Loja OLAVETTES: produtos Olavo de Carvalho

Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro concede Medalha Tiradentes a Olavo de Carvalho. Aqui.

terça-feira, 13 de março de 2012

Bruno Daniel no Roda Viva - 27/02/2012



Enviado por  em 27/02/2012

27/02/2012 - Roda Viva - Bruno Daniel Filho (irmão de Celso Daniel)

O Roda Viva entrevistou na segunda-feira (27/2) Bruno Daniel Filho, irmão de Celso Daniel, ex-prefeito de Santo André assassinado em janeiro de 2002. O cientista político falou dos dez anos de morte do irmão. Desde 2002, apenas uma pessoa foi condenada pelo crime. Bruno tratou, ainda, de seu exílio na França.

Ele voltou recentemente ao Brasil depois de ter se mudado para o país europeu para se proteger de ameaças que, segundo ele, sua família teria recebido. Apresentado pelo jornalista Mario Sergio Conti, o Roda Viva contou, para esta edição, com uma bancada formada por João Gabriel de Lima (redator chefe da revista Época), Ricardo Ferraz (repórter da TV Cultura), André Guilherme Vieira (repórter da rádio Jovem Pan), Rodrigo Hidalgo (repórter da TV Bandeirantes) e pela jornalista Lilian Christofoletti.

O Roda Viva também teve a participação do cartunista Paulo Caruso.

Veja algumas das frases marcantes da acalorada entrevista:

"Infelizmente é necessário reconhecer que ele cometeu erros", Bruno Daniel, irmão de Celso Daniel "Eu acho e há provas colhidas pelo MP nesse sentido - Celso Daniel era corrupto", Bruno Daniel, irmão de Celso Daniel "Sem sombras de dúvidas [Gilberto Carvalho participava do sistema de corrupção]", Bruno Daniel, irmão de Celso Daniel "Meu irmão estava envolvido em um crime", Bruno Daniel, irmão de Celso Daniel "Tanto o MP e a família acreditam que Celso era contra o uso ilegal dos recursos desviados", Bruno Daniel, irmão de Celso Daniel "Ele sempre teve ideais muito fortes", Bruno Daniel, irmão de Celso Daniel "Nenhuma lacuna [do inquérito policial] foi resolvida", Bruno Daniel, irmão do ex-prefeito Celso Daniel "Qual o interesse da polícia? Não há interesse só da polícia... ", Bruno Daniel, irmão do ex-prefeito Celso Daniel "Num crime como esse, faz-se uma divisão de tarefas [entre os envolvidos]", Bruno Daniel, irmão do ex-prefeito Celso Daniel Você acredita que foi queima de arquivo?, pergunta Ricardo Ferraz. "Sem sombra de dúvida", Bruno Daniel, irmão do ex-prefeito Celso Daniel "Não tenho dúvidas que poderia ser o próximo [a ser morto]", Bruno Daniel, irmão do ex-pref. Celso Daniel "Fugimos pra França por isso. Houve ameaças, intimidações, perseguições... ", Bruno Daniel, irmão do ex-pref. Celso Daniel "O que a Justiça aceitou? Todas as provas do MP ou o inquérito da polícia?", Bruno Daniel, irmão do ex-pref. Celso Daniel "Nossa família acredita que novas testemunhas aparecam, novas histórias etc", Bruno Daniel, irmão do ex-pref. Celso Daniel "Ele não aceitava desvio de recursos para benefícios pessoais", Bruno Daniel, irmão de Celso Daniel "Quem está me ouvindo deve chegar às mesmas conclusões que eu", Bruno Daniel, irmão de Celso Daniel "Pra que torturar? Se tortura alguém para obter informações", Bruno Daniel, irmão de Celso Daniel "Eu ainda espero que novas testemunhas e novos fatos sejam revelados", Bruno Daniel, irmão de Celso Daniel.

Agradecimentos a Hans Misfeldt (@tutube). A entrevista de Bruno Daniel repercutiu bastante no Twitter. Seu nome chegou a estar nos assuntos mais comentados do mundo. A expressão #rodaviva também ficou ao lado de Bruno no TTs do Brasil.

Vídeo e texto: Programa Roda Viva - TV Cultura

Nenhum comentário:

wibiya widget

A teoria marxista da “ideologia de classe” não tem pé nem cabeça. Ou a ideologia do sujeito traduz necessariamente os interesses da classe a que ele pertence, ou ele está livre para tornar-se advogado de alguma outra classe. Na primeira hipótese, jamais surgiria um comunista entre os burgueses e Karl Marx jamais teria sido Karl Marx. Na segunda, não há vínculo entre a ideologia e a condição social do indivíduo e não há portanto ideologia de classe: há apenas a ideologia pessoal que cada um atribui à classe com que simpatiza, construindo depois, por mera inversão dessa fantasia, a suposta ideologia da classe adversária. Uma teoria que pode ser demolida em sete linhas não vale cinco, mas com base nela já se matou tanta gente, já se destruiu tanto patrimônio da humanidade e sobretudo já se gastou tanto dinheiro em subsídios universitários, que é preciso continuar a fingir que se acredita nela, para não admitir o vexame. Olavo de Carvalho, íntegra aqui.
"Para conseguir sua maturidade o homem necessita de um certo equilíbrio entre estas três coisas: talento, educação e experiência." (De civ Dei 11,25)
Cuidado com seus pensamentos: eles se transformam em palavras. Cuidado com suas palavras: elas se transformam em ação. Cuidado com suas ações: elas se transformam em hábitos. Cuidado com seus atos: eles moldam seu caráter.
Cuidado com seu caráter: ele controla seu destino.
A perversão da retórica, que falseia a lógica e os fatos para vencer o adversário em luta desleal, denomina-se erística. Se a retórica apenas simplifica e embeleza os argumentos para torná-los atraentes, a erística vai além: embeleza com falsos atrativos a falta de argumentos.
‎"O que me leva ao conservadorismo é a pesquisa e a investigação da realidade. Como eu não gosto de futebol, não gosto de pagode, não gosto de axé music, não gosto de carnaval, não fumo maconha e considero o PT ilegal, posso dizer que não me considero brasileiro - ao contrário da maioria desses estúpidos que conheço, que afirma ter orgulho disso". (José Octavio Dettmann)
" Platão já observava que a degradação moral da sociedade não chega ao seu ponto mais abjeto quando as virtudes desapareceram do cenário público, mas quando a própria capacidade de concebê-las se extinguiu nas almas da geração mais nova. " Citação de Olavo de Carvalho em "Virtudes nacionais".