Loja OLAVETTES: produtos Olavo de Carvalho

Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro concede Medalha Tiradentes a Olavo de Carvalho. Aqui.

sexta-feira, 6 de julho de 2012

Dilma queria um Golpe MILITAR?

 

GNOSIOFOBIA BRASILEIRA

SEXTA-FEIRA, 6 DE JULHO DE 2012

"As revelações feitas agora pela cúpula do governo uruguaio não deixam a menor dúvida: Dilma não foi apenas uma das articuladoras da suspensão do Paraguai do Mercosul. Ela também foi a principal artífice do golpe — este na esfera diplomática — que aprovou o ingresso da Venezuela no grupo. A presidente brasileira atuou para acolher um governo que, dias antes, havia se reunido com a cúpula militar paraguaia para incitar uma quartelada.

Se os generais do Paraguai tivessem feito o que lhes recomendou Chávez, a Constituição do país teria sido rasgada. Fernando Lugo teria sido mantido no poder pelos tanques, e a nossa presidenta certamente estaria chamando a solução, agora, de “democrática”. VEJA Online havia revelado em primeira mão a tentativa de quartelada chavista. Os filmes que vieram a público não deixam a menor dúvida." Reinaldo Azevedo - Veja

Quem é Dilma Rousseff? Essa pergunta deveria ter sido feita por seus eleitores antes das últimas eleições de 2010. A verdade é que ninguém fez essa pergunta direito, e se foi feita, a resposta ainda não veio, ou melhor, está vindo! Melhor que responder com palavras é dar a resposta por meio de ações, e a presidente está fazendo isso.

Desde que Dilma assumiu a presidência, o governo vem trabalhando como um "corpo de bombeiros", hora apagando o fogo dos escândalos ministeriais, onde a imagem de faxineira foi atribuída a presidente graças ao trabalho da mídia bem paga, hora apagando o fogo do ROMBO deixado pelo ex-presidente Lula, onde a mídia mais uma vez dá a ela o "status" de gestora competente ao endividar o país ainda mais para gerar a falsa sensação de estabilidade econômica ante a "crise mundial". 

Outra "ação" do governo Dilma, e essa talvez mostre o verdadeiro caráter da presidente, tem sido a "Comissão da Verdade", apelidada carinhosamente de "começão da verdade" graças aos bilhões gastos em indenizações, onde um grupo indicado pela presidente está incumbido de esmiuçar os documentos do regime militar brasileiro, e convidar (intimarão na verdade) pessoas de ambos os lados da "guerra" para conseguir chegar à verdade histórica, que entrará nos  livros didáticos de nossos filhos, que para felicidade geral dos vermelhos, aprenderão que gente como Dirceu, Lula  e a própria presidente foram os heróis da democracia.

Tudo estaria bem se não fosse a Veja, ah não, sempre ela! Com certeza o Cachoeira deve ter ligado para o Policarpo e pedido esse favor! 

Segundo a revista Veja, o Paraguai era alvo de um golpe organizado por Chávez, e não é o mexicano amigo da Chiquinha, eu falo do Presidente da Venezuela, que teve frustrado o seu plano quando o Congresso paraguaio sabiamente defenestrou o camarada Lugo da presidência. 

Tudo bem, mas onde entra Dilma nessa história?

A "presidenta" aparece nas linhas do blog do  jornalista Reinaldo Azevedo, que informa que Dilma não só  adiantou a saída do Paraguai do MERCOSUL  como teria dado apoio aos planos de um GOLPE MILITAR no país vizinho. Assustador não é mesmo?

Portanto camaradas, a verdade é a seguinte: Estamos diante da maior dissonância cognitiva em pessoa que já sentou seus fartos glúteos na cadeira presidencial. A verdade é que as ações da presidente nos tira toda e qualquer possibilidade de entender QUEM É DILMA ROUSSEFF.

Para os que apostavam que ela seria um "fantoche" de Lula, eu rebato com veemência, porque Lula vive em outro mundo, o estado mental constante do ex-presidente não o permitiria saber se para chegar ao Paraguai seria preciso "atravessar um oceano". Dilma, embora não consiga terminar uma só frase ou concluir qualquer pensamento,  é mais capacitada, sabe cumprir a risca as orientações vindas da PRESIDÊNCIA do Foro de São Paulo, que em breve terá sua sede construída na capital paulista com o nome de memorial.

Portanto Dilma Rousseff é isso,  a contradição em pessoa!

fonte: Blog do Reinaldo Azevedo

Nenhum comentário:

wibiya widget

A teoria marxista da “ideologia de classe” não tem pé nem cabeça. Ou a ideologia do sujeito traduz necessariamente os interesses da classe a que ele pertence, ou ele está livre para tornar-se advogado de alguma outra classe. Na primeira hipótese, jamais surgiria um comunista entre os burgueses e Karl Marx jamais teria sido Karl Marx. Na segunda, não há vínculo entre a ideologia e a condição social do indivíduo e não há portanto ideologia de classe: há apenas a ideologia pessoal que cada um atribui à classe com que simpatiza, construindo depois, por mera inversão dessa fantasia, a suposta ideologia da classe adversária. Uma teoria que pode ser demolida em sete linhas não vale cinco, mas com base nela já se matou tanta gente, já se destruiu tanto patrimônio da humanidade e sobretudo já se gastou tanto dinheiro em subsídios universitários, que é preciso continuar a fingir que se acredita nela, para não admitir o vexame. Olavo de Carvalho, íntegra aqui.
"Para conseguir sua maturidade o homem necessita de um certo equilíbrio entre estas três coisas: talento, educação e experiência." (De civ Dei 11,25)
Cuidado com seus pensamentos: eles se transformam em palavras. Cuidado com suas palavras: elas se transformam em ação. Cuidado com suas ações: elas se transformam em hábitos. Cuidado com seus atos: eles moldam seu caráter.
Cuidado com seu caráter: ele controla seu destino.
A perversão da retórica, que falseia a lógica e os fatos para vencer o adversário em luta desleal, denomina-se erística. Se a retórica apenas simplifica e embeleza os argumentos para torná-los atraentes, a erística vai além: embeleza com falsos atrativos a falta de argumentos.
‎"O que me leva ao conservadorismo é a pesquisa e a investigação da realidade. Como eu não gosto de futebol, não gosto de pagode, não gosto de axé music, não gosto de carnaval, não fumo maconha e considero o PT ilegal, posso dizer que não me considero brasileiro - ao contrário da maioria desses estúpidos que conheço, que afirma ter orgulho disso". (José Octavio Dettmann)
" Platão já observava que a degradação moral da sociedade não chega ao seu ponto mais abjeto quando as virtudes desapareceram do cenário público, mas quando a própria capacidade de concebê-las se extinguiu nas almas da geração mais nova. " Citação de Olavo de Carvalho em "Virtudes nacionais".