Loja OLAVETTES: produtos Olavo de Carvalho

Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro concede Medalha Tiradentes a Olavo de Carvalho. Aqui.

terça-feira, 17 de julho de 2012

O que você acha mais importante: preservar a vida de um cachorro ou de uma criança?

 

IPCO

A resposta parece óbvia?

Não! A comissão de juristas que elaborou o anteprojeto do Novo Código Penal - que já está sendo analisado pelo Congresso Nacional - pensa diferente.

Sim! Se aprovado, o novo Código diminuirá a pena daquele que realiza um aborto na gestante, além de alargar consideravelmente as hipóteses em que não se pune tal prática.

Assista ao filme abaixo e veja como reverter esta situação

Assista

Por outro lado, o mesmo anteprojeto propõe pena de um a quatro anos para quem abandona um cachorro na rua.

Isso sendo que, atualmente, o abandono de um ser humano incapaz está sujeito a uma pena apenas de seis meses a três anos.

Percebeu a inacreditável discrepância?

A inversão de valores que um grupo de burocratas que enfiar goela abaixo da Nação?

Como podemos aceitar que pessoas paguem penas maiores por terem abandonado um animal, do que aqueles que abandonam um incapaz, um ser humano, a exemplo de pais que jogam bebês em latas de lixo?

“Penalistas sempre denunciaram o fato de o legislador criar crimes para atender o clamor público. Mas várias das propostas do Novo Código Penal vêm para atender aos reclamos da intelectualidade”.

A afirmação é da Doutora em Direito Penal pela USP, Janaina Conceição Paschoal. Ela deixa bem claro que esse Novo Código Penal desrespeita a vontade da maioria da sociedade brasileira.

Por isso, resolvi lhe escrever esta mensagem. Você e eu somos essa maioria.

Se a maioria da população não está de acordo – como de fato não está – com as propostas do novo Código Penal, não podemos permitir que ele seja aprovado em hipótese alguma.

Que democracia é essa que defende a vontade de poucos, excluindo a opinião da grande maioria?

Assista ao filme “Diga não à Cultura da Morte” e veja o que é possível fazer para revertemos essa situação.

Assista

Não podemos admitir que um grupinho de ideólogos defina o futuro de uma nação com quase 200 milhões de pessoas.

Eu lhe peço, além de assistir ao filme “Diga não à Cultura da Morte”, faça de tudo para esclarecer todos os seus amigos.

Veja abaixo como indicar o filme para os amigos:

Conto com a sua ajuda também para divulgar o filme para o maior número de pessoas possível.

Muitos nem sabem que um Novo Código Penal está perto de ser aprovado.

Certamente, todos ficarão indignados quando tomarem conhecimento desta brutalidade que agredirá profundamente nosso País e as gerações futuras.

Atenciosamente,

Mario Navarro da Costa
Diretor de Campanhas do
Instituto Plinio Corrêa de Oliveira
www.ipco.org.br

2 comentários:

Adriana Oliveira disse...

Sem ler e ver nada, já digo de antemão: deve-se também preservar a vida do animal, pois são criaturas que merecem todo o nosso respeito, atenção e carinho. Sempre digo o seguinte: existem pessoas que nasceram com missão de cuidar de animais e há aquelas que são incumbidas de cuidar de crianças. As segundas, creio eu, estão falhando em sua missão.

Cavaleiro do Templo disse...

Ok, mas qual é mais importante, esta é a pergunta.

Abração

wibiya widget

A teoria marxista da “ideologia de classe” não tem pé nem cabeça. Ou a ideologia do sujeito traduz necessariamente os interesses da classe a que ele pertence, ou ele está livre para tornar-se advogado de alguma outra classe. Na primeira hipótese, jamais surgiria um comunista entre os burgueses e Karl Marx jamais teria sido Karl Marx. Na segunda, não há vínculo entre a ideologia e a condição social do indivíduo e não há portanto ideologia de classe: há apenas a ideologia pessoal que cada um atribui à classe com que simpatiza, construindo depois, por mera inversão dessa fantasia, a suposta ideologia da classe adversária. Uma teoria que pode ser demolida em sete linhas não vale cinco, mas com base nela já se matou tanta gente, já se destruiu tanto patrimônio da humanidade e sobretudo já se gastou tanto dinheiro em subsídios universitários, que é preciso continuar a fingir que se acredita nela, para não admitir o vexame. Olavo de Carvalho, íntegra aqui.
"Para conseguir sua maturidade o homem necessita de um certo equilíbrio entre estas três coisas: talento, educação e experiência." (De civ Dei 11,25)
Cuidado com seus pensamentos: eles se transformam em palavras. Cuidado com suas palavras: elas se transformam em ação. Cuidado com suas ações: elas se transformam em hábitos. Cuidado com seus atos: eles moldam seu caráter.
Cuidado com seu caráter: ele controla seu destino.
A perversão da retórica, que falseia a lógica e os fatos para vencer o adversário em luta desleal, denomina-se erística. Se a retórica apenas simplifica e embeleza os argumentos para torná-los atraentes, a erística vai além: embeleza com falsos atrativos a falta de argumentos.
‎"O que me leva ao conservadorismo é a pesquisa e a investigação da realidade. Como eu não gosto de futebol, não gosto de pagode, não gosto de axé music, não gosto de carnaval, não fumo maconha e considero o PT ilegal, posso dizer que não me considero brasileiro - ao contrário da maioria desses estúpidos que conheço, que afirma ter orgulho disso". (José Octavio Dettmann)
" Platão já observava que a degradação moral da sociedade não chega ao seu ponto mais abjeto quando as virtudes desapareceram do cenário público, mas quando a própria capacidade de concebê-las se extinguiu nas almas da geração mais nova. " Citação de Olavo de Carvalho em "Virtudes nacionais".