Loja OLAVETTES: produtos Olavo de Carvalho

Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro concede Medalha Tiradentes a Olavo de Carvalho. Aqui.

sábado, 29 de maio de 2010

GRAVE EQUÍVOCO II!

HEITOR DE PAOLA



GRAVE EQUÍVOCO II!


HEITOR DE PAOLA


29/05/2004


Quando eu disse aqui que imaginava que o Brasil tinha dado uma cartada de mestre no acordo com Turquia e Irã, não podia saber que até especialistas já desconfiam de que o interesse do Brasil é defender seu próprio programa nuclear secreto para obter a bomba através das centrífugas de Aramar - numa triangulação La Paz-Brasília-Teerã. Pois selecionei vários links que leitores me mandaram e os disponibilizo aqui. Enquanto isto, a mídia supostamente oposicionista - mas nada mais que a serviço da tucanálha com o objetivo explícito de achincalhar o governo Lula até mesmo fazendo genuflexão ao Obaminável homem do Quênia, subitamente travestido de grande líder mundial - continua dizendo que tudo não passou de uma gafe. Para mim, isto só confirma que não há oposição real neste país, Lula e FHC, o tucanálha mor, acabaram com ela! Traduzí dois artigos e o resto vai aqui como link para publicações em inglês.




John Rosenthal


Weekly Standard, May 19, 2010


Segundo relatos o Departamento de Estado apoiou a visita do Presidente brasileiro, Luiz Ignácio Lula da Silva a Teerã no último fim de semana. Um funcionário não identificado do Departamento teria dito que a viagem representava “talvez a última tentativa de chegar a um compromisso” no conflito a respeito do programa nuclear do Irã. Mas podemos imaginar de que lado está Lula. E não apenas porque Lula fez uma escala em Moscou antes de ir a Teerã, tentando conseguir um compromisso do Presidente Dimtry Medvedev não apoiar novas sanções ao Irã. Nem somento porque Lula aproveitou a oportunidade de sua suposta “mediação” para anunciar que o Brasil estaria adiantando um crédito de mais de um bilhão de dólares ao Irã para incrementar as exportações brasileiras para o país. O negociador oficial iraniano Behrouz Alishiri teria entusiasticamente predito que o comércio Brasil-Irã iria aumentar para dez bilhões de dólares nos próximos anos.


Acima de tudo há razão para duvidar em função de numerosos sinais deque o Brasil está trabalhando em seu próprio programa nuclear. A evidência é discutida num recente trabalho do expert alemão em segurança nuclear Hans Rühle. O trabalho está disponível em inglês no German Council on Foreign Relations (leia artigo no Der Spiegel e no Atlantic-Community.org). Rühle salientou que no documento Estratégia de Defesa Nacional de 2008, o Brasil confirmou seu status como membro do Tratado de Não Proliferação Nuclear, mas também deixou claro que “o Brasil não concordará com nenhuma restrição adicional ao TNP até que as nações que possuem armas nucleares façam progresso no seu próprio desarmamento”. Concretamente, segundo aponta Rühle, isto significa que o Brasil não assinará o protocolo adicional de 1997 para permitir inspeções ampliadas da AIEA e, particularmente, recusaria qualquer tentativa de clarificar o programa de seu submarino nuclear.


Hans Rühle escreveu: Por que tanto segredo? O que haverá no desenvolvimento de pequenos reatores para propulsão de submarinos que o Brasil está tão ansioso em esconder? Finalmente, por várias décadas as maiores potências tiveram acesso a sistemas desta natureza. A resposta para esta pergunta é simples, mas não é fácil de admitir: nas instalações que são declaradamente para produzir combustível para submarinos, o Brasil está também, provavelmente, trabalhando em algo mais – armas nucleares.




Posted on May 15th, 2010


Joe Listo escreveu:


O artigo abaixo pode levantar algumas discussões (ou pelo menos, algumas risadas) entre WAISers, os leitores da World Associations of International Studies. Nada disto aparece na imprensa brasileira. Lula está hoje (15/05) na Rússia em sua ida para Teerã para resolver os assunto entre o Irã e o resto do mundo.  Ele disse que suas chances de sucesso são perto de 99%. É muito, considerando que apenad alguns anos atrás ele nem sabia que o Irã existia. O autor está totalmente errado. Já temos a bomba é o Lula.


SPIEGEL International Online


Está o Brasil desenvolvendo a bomba?


Em 1990 os militares brasileiros estavam a ponto de construir a bomba. Mas nunca chegaram a isto. Durante a democratização do Brasil os programas nucleares secretos foram abandonados. O flerte do Brasil com a bomba aparentemente terminou.


Mas sob Lula da Silva, no entanto, este flerte foi reiniciado e os brasileiros estão ficando cada vez menos hesitantes em brincar com sua opção nuclear. Apenas alguns meses após a posse de Lula em 2002 o país reiniciou oficialmente o desenvolvimento de um submarino nuclear.


O governo brasileiro também deixou claro que não tem a intenção de assinar o protocolo adicional do TNP que requer a abertura prévia para inspeções de instalações não declaradas.


Em janeiro de 2009, durante um encontro do Nuclear Suppliers Group, o representante brasileiro fez o máximo para combater as exigências que tornariam transparente o programa do submarino nuclear.


Por que tanto segredo? O que precisa permanecer Escondido sobre o desenvolvimento para combustível nuclear, sistemas que vários países já têm há décadas? A resposta é simples, embora preocupante: o Brasil está provavelmente desenvolvendo algo mais naquela instalação que são declaradamente para submarinos nucleares: armas nucleares. 


Sobre o autor: Hans Rühle, 72, foi Diretor do grupo de planejamento do Ministério da Defesa da alemanha de 1982 a 1988.


THE END OF NUCLEAR DIPLOMACYBret Stephens
Wall Street Journal, May 18, 2010


BRAZIL’S IRAN DEAL ALIBI: OBAMA SAID IT WAS OKAY
Jonathan Tobin
Contentions, May 27, 2010


BRAZIL AND TURKEY: MEDIATORS FOR WHAT?Emily B. Landau
Jerusalem Post, May 18, 2010




Aécio desiste de ser vice de Serra, e a dúvida é se a Oligarquia Financeira Transnacional apostará em Dilma

ALERTA TOTAL
Edição do Alerta Total - www.alertatotal.net
Leia também o Fique Alerta – www.fiquealerta.net (atualizado nesta Sexta)

Sexta-feira, 28 de maio de 2010

Por Jorge Serrão


O mistério acabou. Aécio Neves vem mesmo candidato ao Senado por Minas Gerais. O neto de Tancredo Neves confirmou ontem que não será o vice de José Serra na sonhada chapa puro-sangue à presidência da República. Apesar das intensas articulações nos últimos dias, Aécio voltou de férias no exterior e logo anunciou sua decisão conservadora de deixar para outra vez (que nem pode ocorrer) a disputa pelo Palácio do Planalto.

O recuo de Aécio só aumenta uma dúvida crucial: quem é o candidato preferido da Oligarquia Financeira Transnacional para suceder Lula? Os clubes de poder global alimentam sérias dúvidas sobre a consistência de Dilma Rousseff não para ganhar a eleição, mas para governar a partir de 2011. Também desconfiam de José Serra, que sempre lança ameaças de instabilidade contra o sistema financeiro e o Banco Central. Aécio é o queridinho dos banqueiros internacionais, mas não conseguiu viabilizar sua candidatura ao trono de $talinácio.

Com a decisão, Aécio pode ter sepultado seu sonho de um dia ser Presidente do Brasil. Se Dilma vencer este ano, ela disputa a reeleição ou abre caminho para o retorno de Lula em 2014. Se Serra vencer – e não for mudada a fórmula legislação – ele teria direito a tentar um novo mandato. Aécio ficaria sem opções, ou teria de esperar para ser presidente na disputa de 2018. A não ser que largue o PSDB no meio do próximo mandato, e venha candidato por outro partido, disputando com Dilma ou Serra a sucessão de 2014. Por enquanto, tudo é futurologia política.

O que fica na memória é que, anos atrás, Aécio fora eleito pelo grande capital para ser o presidente do Brasil a partir de 2001. Nada custa recordar que Aécio Neves participou, no dia 16 de maio de 2004, de uma mega-festa na mansão inglesa dos Rotschild. O evento fechadíssimo era em homenagem ao empresário Mário Garnero, do grupo Brasilinvest. Aécio Neves foi um dos coroados a ter o privilégio de entrar na famosa “Spencer House”, uma construção do século XVIII que pertence a Lorde Jacob Rothschild, usada apenas em ocasiões especiais. No Great Room do andar superior da mansão histórica, Lord Rotschild ergueu uma taça em homenagem a Garnero e proclamou que o neto de Tancredo seria “o futuro Presidente do Brasil”, em 2010.

A previsão falhou. Nem vice Aécio será. Resta-lhe o Senado – casa que tem cacife para presidir, como prêmio de consolação.

Cascatinha
O presidente nacional do PSDB, senador Sérgio Guerra contou ontem uma menritinha.

Alegou ontem que o ex-governador de Minas Gerais Aécio Neves já estava descartado como vice na chapa de José Serra há seis meses.

Como não deram certo as recentes articulações para formar a chapa puro-sangue, agora o negócio é contar uma historinha do Boi Tatá e correr atrás de um vice para Serra, até a convenção partidária de 12 de junho.

Acidente com Presidente da Polônia: Acidente ou Assassinato?

A NOVA ORDEM MUNDIAL

FRIDAY, 28 MAY 2010

A tempos queria escrever um post sobre o "acidente" com o presidente da Polônia e as circunstâncias para lá de suspeitas em que ele aconteceu. Neste post vou expor algumas das motivações, as inconsistências da versão oficial, um vídeo que teria sido feito após o acidente, cuja autenticidade foi confirmada pelo serviço secreto polonês, onde policiais estariam atirando em sobreviventes e algumas novidades, como que o serviço secreto polonês afirmou que o vídeo fosse autêntico e que se descobriu 3 vozes estranhas dentro da cabine do avião logo antes do acidente.

Vamos primeiro ver as motivações que levariam a um assassinato do presidente da polônia:

Rejeição a Política de vacinacão em massa contra o H1N1

Vimos meses atrás como a Polônia foi o único país que não se sujeitou às políticas de vacinação em massa impostas pela OMS e os laboratórios farmacêuticos. Neste artigo, de junho de 2009, a Polônia se dizia desconfiada da vacinação e das exigências dos fabricantes de vacinas. Neste outro, A ministra polonesa da Saúde, Ewa Kopacz, afirmou que os governos "não devem ser reféns dos laboratórios", explicando que a Polónia decidiu recusar encomendas de vacinas contra a pandemia por causa das condições impostas pela indústria, que pareceram "pelo menos duvidosas". Kopacz também afirmou que os laboratórios recusaram assumir responsabilidade por quaisquer efeitos nefastos das vacinas. Alíás, porque então seria diferente com o Brasil?

Temos ainda este post, no qual mostramos como a Polônia foi elogiada pelo Conselho da Europa por sua estratégia de não vacinação durante a gripe suína.



Rejeição a extensão de crédito do FMI

12 dias antes do acidente, durante uma visita à Varsóvia do diretor do FMI, Dominique Strauss-Kahn, o banco central da polônia emitiu uma declaração afirmando que o país ex-comunista já não precisava de ajuda do FMI:

"A situação da economia polonesa e do sistema financeiro é suficientemente boa ... de tal forma que não é necessário pedir ao FMI para uma nova extensão da linha de crédito flexível. O banco central disse que poderia ao invés fazer um empréstimo do FMI para "ajudar outros países a superar os efeitos da crise global.""

A Polônia é o único país que não está em recessão na Europa, é até cresceu 2,75% este ano e 1,7% no ano passado, e as projeções de crescimento são ainda maiores para o próximo ano. Sua dívida é muito baixa quando comparado com outros países em cerca de 50% do seu PIB.

Ameaça a vetar os planos da EU contra mudanças climáticas

Em 2008, a Polônia e a Itália foram os únicos países a ameaçarem vetar os planos da União Européia em relacão às alterações climáticas.

Inconsistências

Alegações que o avião tentou aterrissar várias vezes devido a forte neblina

Apesar de relatos do avião ter tentado pousar 3 vezes em meia a forte neblina, um oficial da aviação russa afirmou à BBC que o avião tentou pousar apenas uma vez. uas outras evidências contradizem a história oficial da neblina: o vídeo amador (que pode ser visto mais abaixo) mostra que não havia nenhuma neblina na área. A outra evidência é que geralmente neblina requer 100% de humidade (a não ser que tenha sido criada artificialmente), e pelo que pode ser visto na informação sobre o tempo em Smolensk, a humidade era de apenas 60%.


Alegações que o Tupolev TU-154 teria histórico de problemas de segurança


Apesar da mídia ter alardeado sobre possíveis problemas de segurança deste modelo de Tupolev, outras fontes informam que este tinha acabado de ter sido revisado, seus três motores reparados e colocados novos equipamentos eletrônicos e de navegação.
O avião também tinha sido instalado um radar TAWS, ou "Sistema de Aviso de Terreno", que teria disparado um alarme antes de se chocar com uma árvore, que é o que consta dos relatos oficiais.

Alegações que o piloto não falava russo 

Vários jornais relataram que o piloto no falava russo e isto gerou confusão durante a aterrissagem. Mas colegas do piloto relataram que este era fluente em russo.

Luzes desligadas no aeroporto

De acordo com o jornal polonês TVN, as luzes foram desligadas na pista, e luzes foram colocadas na foresta de forma a enganar o piloto. Literalmente, falsas lâmpadas foram colocadas e então removidas após o acidente. De acordo com o jornal, quando reporteres questionaram sobre as luzes, foram mandados embora.


Radar desligado antes da visita 

De acordo com um artigo da infowars, o rador no aeroporto militar onde o avião presidencial pousaria foi desabilitado após um encontro do primeiro ministro polonês Tusk e Putin uma semana antes do acidente, em uma importante reunião para a qual o presidente e políticos polacos não havia sido convidados.

Corpos

Supostamente, os corpos foram enviados para Moscou e eventualmente contabilizados. Mas isto contradiz a gravação da voz do piloto, no qual relata que havia apenas 4 pessoas a bordo.
PILOTO: “tolko posadka… a u nas CZIETYRJE czielovieka.” 
“apenas pousando… e aqui a bordo nós somos apenas QUATRO pessoas”
Provavelmente os supostos passageiros foram levados para outra localização.

Vídeo amador é genuíno


Um vídeo amador postado no youtube, onde pode ser vistos a área do acidente, mostra policiais dando tiros e vítimas correndo e sendo mortas.

De acordo com o jornal polonês Polska Web, os tiros no vídeo amador do local do acidente Tupolev são verdadeiras, segundo o jornal polonês "Nasz Dziennik", citando fontes do serviço secreto polonês.

Agentes do serviço secreto polonês estavam entre os primeiros no local do acidente, alegadamente correndo lá para proteger o corpo do presidente Lech Kaczynski.

No entanto, verificou-se que o Ministério Público polaco não tem idéia de onde o telefone por satélite de Kaczynski está, de acordo com Polskaweb, embora Kaczynski muito provável teria o telefone próximo a ele na sua hora da morte.

De acordo com meios de comunicação social polaca. agentes poloneses criaram um cordão de isolamento ao redor do corpo de Kaczynski e dispararam tiros de advertência para manter os russos fora.

Essa história não corresponde com as imagens e os diálogo no filme de vídeo amador, que sugerem claramente quatro sobreviventes do acidente foram baleados, o que provocou temores de que os investigadores polacos estariam envolvidos em um encobrimento do assassinato da elite polonesa.

A seguir você pode ver o vídeo que a história acima menciona. Abaixo do vídeo está a tradução do diálogo:



00:13 Calma!
00:18 Olhe-o nos olhos.
00:22 Calma!
00:29 Oh, meu Deus!
00:30 Todas elas!
00:31 Mate-os!
00:38 (sirene soando no aeroporto)
00:45 cercam! Vá ao redor! Ele está fugindo!
00:47 Me dê uma arma.
00:49 Vem cá, seu bastardo!
00:50 Matem-no!
00:51 Não nos matem.
00:51 Não nos matem.
00:55 Meu Deus, meu Deus, o que é isso?
00:55 Shoot.
00:56 (Ruído recarregamento a arma)
00:57 (Tiro # 1)
01:01 Você nunca vai fugir com ele!
01:07 (Tiro # 2)
01:09 (risos)
01:13 Mudança de planos - voltar!
01:14 Voltem todos - mais rápido!
01:14 (Tiro # 3)
01:17 (Tiro # 4)
01:20 Vamos sair daqui.

Neste outro vídeo abaixo, Jane Burguemeister faz um resumo dos acontecimentos em torno do acidente com o presidente da Polônia.



Neste outro vídeo, o jornalista Olavo de Carvalho comenta sobre o caso:




Vozes estranhas na cabine do avião

O jornal australiano ABC News reportou neste 19 de maio que oficiais russos identificaram 3 vozes dentro da cabine do avião logo antes deste cair que não pertenciam a ninguém da tripulação. Eles ainda não identificaram a quem as vozes pertenciam ou o que eles disseram.

O que aconteceu com a Polônia desde então?

Desde o acidente de avião a Polônia teve várias mudanças em sua política, concretizadas desde que o novo primeiro ministro, Bronisław Komorowski, desde que assumiu o cargo.

Marek Belka, diretor do departamento europeu do FMI, ex-primeiro ministro da Polônia e membro do Clube Bilderberg foi nomeado o novo diretor do banco central da Polônia. A nomeação de Marek acontece mais de um mês depois da morte de Slawomir Skrzypek, que era o chefe do banco central, e sendo que a atual prosperidade da Polônia foi atribuída à suas ações.

Também foi sinalizado que a Polônia muito em breve adotaria o euro, o principal instrumento dos globalistas para endividar países e derrubar suas economias.
Além disto, várias privatizações foram anunciadas,.

Atencão: Este artigo poderá ser atualizado com mais informacões que surgirem.

Fontes:
Polska Web: Shots on amateur video genuine, say Polish secret services 
ABC Austrália: Unknown voices in cockpit before Polish plane crash 

Dalje: Poland no longer needs IMF credit line 
EU Observer: Italy, Poland threaten to veto EU climate package
BBC: Was Polish crash pilot under pressure to land? 
PolskaWeb: Polens neuer Nationalbank-Chef in Deutschland gebackenLink

Notícias relacionadas :

nova ordem mundial

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Como surgiu a MENTALIDADE REVOLUCIONÁRIA? Quem pariu o "novo mundo possível"?




Em fevereiro de 2007 Olavo de Carvalho nos mostra o início da imbecilidade que assola o mundo, pelo menos o ocidental, e sua "evolução" até nossos dias.

É parte do programa de rádio (TrueOutspeak) do dia cinco, ouçam abaixo o trecho, absolutamente essencial para a compreensão do que nos acomete. Abaixo, o programa inteiro.




Nas escolas, a difamação contra o agronegócio

ESCOLA SEM PARTIDO



Luis Lopes Diniz Filho


O agronegócio é o setor de atividade que vem sofrendo os piores e mais injustificados ataques por parte de amplos setores da imprensa e do sistema de ensino, sem falar nos ditos “movimentos sociais”. Já participei de duas mesas redondas sobre agricultura, em eventos dirigidos a pesquisadores e professores, e procurei refutar as visões distorcidas que vêm sendo divulgadas sobre o assunto. Os dados estatísticos e a bibliografia que utilizei para elaborar tais refutações podem ser consultados no artigo Agricultura e Mercado no Brasil. Neste texto, vou destacar apenas algumas teses da geografia escolar brasileira sobre agricultura e as evidências que demonstram os equívocos que vêm sendo transmitidos a crianças e adolescentes nas últimas três décadas.
A primeira distorção é a tese de que a produtividade agrícola só aumenta nos setores de exportação, conforme dizem o MST e muitos livros didáticos, como os de José William Vesentini. Ora, os dados do IBGE mostram que, sobretudo dos anos 80 em diante, culturas como as de tomate, cebola, batata, arroz e feijão alcançaram ganhos expressivos de rendimento físico, geralmente maiores do que aqueles verificados nas culturas de soja, laranja e cana.

Outra distorção é essa ideia de que a agropecuária brasileira se divide ainda num segmento de exportação e noutro de mercado interno. Essa tese é falsa simplesmente porque a maior parte da produção de soja, óleos vegetais em bruto e carne bovina do Brasil é consumida no mercado interno mesmo. Além disso, a expansão da indústria de alimentos vem alterando o padrão de consumo alimentar da população brasileira, de sorte que a alimentação dos mais pobres já não é mais tão dependente do arroz, feijão e mandioca como era há algumas décadas atrás.

Daí ser completamente absurda a visão de que o Brasil estaria vivendo o paradoxo da fome em meio à abundância de produtos agrícolas. A Pesquisa de Orçamentos Familiares 2002-2003 - POF, do IBGE, comprova que a exposição das pessoas à desnutrição declinou de forma rápida nas últimas décadas, até quase desaparecer. No período dessa pesquisa, a desnutrição atingia apenas um pequeno percentual da população feminina das áreas rurais do Nordeste e das mulheres do estrato mais pobre da população brasileira, formado pelas famílias com rendimento mensal per capita de até um quarto de salário mínimo. De outro lado, essa mesma fonte mostra que 24% dos homens e mais de 40% das mulheres desse estrato estavam então com excesso de peso ou obesidade!

Mas é claro que, diante disso, algum leitor poderia perguntar se tais informações não são contestadas pelos indicadores de segurança alimentar, segundo os quais há no Brasil cerca de 14 milhões de pessoas que passam fome. A verdade, porém, é que os dados de segurança alimentar não desmentem os resultados da POF. Ao contrário, são as informações desta última que revelam a fragilidade e incoerência da pesquisa sobre segurança alimentar, conforme explico em detalhes no artigo já mencionado.

Mas o interessante é que, embora a reação da maioria dos ouvintes às minhas palestras tenha sido negativa, a ninguém ocorreu contestar os resultados da POF com a citação de dados sobre segurança alimentar. Ao invés disso, os pesquisadores e professores que me contestaram fizeram uso de argumentos puramente retóricos ou saídos do senso comum, como esses abaixo:
A questão agrária é mais complexa”. Ela “envolve uma multiplicidade de fatores”. Ora, mencionar outros fatores, por si só, não invalida em nada o diagnóstico de que a desnutrição está no fim. O que se tem aí é apenas uma retórica que procura descartar uma avaliação baseada em dados sem discutir sua consistência lógica e empírica.

Não é isso o que a gente vê na rua”. “Você já visitou a periferia de Curitiba ou o Nordeste? Já viu a soja partindo do Porto de Paranaguá?”. Esse argumento supõe que o IBGE deveria ser fechado, pois mobiliza milhares de pesquisadores e gasta milhões de Reais para fazer pesquisas cujos resultados podem ser derrubados por uma única pessoa em visita a certos lugares. Esse tipo de argumento demonstra que alguns professores não entendem que a função das estatísticas é permitir fazer generalizações com base em um número relevante de observações.

O simplismo dos argumentos demonstra que o agronegócio continuará sendo difamado diariamente por professores e autores de livros didáticos que falam sobre agricultura e fome sem nunca terem consultado a POF e as informações do IBGE sobre produtividade agrícola. A visão torta dos professores deriva da má qualidade dos livros didáticos e também da falta de leituras outras que não a desse tipo de livro. Mas a causa principal está mesmo é no alinhamento incondicional dos professores e pesquisadores aos movimentos de “luta pela terra”. É por se apegarem aos dogmas ideológicos de organizações como o MST que os professores persistem no engano mesmo quando confrontados com indicadores que nunca tinham se dado ao trabalho de consultar. Como diz o ditado: “o pior cego é aquele que não quer ver”.

É tudo uma questão de prazer epicurista ou o mundo do Peter Pan



nivaldocordeiro  26 de maio de 2010 — A queda da taxa de natalidade na Alemanha é um fenômeno ligado à crise estrutural do país, espelho da crise de toda zona do euro.

NIVALDO CORDEIRO - Serra declara guerra às FARC



nivaldocordeiro  27 de maio de 2010 — Comento as declarações de José Serra sobre o corpo mole que o o governo boliviano de Evo Morales faz, permitindo o tráfico de drogas pela fronteira com o Brasil. Isso equivaleu a uma declaração de guerra às FARC e ao Foro de São Paulo.

REFRESCANDO A CUCA

ViVerdeNovo

SEXTA-FEIRA, 28 DE MAIO DE 2010

Por Arlindo Montenegro


Existem fatos para os quais pouca gente atenta, mesmo as pessoas contrárias à marcha dos acontecimentos que desfiguram a nação. Quem deseje conhecer mais sobre o significado das ações que nos encaminham para a ditadura total, pode encontrar a história dos antecedentes brasileiros de vários intentos comunistas para colocar as garras sobre a nação. A fonte de consulta é o site http://www.averdadesufocada.com/. Quem quiser pode baixar e ler o livro documento, sobre a resistência das Forças Armadas contra o terrorismo que os comunistas espalharam, em varias ocasiões da história, tentando chegar poder.


O "Orvil", (livro ao contrário) é apenas uma descrição dos fatos, direta, objetiva, despida de qualquer pretensão literária em suas mais de 900 páginas. No mesmo site, está a notícia do lançamento da 5ta. Edição do testemunho do Cel. Brilhante Ustra, “A verdade sufocada” também escrito em linguagem direta, acessível, sem maquiagens, achismos ou suposições. Apenas fatos. Como deveriam ser todos os registros históricos.


A propósito, destacamos algumas anotações de José Carlos Pedrosa, sobre estas histórias mal contadas: "A líder do grupo, terrorista que tinha os codinomes Estela, Luiza, Patrícia e Wanda, era chamada de "Joana D'Arc da subversão". Com sua colega de quarto, conseguiu penetrar em um quartel e roubar armas e munição, levando tudo para a pensão em que moravam. Hoje seria muito bem chamada de Joana D'Arc da corrupção."


"A esquerda brasileira cometeu crimes absurdos, matou inocentes, esquartejou, dilacerou corpos e parece que não se lembra de nada. Acusa os militares de terem cometido crimes de tortura, mas não fala nas torturas praticadas pelos terroristas. As vítimas, militares e civis, pontilharam com sangue o caminho desses bandidos." Esta é a parte da "memoria e da verdade" que deletaram na mídia, nos livros, nos documentários, que nem o inédito sobre o caso Lovecchio e outros que "Nada tinham a ver com aquela luta desmiolada, mas foram vítimas assim mesmo."


O que estamos vivendo no Brasil é resumido por Carlos José Pedrosa, colunista do site Mídia sem Máscara: "Entre os flagelos que atormentam o Brasil figuram mais de 10 milhões de analfabetos, um sistema de saneamento básico que só cobre metade das moradias, cicatrizes apavorantes no sistema de saúde e de educação, favelas miseráveis penduradas em morros sem lei, fronteiras fora do alcance do Estado, zonas de exclusão que encolheram o mapa oficial em milhões de quilômetros quadrados, a violência epidêmica, a corrupção endêmica, o primitivismo político, uma demasia de carências a eliminar. O presidente faz de conta que isso é conversa de inimigo da pátria e capricha na pose de conselheiro do mundo."


Os bem informados, racionais, conscientes, defensores de um estado democrático de direito (restam poucos no Brasil!) sabem que tudo isto tem a raiz cravada há 80 anos, quando os emissários da Internacional Comunista chegaram ao Brasil, cumprindo ordens de Lenin para orientar os internacionalistas brasileiros que conclamavam a tomada violenta das terras e a defesa pelas armas. Eram uns gatos pingados naquele tempo. Hoje são os militantes petistas e grupos de pessoas simples mobilizadas sob o engano e promessas.


A primeira "frente" para a revolução comunista no Brasil, foi fundada fevereiro de 1935, denominando-se Aliança Nacional Libertadora. Trinta anos depois, Marighella apenas mudaria o nome para Aliança Libertadora Nacional (ALN). Dos seis principais dirigentes, três eram militares: o presidente, Hercolino Cascardo, comandante da Marinha; o vice-presidente, Amorety Osório, capitão do Exército; e o secretário-geral, Roberto Henrique Sisson, também oficial da Marinha, este o único filiado ao PCB. Prestes foi aclamado presidente de honra.


Em Novembro de 1945, o recém-anistiado Luiz Carlos Prestes foi ao Recife para as comemorações do 109 aniversário da Intentona Comunista. E discursou: “O Partido Comunista fez uso da violência, contra a violência dos dominadores, como única arma de que podiam dispor todos os verdadeiros patriotas". Mentindo, afirmou que a Intentona Comunista não visava a implantar o comunismo e nem o socialismo, mas, apenas, realizar uma "revolução democrático-burguesa". O discurso e a mentira se repete hoje.




Em Março de 1946, em pleno Congresso Nacional, Prestes declarou, que lutaria ao lado da Rússia em caso de guerra contra o Brasil. Era a confirmação de que a pátria dos comunistas era a União Soviética. Era a confirmação de que o comunismo lida com a promessa de igualdade utilizando a força, seguindo o que Lenin ensinava em política: “a conveniência em lugar da ética e a utilização dos canalhas”.


Mas a lição contundente de Lenin que estamos experimentando há duas gerações e passa por despercebida no Brasil, era: "Dai-me quatro anos para ensinar às crianças e as sementes que terei plantado jamais serão erradicadas... Destrua a família, e destruirás o país."


Duvido muito que cada um dos que nos representam não saiba disso. Duvido muito que cada um não tenha contribuído para a destruição do país. Tenho certeza que bem poucos ainda lembram do princípio do “bem comum”. Nosso país está destruído por conta das decisões insensatas dos nossos representantes, escolhidos sob o arbítrio de partidos especializados na rapinagem da coisa pública.


Desviam a atenção da gente com notícias que parecem moralizadoras. Como no recente caso envolvendo os da família Tuma. Duvido que toquem no Senador! Ele é guardião de segredos que jamais vai revelar, seja em virtude do sigilo profissional ou para honrar compromissos com as entranhas do poder. Está entre os intocáveis deste país. Se os porra loucas se quiserem livrar dele teriam de “queimar arquivo” que nem fizeram com o Celso Daniel e outros, quantos ninguém sabe. Mesmo assim vão hesitar, porque certamente existem documentos secretos, que guardam e garantem a integridade do Delegado Senador.


A violência comunista que teve sequência histórica no Aeroporto dos Guararapes, no Recife, com a explosão de uma bomba matou o jornalista Edson Régis de Carvalho e o Almirante Nelson Gomes Fernandes e deixou 17 pessoas feridas, já foi esquecida pela imprensa que louva e promove os comunistas mascarados, que hoje pousam de democratas e atribuem a violência das ruas e das drogas a uma “polícia mal formada” e não as políticas oficiais. Eles abrem o caminho para um caos futuro não muito distante. A nação, enganada, nem percebe. Queira Deus que seja o contrário!

wibiya widget

A teoria marxista da “ideologia de classe” não tem pé nem cabeça. Ou a ideologia do sujeito traduz necessariamente os interesses da classe a que ele pertence, ou ele está livre para tornar-se advogado de alguma outra classe. Na primeira hipótese, jamais surgiria um comunista entre os burgueses e Karl Marx jamais teria sido Karl Marx. Na segunda, não há vínculo entre a ideologia e a condição social do indivíduo e não há portanto ideologia de classe: há apenas a ideologia pessoal que cada um atribui à classe com que simpatiza, construindo depois, por mera inversão dessa fantasia, a suposta ideologia da classe adversária. Uma teoria que pode ser demolida em sete linhas não vale cinco, mas com base nela já se matou tanta gente, já se destruiu tanto patrimônio da humanidade e sobretudo já se gastou tanto dinheiro em subsídios universitários, que é preciso continuar a fingir que se acredita nela, para não admitir o vexame. Olavo de Carvalho, íntegra aqui.
"Para conseguir sua maturidade o homem necessita de um certo equilíbrio entre estas três coisas: talento, educação e experiência." (De civ Dei 11,25)
Cuidado com seus pensamentos: eles se transformam em palavras. Cuidado com suas palavras: elas se transformam em ação. Cuidado com suas ações: elas se transformam em hábitos. Cuidado com seus atos: eles moldam seu caráter.
Cuidado com seu caráter: ele controla seu destino.
A perversão da retórica, que falseia a lógica e os fatos para vencer o adversário em luta desleal, denomina-se erística. Se a retórica apenas simplifica e embeleza os argumentos para torná-los atraentes, a erística vai além: embeleza com falsos atrativos a falta de argumentos.
‎"O que me leva ao conservadorismo é a pesquisa e a investigação da realidade. Como eu não gosto de futebol, não gosto de pagode, não gosto de axé music, não gosto de carnaval, não fumo maconha e considero o PT ilegal, posso dizer que não me considero brasileiro - ao contrário da maioria desses estúpidos que conheço, que afirma ter orgulho disso". (José Octavio Dettmann)
" Platão já observava que a degradação moral da sociedade não chega ao seu ponto mais abjeto quando as virtudes desapareceram do cenário público, mas quando a própria capacidade de concebê-las se extinguiu nas almas da geração mais nova. " Citação de Olavo de Carvalho em "Virtudes nacionais".