Loja OLAVETTES: produtos Olavo de Carvalho

Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro concede Medalha Tiradentes a Olavo de Carvalho. Aqui.

quarta-feira, 21 de março de 2012

Holanda endurece regras para uso de maconha nos cafés País europeu quer proibir o consumo de droga pelos turistas já neste ano

 

VEJA

Europa

O governo holandês endurecerá a partir de janeiro de 2012 a norma que regula os estabelecimentos onde é permitido consumir maconha, os 'coffeeshops', que após décadas sendo uma atração para viajar à Holanda, se tornarão lugares vetados para os turistas.

Obrigados a se transformar em clubes fechados com no máximo 2 mil membros, os 'coffeeshops' estarão abertos somente para holandeses ou estrangeiros residentes na Holanda, uma medida que os proprietários entendem como o fim do seu negócio.

"É uma arma para acabar com os 'coffeeshops' e se continuar terei que fechar", disse Miranda de Bruin, proprietária de um estabelecimento no bairro de Rotterdam, no qual trabalham cerca de dez empregados.

"Acho que se um holandês tem direito a fumar um baseado, esse direito também deve ter um estrangeiro", disse Miranda, que não tem planos de mudar a natureza de seu estabelecimento. Para a proprietária "é completamente impossível aplicar as novas normas, sobre as quais não nos deram nenhuma informação".

Ela explicou que em um bairro multicultural, como a vizinhança em que está seu estabelecimento, com 80% de pessoas de origem estrangeira, seria necessário pedir a apresentação de um certificado da Prefeitura para poder atender ou registrar os clientes, por isso classificou a medida como 'inviável'.

O Ministério da Justiça pensa de forma diferente. Convencido de que o 'turismo do baseado' é indesejável, deu aos 'coffeeshops' uma margem de tempo para que se transformem e preparem uma administração 'controlável' com os dados de seus membros. "A norma se endurece a partir de janeiro de 2012, e será aplicada primeiro às três províncias do sul (vizinhas à Bélgica e Alemanha), em maio de 2012, para se estender ao restante do território nacional em 2013", explicou o porta-voz do Ministério da Justiça, Charlotte Mensen.

Derrick Bergman, da 'Fundação Pró Cannabis', se mostrou convencido de que a oposição dos proprietários e inclusive do Parlamento, que previsivelmente debaterá o tema em janeiro, acabem anulando a norma. "A nova norma é um ataque à privacidade e uma discriminação aos estrangeiros, por isso que minhas expectativas são de que os proprietários acabarão contestando a medida nos tribunai", analisou Bergman.

Para o setor defensor da legalização total da maconha na Holanda, ao restringir a entrada aos 'coffeeshops', será aberto o circuito ilegal da droga. "Que valor agregado tem esta regulação? Nada. Somente incentiva o circuito ilegal", opinou Miranda, que disse conhecer clientes que preferem os círculos ilegais a ter que se registrar.

Contradição - A norma holandesa dos 'coffeeshops' conta com uma grande contradição: regula o funcionamento destes locais, mas mantém como ilegal a produção da maconha.

O governo holandês quer que a maconha com mais de 15% do seu princípio ativo, tetrahidrocanabinol (THC), seja incluída na lista de drogas pesadas.

De acordo com estudos oficiais realizados pelo Trimbos Institute (especializado em dependência química), acima dessa porcentagem, que é superada pela maior parte dos 'coffeeshops', a droga pode causar danos cerebrais que poderiam gerar esquizofrenia.

Vigente desde 1976, a norma de funcionamento dos 'coffeeshops', que na última década passaram de 1.500 para 660, se apresentou até agora como uma regulação modelo que mantinha sob controle o uso da droga e reduzia ao mínimo seu tráfico ilegal.

(com Agência EFE)

Nenhum comentário:

wibiya widget

A teoria marxista da “ideologia de classe” não tem pé nem cabeça. Ou a ideologia do sujeito traduz necessariamente os interesses da classe a que ele pertence, ou ele está livre para tornar-se advogado de alguma outra classe. Na primeira hipótese, jamais surgiria um comunista entre os burgueses e Karl Marx jamais teria sido Karl Marx. Na segunda, não há vínculo entre a ideologia e a condição social do indivíduo e não há portanto ideologia de classe: há apenas a ideologia pessoal que cada um atribui à classe com que simpatiza, construindo depois, por mera inversão dessa fantasia, a suposta ideologia da classe adversária. Uma teoria que pode ser demolida em sete linhas não vale cinco, mas com base nela já se matou tanta gente, já se destruiu tanto patrimônio da humanidade e sobretudo já se gastou tanto dinheiro em subsídios universitários, que é preciso continuar a fingir que se acredita nela, para não admitir o vexame. Olavo de Carvalho, íntegra aqui.
"Para conseguir sua maturidade o homem necessita de um certo equilíbrio entre estas três coisas: talento, educação e experiência." (De civ Dei 11,25)
Cuidado com seus pensamentos: eles se transformam em palavras. Cuidado com suas palavras: elas se transformam em ação. Cuidado com suas ações: elas se transformam em hábitos. Cuidado com seus atos: eles moldam seu caráter.
Cuidado com seu caráter: ele controla seu destino.
A perversão da retórica, que falseia a lógica e os fatos para vencer o adversário em luta desleal, denomina-se erística. Se a retórica apenas simplifica e embeleza os argumentos para torná-los atraentes, a erística vai além: embeleza com falsos atrativos a falta de argumentos.
‎"O que me leva ao conservadorismo é a pesquisa e a investigação da realidade. Como eu não gosto de futebol, não gosto de pagode, não gosto de axé music, não gosto de carnaval, não fumo maconha e considero o PT ilegal, posso dizer que não me considero brasileiro - ao contrário da maioria desses estúpidos que conheço, que afirma ter orgulho disso". (José Octavio Dettmann)
" Platão já observava que a degradação moral da sociedade não chega ao seu ponto mais abjeto quando as virtudes desapareceram do cenário público, mas quando a própria capacidade de concebê-las se extinguiu nas almas da geração mais nova. " Citação de Olavo de Carvalho em "Virtudes nacionais".