Loja OLAVETTES: produtos Olavo de Carvalho

Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro concede Medalha Tiradentes a Olavo de Carvalho. Aqui.

quinta-feira, 8 de março de 2012

Blog neo ateu segue com pérolas inacreditáveis: “Antropóloga diz que evangélicos na TV põem em risco a liberdade de crença”

 

LUCIANO AYAN

 

Fonte: Paulopes

A transformação de denominações pentecostais e neopentecostais em “religiões eletrônicas”, com presença crescente nas TVs e emissoras de rádio, representa uma ameaça à liberdade de credo e à de expressão, afirmou a antropóloga Débora Diniz (foto), autora do livro “Laicidade e Ensino Religioso no Brasil” (112 págs., editora Letras Livres, R$ 20).

Ela argumentou que, como a maioria da população brasileira vê TV aberta, o que acaba sendo imposto é a pregação de um único credo, em detrimento das outras, colocando mais ainda à margem religiões de matriz afro-brasileira, como o candomblé e a umbanda.

Diniz afirmou que o uso da TV deveria ser mais democrático porque se trata de um serviço de concessão pública concedido pelo Estado laico. Mas o que ocorre na prática, disse, é que alguns grupos de comunicação estão ganhando muito dinheiro com a venda de horários a igrejas milionárias. Além disso, algumas organizações religiosas acabam tendo os seus próprios canais de TV.

“O público fica sem alternativa e sem acesso à informação de qualidade e, consequentemente, sem ferramentas para a formação de opinião”, disse.

Para ela, a hegemonia nos meios eletrônicos da pregação evangélica tem propagado ideias conservadoras, fortalecendo, em decorrência, a intolerância religiosa.

“Existe um favorecimento ao cristianismo, que oprime e impede que as minorias religiosas e as organizações não religiosas dedicadas à difusão de uma cultura de tolerância ocupem espaços e tenham voz”, disse a antropóloga ao iG.

Um levantamento feito em meados de 2011 pela Folha.com mostrou que as igrejas estavam ocupando 140 horas por semana dos canais de TVs de sinal aberto.

Recentemente, essa carga horária aumentou com a compra pela Igreja da Graça de Deus, do missionário R.R. Soares, do espaço no horário nobre da Rede TV! por mais de R$ 6 milhões mensais. A denominação já detém o horário nobre da Band.

Meus comentários

Ah, esse blog Paulopes é o meu paraíso. Eu, que quero investigar a mente dos neo ateus e humanistas, encontro material tão farto por lá que nem preciso buscar em outras fontes. O cara realmente é cuidadoso. Qualquer lixeira que sai da boca de um anti-religioso ele publica.

Tecnicamente, eu sou aquele que recicla o material tóxico trazido pelo Paulopes e o trago para um exame. Basicamente, analiso o que eles escrevem como se estivesse avaliando um monte de m**** em um exame de fezes.

Com o discurso da Debora Diniz, a coisa não podia ser diferente. E só dá para responder tamanha imbecilidade com base na paródia, pois ninguém em sã consciência tem o direito de levar a sério o que ela escreveu na matéria em questão.

Eu não gosto de futebol e não assisto jogo algum. Já faz mais de 1 ano e meio que não assisto a uma partida completa.
Também acho lastimável a perda de tempo de alguém ao discutir futebol, mas respeito o direito. Acho que a Copa não devia vir sequer para o Brasil. Isso aqui vai virar um inferno na época dos jogos.

Mesmo assim, com as televisões exibindo futebol no horário nobre em QUANTIDADE MAIOR do que evangélicos aparecem na TV, eu TENHO A LIBERDADE de continuar sem assistir aos jogos.

Essa lógica, a que qualquer pessoa normal chegaria, não entra na cabeça dessa antropóloga. Ela afirma que “muitos evangélicos na TV” põem em risco a “liberdade religiosa”.

Só no dia em que ela provar que “muitos jogos de futebol na TV põem em risco a liberdade de se torcer para um time, não torcer para nenhum, ou até mesmo não gostar de futebol, como eu”.

2 comentários:

felipe moura disse...

hahahahaha

Anônimo disse...

Nós que estamos no youtube sabemos muito bem que tipo de tolerância pregam estas tais minorias.

As minorias estão usando de uma violência verbal que chega a surpreender.

Alguns "representantes" das minorias pregam abertamente o fim do cristianismo, o ódio contra Cristãos e até o silêncio (o que prenuncia o extermínio físico).

A tolerância Cristã está levando os violentos das minorias patrocinadas pelos bilionários, a tomarem cada vez mais espaço.

wibiya widget

A teoria marxista da “ideologia de classe” não tem pé nem cabeça. Ou a ideologia do sujeito traduz necessariamente os interesses da classe a que ele pertence, ou ele está livre para tornar-se advogado de alguma outra classe. Na primeira hipótese, jamais surgiria um comunista entre os burgueses e Karl Marx jamais teria sido Karl Marx. Na segunda, não há vínculo entre a ideologia e a condição social do indivíduo e não há portanto ideologia de classe: há apenas a ideologia pessoal que cada um atribui à classe com que simpatiza, construindo depois, por mera inversão dessa fantasia, a suposta ideologia da classe adversária. Uma teoria que pode ser demolida em sete linhas não vale cinco, mas com base nela já se matou tanta gente, já se destruiu tanto patrimônio da humanidade e sobretudo já se gastou tanto dinheiro em subsídios universitários, que é preciso continuar a fingir que se acredita nela, para não admitir o vexame. Olavo de Carvalho, íntegra aqui.
"Para conseguir sua maturidade o homem necessita de um certo equilíbrio entre estas três coisas: talento, educação e experiência." (De civ Dei 11,25)
Cuidado com seus pensamentos: eles se transformam em palavras. Cuidado com suas palavras: elas se transformam em ação. Cuidado com suas ações: elas se transformam em hábitos. Cuidado com seus atos: eles moldam seu caráter.
Cuidado com seu caráter: ele controla seu destino.
A perversão da retórica, que falseia a lógica e os fatos para vencer o adversário em luta desleal, denomina-se erística. Se a retórica apenas simplifica e embeleza os argumentos para torná-los atraentes, a erística vai além: embeleza com falsos atrativos a falta de argumentos.
‎"O que me leva ao conservadorismo é a pesquisa e a investigação da realidade. Como eu não gosto de futebol, não gosto de pagode, não gosto de axé music, não gosto de carnaval, não fumo maconha e considero o PT ilegal, posso dizer que não me considero brasileiro - ao contrário da maioria desses estúpidos que conheço, que afirma ter orgulho disso". (José Octavio Dettmann)
" Platão já observava que a degradação moral da sociedade não chega ao seu ponto mais abjeto quando as virtudes desapareceram do cenário público, mas quando a própria capacidade de concebê-las se extinguiu nas almas da geração mais nova. " Citação de Olavo de Carvalho em "Virtudes nacionais".