Loja OLAVETTES: produtos Olavo de Carvalho

Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro concede Medalha Tiradentes a Olavo de Carvalho. Aqui.

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

A Igreja, os cristãos e a escravidão através dos séculos - parte I

SENTIR COM A IGREJA
Postado por emeoliv



Em toda a história os cristãos tem se posicionado contra a escravidão romana e de outros povos. Ateus e outros falham em entender que o sentido de "escravidão" na Bíblia (entre o povo hebreu) não tinha nada a ver com o rude e escravagista sistema das outras nações. Um número significativo de princípios bíblicos proscrevem, banem ou proíbem a escravidão. O abolicionista Harriet Beecher Stowe em seu livro "Key" (1851), pp 115-120, detalha vários destes exemplos (http://medicolegal.tripod.com/keytom.htm#p115). "Deve-se dizer que os católicos romanos [apesar de estarmos no meio de uma nação pró-escravidão, os EUA], não mantêm nenhum sistema de discriminação de cor da pele, em suas Igrejas", disse o Rev. William Goodell em "A escravidão e anti-escravidão: Uma História da grande luta em ambos os hemisférios; com vista para a questão da escravidão nos Estados Unidos" (New York: William Pub Harned, 1852), p 201.

"O termo 'escravidão' nunca deve ser usado para designar a servidão [emprego] nos israelitas, sob a economia [sistema] mosaica." - Rev. John G. Fee, "Manual anti-escravidão" (New York: William Harned, 1851 -http://medicolegal.tripod.com/feeasm1851.htm#p63-not-slavery), p 63, e "a servidão mosaica não tinha nenhuma das características da escravidão moderna", p 17. Deus permitiu que os hebreus fugissem da escravidão, p 66. Sua lei divina da Bíblia fazia do sequestro uma ofensa com pena de morte, p 46, citando Êxodo 21,16E Deuteronômio 24,7. A escravidão violava a concessão original de Deus, a intenção original, p 116. A escravidão é extorsão, p 10, citando, por exemplo, 1 Coríntios 06,10. A escravidão é listada como uma ofensa, como assassinato e perjúrio, 1 Timóteo 1,10-11. "Na realidade, o [chamados] escravo hebreu é um mercenário [empregado; trabalho titular]. "-Henry J. Grimmelsman, professor de exegese do Antigo Testamento, Mt. Seminário Santa Maria do Oeste, Cincinnati, O Livro de Êxodo (Norwood, Cincinnati, Ohio: The Book Store Seminary, 1927), p 144.

"Na realidade, o [chamado] escravo hebreu é um prestador de serviços [empregado; trabalhador titular -http://medicolegal.tripod.com/feeasm1851.htm#p54-mockery]. "-Henry J. Grimmelsman, professor de exegese do Antigo Testamento, Mt. Seminário Santa Maria do Oeste, Cincinnati, "O Livro de Êxodo" (Norwood, Cincinnati, Ohio: The Book Store Seminary, 1927), p 144.

É verdade que certos cristãos, na história, usaram de escravidão mas é desonesto afirmar que a Bíblia ensina a escravidão. Mas é honesto afirmar que em toda a história também houve cristãos, desde o séc. I, que lutaram para libertar escravos, sendo que inclusive a Igreja PAGAVA e dava SUBSÍDIOS aos senhores que libertassem escravos. A Igreja defendia seus direitos de liberdade. É desonesto usar de um termo mau explicado e compreendido. A maioria dos estudiosos e comentaristas são unânimes em demonstrar que a servidão nos hebreus não tinha nada a ver com o rude sistema escravagista das outras nações. Os empregados hebreus tinham muitos direitos e em nada se diferenciavam de uma emprega doméstica nos dias atuais.

Nenhum comentário:

wibiya widget

A teoria marxista da “ideologia de classe” não tem pé nem cabeça. Ou a ideologia do sujeito traduz necessariamente os interesses da classe a que ele pertence, ou ele está livre para tornar-se advogado de alguma outra classe. Na primeira hipótese, jamais surgiria um comunista entre os burgueses e Karl Marx jamais teria sido Karl Marx. Na segunda, não há vínculo entre a ideologia e a condição social do indivíduo e não há portanto ideologia de classe: há apenas a ideologia pessoal que cada um atribui à classe com que simpatiza, construindo depois, por mera inversão dessa fantasia, a suposta ideologia da classe adversária. Uma teoria que pode ser demolida em sete linhas não vale cinco, mas com base nela já se matou tanta gente, já se destruiu tanto patrimônio da humanidade e sobretudo já se gastou tanto dinheiro em subsídios universitários, que é preciso continuar a fingir que se acredita nela, para não admitir o vexame. Olavo de Carvalho, íntegra aqui.
"Para conseguir sua maturidade o homem necessita de um certo equilíbrio entre estas três coisas: talento, educação e experiência." (De civ Dei 11,25)
Cuidado com seus pensamentos: eles se transformam em palavras. Cuidado com suas palavras: elas se transformam em ação. Cuidado com suas ações: elas se transformam em hábitos. Cuidado com seus atos: eles moldam seu caráter.
Cuidado com seu caráter: ele controla seu destino.
A perversão da retórica, que falseia a lógica e os fatos para vencer o adversário em luta desleal, denomina-se erística. Se a retórica apenas simplifica e embeleza os argumentos para torná-los atraentes, a erística vai além: embeleza com falsos atrativos a falta de argumentos.
‎"O que me leva ao conservadorismo é a pesquisa e a investigação da realidade. Como eu não gosto de futebol, não gosto de pagode, não gosto de axé music, não gosto de carnaval, não fumo maconha e considero o PT ilegal, posso dizer que não me considero brasileiro - ao contrário da maioria desses estúpidos que conheço, que afirma ter orgulho disso". (José Octavio Dettmann)
" Platão já observava que a degradação moral da sociedade não chega ao seu ponto mais abjeto quando as virtudes desapareceram do cenário público, mas quando a própria capacidade de concebê-las se extinguiu nas almas da geração mais nova. " Citação de Olavo de Carvalho em "Virtudes nacionais".