Loja OLAVETTES: produtos Olavo de Carvalho

Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro concede Medalha Tiradentes a Olavo de Carvalho. Aqui.

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Blogueiro conhecido por denunciar corrupção em SC é encontrado morto em apartamento

PORTAL MPRENSA
Redação Portal IMPRENSA | 14/12/2011 12:20


O blogueiro Amilton Alexandre, 52 anos, conhecido como Mosquito, foi encontrado morto em seu apartamento, na terça-feira (13), em Florianópolis. Ele mantinha o blog "Tijoladas do Mosquito", que veiculava denúncias de corrupção contra políticos de Santa Catarina, informa o site Rádio Criciúma.

Segundo a emissora, Mosquito conversava com um colega, que é padre, na internet, quando se ausentou do computador. Ao estranhar o fato, essa pessoa dirigiu-se à casa do blogueiro, onde o encontrou "enforcado" com um lençol no corredor da escada. Não havia sinal de agressões ou arrombamento na porta do apartamento. A polícia que investiga o caso sugere que tenha ocorrido "suicídio", mas não descarta a possibilidade de assassinato.

O blogueiro tinha registrado 25 boletins de ocorrência e dentre alguns deles havia ameaças de morte. Por causa das denúncias que publicava fora alvo de mais de 30 processos por calúnia e difamação. O advogado Izidoro Azevedo dos Santos, que o defendeu em dois dos processos, questionou se ele cometeu suicídio. "Terá mesmo o blogueiro se suicidado ou sua morte terá sido obra dos incontáveis desafetos que cultivou, com suas enérgicas e contundentes denúncias de corrupção, e lambanças políticas das mais variadas".

Em sua última postagem no blog, que está fora do ar, Mosquito se despediu dos leitores, afirmando que "precisava de uma pausa", mas reafirmou seu "compromisso" com a cidadania, com as denúncias de corrupção. "Tanta dedicação ao blog levou-me a um isolamento familiar, com oposição à atividade, problemas de saúde e outras dificuldades. Nas últimas semanas, acusei o nocaute. Não tenho mais como enfrentar as ameaças e retaliações pelo que publico. É sensato dar um tempo", disse o blogueiro, em sua última postagem, segundo a Rádio Criciúma.

Nenhum comentário:

wibiya widget

A teoria marxista da “ideologia de classe” não tem pé nem cabeça. Ou a ideologia do sujeito traduz necessariamente os interesses da classe a que ele pertence, ou ele está livre para tornar-se advogado de alguma outra classe. Na primeira hipótese, jamais surgiria um comunista entre os burgueses e Karl Marx jamais teria sido Karl Marx. Na segunda, não há vínculo entre a ideologia e a condição social do indivíduo e não há portanto ideologia de classe: há apenas a ideologia pessoal que cada um atribui à classe com que simpatiza, construindo depois, por mera inversão dessa fantasia, a suposta ideologia da classe adversária. Uma teoria que pode ser demolida em sete linhas não vale cinco, mas com base nela já se matou tanta gente, já se destruiu tanto patrimônio da humanidade e sobretudo já se gastou tanto dinheiro em subsídios universitários, que é preciso continuar a fingir que se acredita nela, para não admitir o vexame. Olavo de Carvalho, íntegra aqui.
"Para conseguir sua maturidade o homem necessita de um certo equilíbrio entre estas três coisas: talento, educação e experiência." (De civ Dei 11,25)
Cuidado com seus pensamentos: eles se transformam em palavras. Cuidado com suas palavras: elas se transformam em ação. Cuidado com suas ações: elas se transformam em hábitos. Cuidado com seus atos: eles moldam seu caráter.
Cuidado com seu caráter: ele controla seu destino.
A perversão da retórica, que falseia a lógica e os fatos para vencer o adversário em luta desleal, denomina-se erística. Se a retórica apenas simplifica e embeleza os argumentos para torná-los atraentes, a erística vai além: embeleza com falsos atrativos a falta de argumentos.
‎"O que me leva ao conservadorismo é a pesquisa e a investigação da realidade. Como eu não gosto de futebol, não gosto de pagode, não gosto de axé music, não gosto de carnaval, não fumo maconha e considero o PT ilegal, posso dizer que não me considero brasileiro - ao contrário da maioria desses estúpidos que conheço, que afirma ter orgulho disso". (José Octavio Dettmann)
" Platão já observava que a degradação moral da sociedade não chega ao seu ponto mais abjeto quando as virtudes desapareceram do cenário público, mas quando a própria capacidade de concebê-las se extinguiu nas almas da geração mais nova. " Citação de Olavo de Carvalho em "Virtudes nacionais".