos: Norberto Duarte / AFP :: Henry Romero / Reuters)

Esta é de um leitor que não quer se identificar, por ter suas razões:

O ex-presidente Fernando Lugo sofreu o impeachment tendo sido seguidos os trâmites determinados pela Constituição do Paraguai, e nosso governo diz que foi golpe.

O segundo colocado nas eleições do México quer impugnar o resultado, e nosso governo saúda o vencedor que pode não o ser.

Freud explica?

Foro de São Paulo: tudo “gente boa”… Veja um exemplo


 

RICARDO SETTI

05/07/2012

às 15:41 \ Vasto Mundo

 

A ex-senadora Piedad Córdoba (primeiro plano): cassada por ser amiguinha dos terroristas colombianos das Farc, mas estrela do Foro de São Paulo (Foto: Alexandre Schneider)

Por Duda Teixeira, de Caracas

Com blusa de oncinha e lenço na cabeça, a ex-senadora colombiana Piedad Córdoba, acusada de ter colaborado para as [assim chamadas] Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), [grupo narco-terrorista que inferniza a vida da Colômbia com sequestros, assassinatos e uma longa lista de crimes], foi a principal estrela no primeiro dia do Foro de São Paulo.

A reunião das esquerdas mundiais, criada pelo Partido dos Trabalhadores (PT) e pelo governo cubano no início da década de 90, está acontecendo no hotel estatizado Alba (antigo Hilton) em Caracas, a capital da Venezuela.

Em 2010, a Justiça colombiana cassou os direitos políticos de Piedad por causa de sua colaboração com os terroristas das Farc. Por dezoito anos, ela não poderá concorrer a cargos públicos.

Nos computadores do terrorista Raúl Reyes, morto em 2008 no Equador pelas forças colombianas, ela aparece trocando informações com o grupo armado. Piedad se encontrou pessoalmente com os terroristas e deu conselhos sobre como proceder em negociações com o governo, sobre como mandar provas de vida e sobre quando libertar reféns. Nos e-mails, ela recebia apelidos como “Teodora de Bolívar” e “Negrita”.

Entre uma foto e outra com amigos e admiradores no Foro, Piedad também deu uma entrevista para a Telesur, canal criado por Hugo Chávez que, coincidentemente, também aparece nos computadores de Reyes como sendo cabide de emprego de integrantes das Farc.

Segundo o brasileiro Valter Pomar, do PT e um dos organizadores do Foro, Piedad não faz parte do encontro. Ela teria mandado um pedido de inscrição em cima da hora e ainda não foi aceita.

Piedad está sem partido e nega que as Farc hoje tenham alguma relação com o Foro.

EXCLUSIVO NA VEJA ONLINE — CHÁVEZ TENTOU PROMOVER UM GOLPE MILITAR NO PARAGUAI. DADOS OS EVENTOS DE HOJE, CONTOU COM O APOIO DE DILMA! É O FIM DA PICADA!!!

 

REINALDO AZEVEDO

29/06/2012 às 21:17

Atenção! Ao suspender o Paraguai do Mercosul e promover o ingresso da Venezuela, os presidentes José Mujica (Uruguai), Dilma Rousseff (Brasil) e Cristina Kirchner (Argentina) estão endossando o estímulo a um golpe militar promovido por um país estrangeiro. Como? É isto mesmo: a repórter Carolina Freitas, da VEJA Online, informa que Nicolas Maduro, diplomata venezuelano, se reuniu secretamente com a cúpula militar paraguaia, incitando-a a não aceitar a eventual deposição de Fernando Lugo pelo Congresso. Como esta se deu segundo o que prevê a Constituição, Chávez estava tentando armar um golpe militar no Paraguai. Eis aí: estamos sob a égide do imperialismo bolivariano!

Leiam a reportagem:

A ministra da Defesa do Paraguai, María Liz García, confirmou em entrevista à imprensa de seu país um rumor que vinha tomando corpo nos últimos dias em Assunção: o diplomata venezuelano Nícolas Maduro reuniu-se com a cúpula das Forças Armadas paraguaias no mesmo dia em que o Congresso votava o impeachment de Fernando Lugo. O chanceler tinha um pedido para fazer aos comandantes: que os militares reagissem caso Lugo fosse de fato deposto.

 

As tentativas de intervenção dos presidentes de países vizinhos vêm causando indignação — embora os discursos se mantenham diplomáticos — entre as autoridades paraguaias desde que Federico Franco assumiu o poder na semana passada.  A ousadia dos encrenqueiros latino-americanos, no entanto, chegou a seu ápice nesta sexta-feira, quando veio à tona uma tentativa de golpe militar no Paraguai comandada por ninguém menos que o chanceler da Venezuela - país de Hugo Chávez.

O principal alvo de críticas entre os paraguaios vinha sendo Christina Kirchner por sua atitude de rejeição radical ao novo governo. Até a confirmação da ação do chanceler venezuelano junto ao Exército paraguaio, o imperialista bolivariano Hugo Chávez não se encontrava no centro das preocupações das autoridades paraguaias, que punham suas declarações igualmente inflamadas na conta de sua notória fanfarronice.

A frase de um influente empresário paraguaio durante encontro com o chanceler do Paraguai, José Félix Estigarribia, na quinta-feira resume o sentimento vigente até ontem: “Andam por aí falando da nossa democracia quando têm sua própria democracia cheia de problemas.” As declarações da ministra da Defesa exacerbam esse quadro.

Alto comando — O pedido do chanceler foi feito durante uma reunião na tarde da quinta-feira da semana passada, mesmo dia em que o Congresso aprovou o impeachment de Lugo. De acordo com o jornal Última Hora, o embaixador do Equador, Julio Prado, e Miguel Rojas, secretário privado de Lugo, participaram do encontro, no Palácio de López, sede do governo do Paraguai.

O encontro foi convocado pelo chefe do gabinete militar da Presidência, Ángel Vallovera. María Liz assegurou que o conteúdo da conversa não chegou aos quartéis. Em entrevista a uma rádio local, a ministra informou que os comandantes das Forças Militares se negaram a cumprir o pedido do chanceler da Venezuela . “Não houve qualquer tipo de sublevação. Asseguro que os chefes militares decidiram respeitar a Constituição”, afirmou María Liz.

O presidente do Paraguai, Federico Franco, rechaçou a atitude da Venezuela, a que classificou como uma “intromissão clara nos assuntos internos” do país. “Vamos tomar medidas institucionais.” Franco afirmou que agirá de forma enérgica contra os militares que tentarem agir contra a lei. “Vamos terminar com a manipulação política das Forças Armadas”, afirmou o presidente. “Somos um país livre.”

Por Reinaldo Azevedo

Depoimentos sobre aborto

 

Blogueiro Ricardo Gama cavando a sua cova com as próprias mãos: vale a pena?

 

Homossexuais que desejam mudar: para CFP, é proibido ajudar

 

O POVO ONLINE

02.07.12 09:42

Por: Ricardo Marques

Está sendo questionada, na Câmara Federal, a polêmica resolução do Conselho Federal de Psicologia que se arvora a proibir os psicólogos brasileiros de ajudarem homossexuais que voluntariamente desejam se libertar do homossexualismo.

Vários psicólogos, cristãos e não-cristãos, têm se posicionado contra essa Resolução descabida. E o assunto chegou às redes sociais.

No Facebook, em http://www.facebook.com/groups/psicologosdobrasil/permalink/426191500754543/, o psicólogo Luciano Garrido postou um manifesto contra a Resolução. Embora ele ache que o homossexualismo não é um desvio ou transtorno, no que discordo, Luciano, inteligente e coerente, considera a Resolução do CFP um abuso inaceitável.

Claro, basta isso para a pessoa ser atacada pelo ódio, pela violência e pela intolerância dos ativistas político-ideológicos que há anos vêm dominando boa parte da sociedade, incluindo conselhos profissionais, mídias, instâncias governamentais, assessorias parlamentares, etc., tornando-o, cada nicho desses, uma espécie de falange do agressivo e perseguidor movimento ativista LGBT.

Ainda bem que não sou formado em Psicologia e não tenho que depender de conselhos dominados por grupos político-ideológicos que usam do poder para legislar em favor dos próprios interesses.

A bem da verdade, o papel dos conselhos profissionais deveria ser outro, e não o de tentar fazer reserva de mercado. Isso só acontece nesse Brasil sem eira nem beira. Para se ter uma ideia do nível de aberrações impositivas e restritivas promovidas por alguns conselhos profissionais brasileiros, fico imaginando se os pais da Psicologia, que foram biólogos (como Piaget e outros) e médicos (como Jung e outros) fossem vivos e quisessem, hoje, trabalhar como psicólogos no Brasil, os veríamos ridiculamente impedidos, o CFP e os CRP proibindo a atuação deles, como se a falta de um diploma da faculdade de psicologia e/ou de um registro no conselho da categoria fosse determinante da qualificação e da competência dessas pessoas… Imaginem o biólogo Jean Piaget, um dos pais da moderna Psicologia e reputado na literatura como um dos “grandes psicólogos da história”, sendo proibido de trabalhar como psicólogo porque o diploma dele é de outro curso, e por não estar registrado no conselho de psicologia? Seria hilariante… Ou apavorante?

Algo está muito errado e precisa ser repensado e refeito. Em países mais desenvolvidos podemos ver que os profissionais têm liberdade mais ampla de atuação, sendo papel dos conselhos profissionais (que, na verdade, lá costumam ser apenas associações, essa coisa de conselho é maluquice daqui) apenas manifestar-se, opinando, sem deter o poder de impor caráter restritivo ao exercício da profissão – ainda mais tirando do paciente o direito de buscar ajuda, e do profissional o direito de ajudar.

Conheço terapeutas nos EUA e na Europa, psicólogos e não-psicólogos, que ajudam homossexuais que voluntariamente desejam se libertar do transtorno do homossexualismo, e não há conselhos de classe tentando proibir ou punir isso – o máximo que as associações profissionais podem fazer, sendo dominadas pelo movimento ativista LGBT, é recomendar ou não recomendar, e só. Segue quem quer, as pessoas são livres.

Além disso, na referida discussão no Facebook, sobre o manifesto do Luciano Garrido, algum defensor da Resolução do CFP lançou uma interessante pergunta: “por que não se vê hetero buscando ajuda para virar homo?”. Puxa, tentarei responder à luz do que a ciência e a experiência têm mostrado até aqui: NUNCA se vê hetero buscando ajuda para virar homossexual por um fato muito simples: heterossexualidade NÃO É orientação sexual, pois orientação sexual não existe, é coisa inventada, conceito fabricado pelo establishment acadêmico, hoje servil ao dito movimento. Heterossexualidade é A condição natural do indivíduo, o resto é DESorientação. Simples assim.

Justamente por isso é que pode ser revertida, como provam milhares de casos mundo afora – eu, pessoalmente, conheço algumas dezenas, inclusive de travestis e transgêneros. E as recaídas, bem como aqueles que não vão até o fim na tentativa de mudança, não se constituem evidência contrária ao sucesso das tentativas de “reorientação”. Se fosse assim, os Alcoólicos Anônimos, os Dogradictos Anônimos, os DAS (Dependentes de Amor e Sexo), etc., não existiriam mais, pois são muitos os casos de recaída, tal como daqueles que acham que não conseguem se libertar do vício e se entregam de vez a ele – entretanto, também são muitos os que conseguem, e é isso que conta, não é?

E é assim também com o homossexualismo e outros transtornos de conduta sexual.

Brasil perde 32 posições no Índice Global da Inovação

 

INSTITUTO MILLENIUM

5 de julho de 2012
Autor: Comunicação Millenium

O Brasil foi do 7º para o 39º lugar no Índice Global da Inovação. A queda de 32 posições aconteceu de 2011 para 2012 e foi divulgada pelo Instituto Europeu de Ensino (Inseade) em parceria com a Organização Mundial de Propriedade Intelectual (Wipo) na última terça-feira, 3 julho.

O principal responsável pela má atuação brasileira foi o indicador de criatividade. O país ficou em 54º lugar nesse quesito. A queda na criação de novos modelos de negócio e de marcas globais são os fatores responsáveis pela avaliação negativa do processo criativo.

O país também perdeu posições no ranking geral, que mede a produção de inovação sem distinguir as diferenças no nível de desenvolvimento econômico dos países. O Índice Global é feito desde 2007, a partir de 82 indicadores de mercado de 142 países.

Confira o ranking global da inovação:

índece global de inovação Brasil perde 32 posições no Índice Global da Inovação

A maior parada gay do mundo encolhe dramaticamente


JULIO SEVERO

5 de julho de 2012

Matthew Cullinan Hoffman

20 de junho de 2012 (LifeSiteNews.com) — Com o apoio financeiro e moral das mais elevadas autoridades do Brasil, as paradas gays brasileiras há muito tempo são rotuladas como as maiores do mundo, com a cidade de São Paulo se gabando de ser a número um. Estimativas generosas da Polícia Militar ofereceram os números aparentemente impossíveis de entre 2 e 4 milhões de participantes no evento anual, uma estatística que teve o apoio entusiástico dos organizadores da parada e que foi servilmente repetida pelos meios de comunicação internacionais.

Contudo, a parada deste ano ofereceu um quadro completamente diferente. Depois de um estudo comissionado pelo Instituto Datafolha do jornal Folha de S. Paulo em 2011, o qual desmascarou a natureza desenfreadamente inflada dos números de comparecimento do ano passado, a Polícia Militar se recusou a dar qualquer estimativa do comparecimento da parada deste ano. O Instituto Datafolha, porém, diz que a Parada do Orgulho LGBT de 2012 trouxe apenas 270.000 pessoas, um número que representa uma pequena fração de estimativas anteriores e atuais dos organizadores.

Mas deixando de lado os números conflitantes, os meios de comunicação do Brasil e a Polícia Militar estão de acordo num fato: a parada deste ano foi muito menor do que a do ano passado. Embora os organizadores da parada do “orgulho gay” estejam em última análise afirmando a estatística fisicamente impossível de 4,5 milhões de participantes neste ano, depois de inicialmente hesitar dar uma estimativa, a Polícia Militar teve uma opinião diferente. “Havia muito menos gente do que em 2011”, o Coronel Marcelo Prado disse para a revista Veja.

“Com menos orçamento, mais comportada e muito vigiada, a 16ª Parada do Orgulho LGBT deste ano encolheu”, comentouVeja. “Pela primeira vez na história do evento, a organização não divulgou oficialmente o público que compareceu à Avenida Paulista na tarde deste domingo. Para a Polícia Militar e o público presente, o evento atraiu muito menos gente do que nas edições anteriores”.

O comparecimento mais baixo se refletiu também no número de intervenções médicas por embriagues e outras causas. Embora as depravações características da parada gay, inclusive atos sexuais públicos, fossem ainda um problema, o número de casos médicos caiu de 500 no ano passado para apenas 100 neste ano.  

A parada também viu um grande corte nas verbas que recebe. Embora tenha recebido grandes subsídios em anos passados de autoridades governamentais e empresários favoráveis, o orçamento deste ano caiu em aproximadamente 120 mil reais.

Políticos abandonam depois de polêmica

Acentuadamente ausente da parada estavam os políticos e candidatos à prefeitura. Em anos anteriores, eles estavam com muito mais vontade de se associarem à parada. De acordo com o serviço noticioso Brazil 247, neste ano apenas dois candidatos à prefeitura marcharam no evento, e apenas um se sentou na plataforma com os organizadores: Fernando Haddad, ex-ministro da Educação cuja pretensão à fama é a criação dos “kits gays” para escolas que incluíam um vídeo tão obsceno que a presidenta Dilma Rousseff foi forçada a repudiá-los publicamente e ordenar uma reformulação da campanha.

“Os pré-candidatos que não estiveram na Parada ou não se interessaram em fazer contato e conhecer quem somos, e são pessoas que não têm uma visão ampliada da política, ou não querem diminuir a diferenciação e o preconceito”, se queixou Fernando Quaresma, presidente da Associação da Parada do Orgulho Gay.

O comparecimento esparso tanto do público quanto dos políticos na Parada do Orgulho Gay deste ano reflete uma oposição crescente da sociedade brasileira ao movimento homossexual, que há anos busca a aprovação de leis que proibirão críticas ao estilo de vida homossexual.

A parada de 2011 só serviu para acentuar o conflito entre ativistas gays e a Igreja Católica, denominação à qual a maioria dos brasileiros pertence. Os participantes da parada gay zombaram dos santos católicos abertamente, apesar das leis que proíbem tratamento desrespeitoso às convicções religiosas. Quando o televangelista evangélico Silas Malafaia denunciou as profanações, ele foi ameaçado de processo legal por parte de autoridades do governo da presidenta brasileira Dilma Rousseff, membro do Partido dos Trabalhadores que está no governo e é favorável ao homossexualismo.

Rousseff teve uma vitória apertada nas eleições de 2010 depois de cair nas pesquisas de opinião pública devido às suas posturas de defesa do aborto e do homossexualismo. Ela acabou assinando uma declaração prometendo não iniciar legislação para legalizar o aborto, nem proibir críticas ao estilo de vida homossexual.

Recentes pesquisas de opinião pública indicaram que, apesar da incessante promoção da agenda homossexual feita pelo Partido dos Trabalhadores, uma grande maioria dos brasileiros continua a se opor ao “casamento” e uniões civis homossexuais.

Traduzido por Julio Severo do artigo de LifeSiteNews: World’s ‘biggest’ gay pride march shrinks dramatically: politicians abandon

Fonte: www.juliosevero.com

Parada do orgulho porco

Cadê os 4 milhões da parada gay de São Paulo?

Governo brasileiro exige pedido de desculpas de Silas Malafaia por “homofobia”

Silas Malafaia: uma vitória por quanto tempo?

wibiya widget

A teoria marxista da “ideologia de classe” não tem pé nem cabeça. Ou a ideologia do sujeito traduz necessariamente os interesses da classe a que ele pertence, ou ele está livre para tornar-se advogado de alguma outra classe. Na primeira hipótese, jamais surgiria um comunista entre os burgueses e Karl Marx jamais teria sido Karl Marx. Na segunda, não há vínculo entre a ideologia e a condição social do indivíduo e não há portanto ideologia de classe: há apenas a ideologia pessoal que cada um atribui à classe com que simpatiza, construindo depois, por mera inversão dessa fantasia, a suposta ideologia da classe adversária. Uma teoria que pode ser demolida em sete linhas não vale cinco, mas com base nela já se matou tanta gente, já se destruiu tanto patrimônio da humanidade e sobretudo já se gastou tanto dinheiro em subsídios universitários, que é preciso continuar a fingir que se acredita nela, para não admitir o vexame. Olavo de Carvalho, íntegra aqui.
"Para conseguir sua maturidade o homem necessita de um certo equilíbrio entre estas três coisas: talento, educação e experiência." (De civ Dei 11,25)
Cuidado com seus pensamentos: eles se transformam em palavras. Cuidado com suas palavras: elas se transformam em ação. Cuidado com suas ações: elas se transformam em hábitos. Cuidado com seus atos: eles moldam seu caráter.
Cuidado com seu caráter: ele controla seu destino.
A perversão da retórica, que falseia a lógica e os fatos para vencer o adversário em luta desleal, denomina-se erística. Se a retórica apenas simplifica e embeleza os argumentos para torná-los atraentes, a erística vai além: embeleza com falsos atrativos a falta de argumentos.
‎"O que me leva ao conservadorismo é a pesquisa e a investigação da realidade. Como eu não gosto de futebol, não gosto de pagode, não gosto de axé music, não gosto de carnaval, não fumo maconha e considero o PT ilegal, posso dizer que não me considero brasileiro - ao contrário da maioria desses estúpidos que conheço, que afirma ter orgulho disso". (José Octavio Dettmann)
" Platão já observava que a degradação moral da sociedade não chega ao seu ponto mais abjeto quando as virtudes desapareceram do cenário público, mas quando a própria capacidade de concebê-las se extinguiu nas almas da geração mais nova. " Citação de Olavo de Carvalho em "Virtudes nacionais".