Loja OLAVETTES: produtos Olavo de Carvalho

Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro concede Medalha Tiradentes a Olavo de Carvalho. Aqui.

quarta-feira, 4 de julho de 2012

A serviço do Marxismo Cultural

 

GNOSIOFOBIA BRASILEIRA


QUARTA-FEIRA, 4 DE JULHO DE 2012

 

Se você não sabe o que é o Marxismo Cultural talvez não consiga entender o motivo desta postagem. Não se preocupe, pois é bem provável que o jornalista que escreveu a matéria cuja imagem você observa ao lado, também não tenha a mínima ideia, embora faça parte disso. É a concretização das profecias de Yuri Bezmenov, que apostava que os jornalistas em nosso tempo seriam escolhidos pela capacidade abissal de entendimento e interpretação, bem ao estilo: "Quanto mais idiota melhor."




Se você não sabe quem é Yuri Bezmenov, não se importe, o jornalista que escreveu a matéria também não deve saber.
(http://g1.globo.com/brasil/noticia/2012/07/padre-e-preso-acusado-de-abuso-sexual-em-sao-paulo.html).

O  suspeito é um EX-padre,  ele já havia sido afastado de suas atividades na casa de caridade e a Igreja Católica havia impedido esse homem de praticar o sacerdócio ha algum tempo. Ou seja, é um cidadão como outro qualquer, e merece ser julgado, assim como mereceria se fosse padre,  caso comprovados seus delitos.

Mas porque chama-lo de PADRE?

Seria o mesmo que cobrir a matéria de um homicídio praticado por um ex-policial militar, que teria vitimado sua esposa da seguinte forma : "Policial Militar mata a própria esposa".

Será que o motivo de ligar o acusado a igreja é uma tentativa de encobrir as possíveis atividades homossexuais apontadas pela polícia? Ao que parece um garoto de 16 anos teria acusado o ex-padre de  convida-lo a ter relações sexuais em troca de abrigo. Eu com 16 anos se recebesse a proposta de um pederasta já tinha condições de me defender. Enfim, o acusado pode ser gay e pedófilo, coisa que ficou clara,  mas essa ligação não passaria pela nova censura.

Espero que tenham entendido esse lamentável ataque gratuito contra uma instituição que nada tem haver com os possíveis desvios apontados pelo jornalista mal intencionado. Se bem que ultrapassa a má fé, o que esses jornalistas fazem é crime, e com esse nível de desonestidade, já até acredito que o ex-padre e provável gay seja inocente.

Agora consigo entender o motivo pelo qual os esquerdistas ficam tão revoltados com a possibilidade de alguém pedir ajuda a um psicólogo para deixar a homossexualidade, afinal uma vez gay, o sujeito está condenado para o resto da vida a tal prática e sem direito a ajuda, e são coerentes, já que uma vez padre, mesmo que a Igreja tire tal título, ele continuará sendo padre para toda a eternidade.

Nenhum comentário:

wibiya widget

A teoria marxista da “ideologia de classe” não tem pé nem cabeça. Ou a ideologia do sujeito traduz necessariamente os interesses da classe a que ele pertence, ou ele está livre para tornar-se advogado de alguma outra classe. Na primeira hipótese, jamais surgiria um comunista entre os burgueses e Karl Marx jamais teria sido Karl Marx. Na segunda, não há vínculo entre a ideologia e a condição social do indivíduo e não há portanto ideologia de classe: há apenas a ideologia pessoal que cada um atribui à classe com que simpatiza, construindo depois, por mera inversão dessa fantasia, a suposta ideologia da classe adversária. Uma teoria que pode ser demolida em sete linhas não vale cinco, mas com base nela já se matou tanta gente, já se destruiu tanto patrimônio da humanidade e sobretudo já se gastou tanto dinheiro em subsídios universitários, que é preciso continuar a fingir que se acredita nela, para não admitir o vexame. Olavo de Carvalho, íntegra aqui.
"Para conseguir sua maturidade o homem necessita de um certo equilíbrio entre estas três coisas: talento, educação e experiência." (De civ Dei 11,25)
Cuidado com seus pensamentos: eles se transformam em palavras. Cuidado com suas palavras: elas se transformam em ação. Cuidado com suas ações: elas se transformam em hábitos. Cuidado com seus atos: eles moldam seu caráter.
Cuidado com seu caráter: ele controla seu destino.
A perversão da retórica, que falseia a lógica e os fatos para vencer o adversário em luta desleal, denomina-se erística. Se a retórica apenas simplifica e embeleza os argumentos para torná-los atraentes, a erística vai além: embeleza com falsos atrativos a falta de argumentos.
‎"O que me leva ao conservadorismo é a pesquisa e a investigação da realidade. Como eu não gosto de futebol, não gosto de pagode, não gosto de axé music, não gosto de carnaval, não fumo maconha e considero o PT ilegal, posso dizer que não me considero brasileiro - ao contrário da maioria desses estúpidos que conheço, que afirma ter orgulho disso". (José Octavio Dettmann)
" Platão já observava que a degradação moral da sociedade não chega ao seu ponto mais abjeto quando as virtudes desapareceram do cenário público, mas quando a própria capacidade de concebê-las se extinguiu nas almas da geração mais nova. " Citação de Olavo de Carvalho em "Virtudes nacionais".