Loja OLAVETTES: produtos Olavo de Carvalho

Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro concede Medalha Tiradentes a Olavo de Carvalho. Aqui.

domingo, 8 de abril de 2012

Vendendo gato por lebre - cadernos com o retrato de Stalin estão sendo sendo vendidos na Rússia

 

BLOG DE JOSÉ OCTAVIO DETTMANN

DOMINGO, 8 DE ABRIL DE 2012

A comercialização de cadernos escolares com o retrato de Josef Stalin na capa provocou a indignação de políticos e historiadores russos, que exigem que o Governo os retire de circulação, apesar de terem alcançado um recorde de vendas.

A polêmica surgiu porque o ditador que dirigia a União Soviética com mão de ferro aparece vestido com uma farda militar repleta de condecorações, como a de um herói.

No entanto, o texto que vem dentro do caderno reconhece que Stalin foi uma das figuras mais controvertidas da história da Rússia e mundial, já que para alguns ele foi um tirano e para outros, o maior líder de todos os tempos.

Comentário:

Se faz polêmica, isso vende - e isso não é bom por si mesmo, porque relativiza a moral, que acaba se mercantilizando, tal qual banana na feira. Esta é uma das marcas da mentalidade revolucionária.

Link para a matéria no site original: http://adf.ly/7CzGh

Não perca essa matéria relacionada: Mico Carta ou Stalin é de Direita, matéria essa em que o principal editor da Revista Carta Capital, Mino Carta, afirma, categoricamente, que Stalin é de direita (sic):http://adf.ly/7D0N9

Então, é assim, resumindo: os arautos da bondade da esquerdopatia jamais cometem erros. Tudo que acontece de ruim no mundo, mesmo que pelos seus comparsas auto-denunciados, não importando se é (ou era até ontem) um ícone como Stalin, passa a ser automaticamente e por decreto esquerdopata, uma ação da direita, ato cometido por um direitista.

Conta outra, né?

Nenhum comentário:

wibiya widget

A teoria marxista da “ideologia de classe” não tem pé nem cabeça. Ou a ideologia do sujeito traduz necessariamente os interesses da classe a que ele pertence, ou ele está livre para tornar-se advogado de alguma outra classe. Na primeira hipótese, jamais surgiria um comunista entre os burgueses e Karl Marx jamais teria sido Karl Marx. Na segunda, não há vínculo entre a ideologia e a condição social do indivíduo e não há portanto ideologia de classe: há apenas a ideologia pessoal que cada um atribui à classe com que simpatiza, construindo depois, por mera inversão dessa fantasia, a suposta ideologia da classe adversária. Uma teoria que pode ser demolida em sete linhas não vale cinco, mas com base nela já se matou tanta gente, já se destruiu tanto patrimônio da humanidade e sobretudo já se gastou tanto dinheiro em subsídios universitários, que é preciso continuar a fingir que se acredita nela, para não admitir o vexame. Olavo de Carvalho, íntegra aqui.
"Para conseguir sua maturidade o homem necessita de um certo equilíbrio entre estas três coisas: talento, educação e experiência." (De civ Dei 11,25)
Cuidado com seus pensamentos: eles se transformam em palavras. Cuidado com suas palavras: elas se transformam em ação. Cuidado com suas ações: elas se transformam em hábitos. Cuidado com seus atos: eles moldam seu caráter.
Cuidado com seu caráter: ele controla seu destino.
A perversão da retórica, que falseia a lógica e os fatos para vencer o adversário em luta desleal, denomina-se erística. Se a retórica apenas simplifica e embeleza os argumentos para torná-los atraentes, a erística vai além: embeleza com falsos atrativos a falta de argumentos.
‎"O que me leva ao conservadorismo é a pesquisa e a investigação da realidade. Como eu não gosto de futebol, não gosto de pagode, não gosto de axé music, não gosto de carnaval, não fumo maconha e considero o PT ilegal, posso dizer que não me considero brasileiro - ao contrário da maioria desses estúpidos que conheço, que afirma ter orgulho disso". (José Octavio Dettmann)
" Platão já observava que a degradação moral da sociedade não chega ao seu ponto mais abjeto quando as virtudes desapareceram do cenário público, mas quando a própria capacidade de concebê-las se extinguiu nas almas da geração mais nova. " Citação de Olavo de Carvalho em "Virtudes nacionais".