Loja OLAVETTES: produtos Olavo de Carvalho

Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro concede Medalha Tiradentes a Olavo de Carvalho. Aqui.

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

REVISTA BRASILEIRA REVELA QUE CHÁVEZ TEM CÂNCER ATÉ NOS OSSOS E APONTA SEUS POSSÍVEIS SUCESSORES

BLOG DO ALUIZIO AMORIM
Domingo, Janeiro 15, 2012


Clique AQUI para conhecer os possíveis sucessores de Chávez

Faltando pouco menos de um mês para as prévias da oposição que escolherão o candidato para enfrentar Hugo Chávez nas eleições de outubro, o futuro democrático da Venezuela ainda é uma incógnita. Quando o ditador anunciou estar com câncer, em junho do ano passado, e entregou (em partes) o comando do país ao vice-presidente para se tratar em Cuba, começaram a surgir dúvidas sobre sua permanência no poder. Para abafar os boatos, quatro meses depois, ele voltou a público para dizer que estava curado. Contudo, fontes venezuelanas apoiadas em exames médicos, afirmam que Chávez não deve ter forças sequer para concorrer no próximo pleito - conforme publicou em novembro reportagem de VEJA, que teve acesso a um conjunto de relatos detalhados sobre a evolução do seu câncer. Com metástases até nos ossos, a sobrevida do caudilho dificilmente superaria um ano. Diante desse cenário, o coronel de 57 anos pode ter de abrir mão do quarto mandato (confira a linha do tempo abaixo), o que obrigaria todo o país a se reorganizar sem o homem que sempre fez questão de centralizar em si todo o poder.
Analistas ouvidos pelo site de VEJA acreditam, porém, que dificilmente o tirano desistirá de concorrer, o que deve complicar todo o processo. "Chávez se considera tão invencível, que não entrega os pontos nem para a própria doença. O maior motivo de esconder o câncer é deixar tanto a oposição quanto o seu próprio partido despreparados para sua sucessão", diz Vanessa Neumann, conselheira sênior do instituto de pesquisa Foreign Policy. Tudo porque ele faz questão de continuar sendo visto como um "líder" até o último dos seus dias - ora no papel de opressor, ora como um mártir. E para não perder nenhum apoio, ele se esforça ao máximo para passar uma aparência saudável, mesmo que algumas fotos o flagrem em expressões de sofrimento. "Caso o ditador chegue a se candidatar e ganhar o pleito, tudo continuará como antes: seu poder se manterá consolidado e centrado na sua figura, e novas alianças serão formadas até a sua morte", afirma Mark Jones, professor do departamento de Ciências Políticas da Universidade Rice.
Nem seus aliados conhecem detalhes sobre a doença e seu verdadeiro estado de saúde. A intenção de Chávez é evitar que, prevendo seu afastamento, divisões já comecem a ser planejadas. O Partido Socialista Unido de Venezuela (PSUV) tem uma ala militar e outra civil que certamente tentarão bloquear uns aos outros. Temendo que os militares tomem o poder, por exemplo, os civis podem se filiar a outros partidos para terem mais chances na sucessão. "Se isso começar desde agora, Chávez terá problemas de governabilidade", ressalta Vanessa. E diante de chavistas fragmentados por uma forte disputa pelo poder, a oposição se uniria (mais) em torno de uma real chance de vencer. "Se perceberem que ele está doente e talvez não consiga concorrer ou ganhar as eleições, mesmo os chavistas podem não confiar em outro candidato apontado pelo próprio Chávez e acabar apoiando a oposição." Clique AQUI para ler a reportagem COMPLETA

Nenhum comentário:

wibiya widget

A teoria marxista da “ideologia de classe” não tem pé nem cabeça. Ou a ideologia do sujeito traduz necessariamente os interesses da classe a que ele pertence, ou ele está livre para tornar-se advogado de alguma outra classe. Na primeira hipótese, jamais surgiria um comunista entre os burgueses e Karl Marx jamais teria sido Karl Marx. Na segunda, não há vínculo entre a ideologia e a condição social do indivíduo e não há portanto ideologia de classe: há apenas a ideologia pessoal que cada um atribui à classe com que simpatiza, construindo depois, por mera inversão dessa fantasia, a suposta ideologia da classe adversária. Uma teoria que pode ser demolida em sete linhas não vale cinco, mas com base nela já se matou tanta gente, já se destruiu tanto patrimônio da humanidade e sobretudo já se gastou tanto dinheiro em subsídios universitários, que é preciso continuar a fingir que se acredita nela, para não admitir o vexame. Olavo de Carvalho, íntegra aqui.
"Para conseguir sua maturidade o homem necessita de um certo equilíbrio entre estas três coisas: talento, educação e experiência." (De civ Dei 11,25)
Cuidado com seus pensamentos: eles se transformam em palavras. Cuidado com suas palavras: elas se transformam em ação. Cuidado com suas ações: elas se transformam em hábitos. Cuidado com seus atos: eles moldam seu caráter.
Cuidado com seu caráter: ele controla seu destino.
A perversão da retórica, que falseia a lógica e os fatos para vencer o adversário em luta desleal, denomina-se erística. Se a retórica apenas simplifica e embeleza os argumentos para torná-los atraentes, a erística vai além: embeleza com falsos atrativos a falta de argumentos.
‎"O que me leva ao conservadorismo é a pesquisa e a investigação da realidade. Como eu não gosto de futebol, não gosto de pagode, não gosto de axé music, não gosto de carnaval, não fumo maconha e considero o PT ilegal, posso dizer que não me considero brasileiro - ao contrário da maioria desses estúpidos que conheço, que afirma ter orgulho disso". (José Octavio Dettmann)
" Platão já observava que a degradação moral da sociedade não chega ao seu ponto mais abjeto quando as virtudes desapareceram do cenário público, mas quando a própria capacidade de concebê-las se extinguiu nas almas da geração mais nova. " Citação de Olavo de Carvalho em "Virtudes nacionais".