Loja OLAVETTES: produtos Olavo de Carvalho

Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro concede Medalha Tiradentes a Olavo de Carvalho. Aqui.

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Cocaína, crack, terrorismo, sequestro. Vote no PT e tenha mais disto na porta da sua casa. Ou dentro dela.

RAÚL REYES ERA O NÚMERO 2 DAS FARC. FOI MORTO PELO GOVERNO COLOMBIANO. 


A INTERPOL ENTREGA RELATÓRIO DA ANÁLISE DOS 3 COMPUTADORES DO MALDITO ASSASSINO, TERRORISTA E NARCOTRAFICANTE. 


AS FARC PARTICIPAM DO FORO DE SÃO PAULO, CRIADO POR LULA. 


VOCÊ QUER MAIS DISTO TUDO PARA O BRASIL, SEUS FILHOS, FAMILIARES E AMIGOS?



Interpol entregó resultados del computador de Raúl Reyes


eltiempotv | 15 de maio de 2008
Los análisis realizados por 64 personas durante cinco mil horas, concluyeron que la información de los archivos no fue manipulada por el Gobierno colombiano.


FARC: Uribe lee los correos de Raúl Reyes



TipsRevolucionarios | 19 de julho de 2009
Ver el contenido de los correos encontrados en el computador del terrorista Raúl Reyes, organizados por países, aquí:
http://computadoresderaulreyes.blogspot.com/.


Revelaciones del Computador de Raul Reyes



lomejor188 | 26 de março de 2008
Revelaciones del Computador de Raul Reyes.


Hugo Chavez pede voto para Dilma



tchoucaverna | 6 de julho de 2010
O maior ditador da atualidade diz que se fosse brasileiro, votaria em Dilma, a terrorista e assaltante preferida dos socialistas. ABRAMOS O OLHO ANTES QUE SEJA TARDE!


DILMA, A DAMA DE VERMELHO



GaiaBR88 | 18 de junho de 2010
Um pouco da vida da criatura comunista.


"Conheci LULA e Raúl Reyes no Foro de São Paulo"



videoscanalverdades | 20 de maio de 2010
Neste vídeo Hugo Chávez diz como conheceu Lula - atual presidente do Brasil - e Raúl Reyes, segundo maior terrorista, narcoguerrilheiro e traficante das FARC, procurado e morto pelo excelente governo Uribe.

O grande encontro deu-se em 1995, em El Salvador, no "Foro de São Paulo", fundado por Luis Inácio Lula da Silva, atual presidente do Brasil. A prova está aqui e saiu da boca do mesmo: http://www.info.planalto.gov.br/download/discursos/pr812a.doc. Notem o endereço. É o site do PALÁCIO DO PLANALTO.

Recentemente, a revista Cambio publicou o "Dossiê Brasileño", onde é relatado parte do conteúdo encontrado no computador do narcoguerrilheiro morto. Neste conteúdo, há trocas de emails entre os acessores e pessoas de confiança diretamente ligados à Lula, dentro do palácio do Planalto.

Com o vídeo e os documentos dos links, temos, portanto, provas de fonte primária, a confissão dos dois sociopatas.



Do site do JUIZ FEDERAL Odilon de Oliveira, brasileiro (integra aqui):


Entrevista Odilon de Oliveira - PCC, FARC, Terror e Drogas




ODILON: As Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) possuem uma ideologia marxista, à falsa pregação de buscar uma sociedade igualitária, sem classes, gerenciada por um poder proletariado. A materialização dessa ideologia depende de um programa e a implantação deste necessita de receitas.

Quarenta e cinco por cento da receita das FARC provêm de cocaína, vendida para o mundo todo. O Brasil, nesse cenário, é um grande cliente da Colômbia.

O PCC negocia cocaína diretamente com as FARC e até lhe fornece armas saídas do Paraguai. Aquele grupo terrorista, buscando sua expansão nos demais países da América do Sul, difunde sua ideologia e procura reconhecimento político. Os laços mantidos com outras organizações, como o PCC e o PPL (Partido Pátria Livre) do Paraguai, fazem parte das relações internacionais cultivadas pelas FARC. Um dos benefícios obtidos está no fato de o Brasil haver concedido mais de 400 asilos políticos, desde o primeiro Governo Lula, a guerrilheiros colombianos.




Como? Dilma, a ex-terrorista? Não, ela é MAIS TERRORISTA  que nunca.

DIÁRIO DO COMÉRCIO


Dilma, como líder de um partido que foi o fundador e mentor do Foro de São Paulo, é com toda a evidência membro de uma organização terrorista e deve prestar contas disso.


Olavo de Carvalho - 11/7/2010 - 18h54

Uma coisa que não tem o menor cabimento é chamar Dona Dilma Rousseff de "ex" terrorista. Mesmo num exército regular, o número dos militares que entram em combate é mínimo em comparação com a maioria espalhada em serviços de administração, intendência, comunicações, inteligência, comando, estado-maior etc. Numa organização terrorista ou guerrilheira, esse círculo de retaguarda é ainda maior, dado que as atividades propriamente militares são aí reduzidas ao mínimo necessário para produzir os efeitos políticos ou publicitários desejados. Por isso Lênin chamava aos atentados terroristas "propaganda armada", subentendendo uma articulação eficiente com a "propaganda desarmada", a qual, por sua própria natureza, exige recursos humanos muito mais vastos, estendendo-se por toda a sociedade e ramificando-se numa diversidade impressionante de organizações auxiliares e formas de atuação que podem ser bem indiretas e sutis, mas nem por isso menos decisivas.

A candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff: não só seu passado, mas as suas ações presentes dão respaldo aos crimes do Foro de São Paulo.Uma organização terrorista compõe-se de todos esses serviços, e não só dos seus agentes destacados para funções de combate. Hoje em dia, a maior organização terrorista do continente não são as Farc, nem o ELN, nem o MIR chileno: é o Foro de São Paulo, que os coordena e lhes dá o suporte político sem o qual suas ações armadas não teriam a menor eficiência. Dona Dilma Rousseff, como líder de um partido que foi o * fundador e mentor do Foro de São Paulo, é com toda a evidência membro de uma organização terrorista e deve prestar contas não só do seu "passado", mas das suas ações presentes que dão respaldo, às vezes nada indireto, aos crimes dessa organização.

Neste preciso momento, centenas de prisioneiros políticos sofrem opressão e torturas em Cuba; milhares de sequestrados apodrecem nas prisões das Farc, enquanto o dinheiro do narcotráfico continua fluindo para essa e outras organizações sobre as quais o Foro de São Paulo estende a sua ignominiosa proteção. As ações armadas das quais Dona Dilma possa ter participado três décadas atrás, por vergonhosas que sejam, são nada, rigorosamente nada, em comparação com a infinidade de crimes dos quais seu partido é acobertador e cúmplice hoje em dia. Mas muitos políticos na chamada "oposição" – palavra que não se pode grafar sem enfáticas aspas – recusam-se até mesmo a dizer que essa mulher "foi" terrorista. Remetem seus crimes ao tempo pretérito e ainda os atenuam sob o manto do esquecimento forçado. O que é preciso dizer alto e bom som é que todo líder ou colaborador do Foro de São Paulo é membro de uma organização terrorista, e o é não só no mais dramático dos tempos presentes como também no sentido eminente de aí exercer função de liderança em vez de ser apenas um tarefeiro armado, um esbirro sob ordens de outrem, um brutamontes encarregado de fazer o que lhe mandam.

Toda e qualquer hesitação em lembrar o "passado" de Dona Dilma é mais que covardia: é colaboração ativa com a continuação ampliada desse passado, que hoje toma o nome de Foro de São Paulo. Os que se sujam nessas afetações de uma polidez abjeta não estão branqueando um passado, estão acobertando os crimes do presente. Tanto que a expressão "Foro de São Paulo" raramente ou nunca se ouve das suas bocas. Podem ter a certeza: os líderes da organização contam com essa ajuda prestimosa, que nunca lhes faltou. No conjunto, a política brasileira – da governista à menos governista – segue fielmente, servilmente, a estratégia do Foro de São Paulo.

São os mentores dessa estratégia, e não seus executores físicos, os maiores terroristas do continente. Entre as ações brutais do tarefeiro armado e as sutilezas da liderança intelectual e política, vai toda a diferença que medeia entre a mão e o cérebro, entre o corpo e a mente. Hoje em dia, os bandoleiros das Farc não são senão a epiderme, a casca da subversão latino-americana. O miolo, o cerne, está nos altos escalões do Foro de São Paulo, sem cuja visão estratégica de conjunto e sem cujo respaldo político as atrocidades da narcoguerrilha se diluiriam numa pasta de inocuidades sangrentas, não mais eficazes, politicamente, do que uma estatística de crimes passionais.

Longe de terem se afastado das atividades criminosas, os políticos de esquerda que hoje brilham no Foro de São Paulo foram da periferia delas para o centro, da base para o topo. Antes de inocentá-los, perguntem: quantos judeus Adolf Hitler matou pessoalmente? Nenhum. Quantas ordens de execução ele assinou com sua própria mão? Nenhuma.

Aparentemente, ele não "matou" judeu nenhum. Só criou a política que os matou. Mas é isso, precisamente, o que se chama genocídio. Por definição, ninguém pratica genocídio no varejo, matando pessoalmente um por um. Genocídio é crime de gabinete. Por que então modificar capciosamente a definição de terrorismo, designando com essa palavra somente as ações físicas dos paus-mandados e não o conjunto do plano que as tornou possíveis? Por esse critério, Hitler seria inocente da morte dos judeus, e só cabos e sargentos dos campos de concentração levariam a culpa. Hitler é tão inocente do extermínio dos judeus alemães quanto os líderes do Foro de São Paulo são inocentes dos crimes das Farc.

Olavo de Carvalho é ensaísta e professor de Filosofia


* - http://www.info.planalto.gov.br/download/discursos/pr812a.doc

2 comentários:

"Política sem medo" disse...

Apos assistir a tudo isso meu veredito e: MORTE A TODOS!
Por que mais provas? Por que mais crimes? Por que temos que aceitar tanta infamia? Por que aceitar a candidatura de Dilma se ela esta ligada a narcotraficantes?

Mr. Gun disse...

Esse é um tipo de assassino de quem a humanidade deve se afastar. Um homicida, provavelmente ex-torturador.

wibiya widget

A teoria marxista da “ideologia de classe” não tem pé nem cabeça. Ou a ideologia do sujeito traduz necessariamente os interesses da classe a que ele pertence, ou ele está livre para tornar-se advogado de alguma outra classe. Na primeira hipótese, jamais surgiria um comunista entre os burgueses e Karl Marx jamais teria sido Karl Marx. Na segunda, não há vínculo entre a ideologia e a condição social do indivíduo e não há portanto ideologia de classe: há apenas a ideologia pessoal que cada um atribui à classe com que simpatiza, construindo depois, por mera inversão dessa fantasia, a suposta ideologia da classe adversária. Uma teoria que pode ser demolida em sete linhas não vale cinco, mas com base nela já se matou tanta gente, já se destruiu tanto patrimônio da humanidade e sobretudo já se gastou tanto dinheiro em subsídios universitários, que é preciso continuar a fingir que se acredita nela, para não admitir o vexame. Olavo de Carvalho, íntegra aqui.
"Para conseguir sua maturidade o homem necessita de um certo equilíbrio entre estas três coisas: talento, educação e experiência." (De civ Dei 11,25)
Cuidado com seus pensamentos: eles se transformam em palavras. Cuidado com suas palavras: elas se transformam em ação. Cuidado com suas ações: elas se transformam em hábitos. Cuidado com seus atos: eles moldam seu caráter.
Cuidado com seu caráter: ele controla seu destino.
A perversão da retórica, que falseia a lógica e os fatos para vencer o adversário em luta desleal, denomina-se erística. Se a retórica apenas simplifica e embeleza os argumentos para torná-los atraentes, a erística vai além: embeleza com falsos atrativos a falta de argumentos.
‎"O que me leva ao conservadorismo é a pesquisa e a investigação da realidade. Como eu não gosto de futebol, não gosto de pagode, não gosto de axé music, não gosto de carnaval, não fumo maconha e considero o PT ilegal, posso dizer que não me considero brasileiro - ao contrário da maioria desses estúpidos que conheço, que afirma ter orgulho disso". (José Octavio Dettmann)
" Platão já observava que a degradação moral da sociedade não chega ao seu ponto mais abjeto quando as virtudes desapareceram do cenário público, mas quando a própria capacidade de concebê-las se extinguiu nas almas da geração mais nova. " Citação de Olavo de Carvalho em "Virtudes nacionais".