Loja OLAVETTES: produtos Olavo de Carvalho

Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro concede Medalha Tiradentes a Olavo de Carvalho. Aqui.

quinta-feira, 5 de abril de 2012

Será que quem é contra a homeopatia conhece mesmo a homeopatia?

 

HOMEOPATIA

Esse foi um artigo escrito pelo colunista Hélio Schwartsman do jornal Folha de São Paulo a respeito da demonstração realizada contra a homeopatia em algumas cidades no mundo, inclusive em São Paulo. Infelizmente não tive oportunidade de responder ao articulista no mesmo espaço, mas gostaria de colocar aqui texto sobre o assunto para que esse comentário não passe em branco.


"Tomei 60 bolinhas antes do protesto contra a homeopatia"

HÉLIO SCHWARTSMAN

ARTICULISTA DA FOLHA

Escrevo essa reportagem sob overdose. Acabo de ingerir 60 comprimidos... de um preparado homeopático. De acordo com a bula do complexo homeopático nº 35, da Farmácia Almeida Prado, destinado a tratar "nervosismo", eu deveria procurar meu médico. De acordo com a química, porém, não preciso me preocupar. As substâncias do complexo nº 35, preparadas segundo as regras da homeopatia, são tão diluídas que eu não absorvi mais do que uns poucos milhões (106) de moléculas dos ingredientes originais. E isso é insuficiente para produzir efeitos orgânicos.

Para dar termo de comparação, uma colher de chá de açúcar contém 7 sextilhões (7x1021) de moléculas de sacarose. Basicamente, o que eu consumi foram as bolinhas de lactose que servem de excipiente para os comprimidos. Elas bem que poderiam ser mais saborosas.

Fiz esse experimento antecipando-me ao protesto global contra a homeopatia, iniciativa de um grupo de céticos que ocorre em 79 cidades de 27 países neste fim de semana. Os manifestantes vão, como eu, tomar doses maciças de remédios homeopáticos para chamar a atenção da população para o fato de que eles são inertes, isto é, "são feitos de nada", no dizer da campanha. Mais detalhes no site do movimento: www.1023.org.uk.

No Brasil, estão previstas manifestações em São Paulo, Natal e Porto Alegre. Hoje, o braço paulistano vai se reunir na praça Benedito Calixto e precisamente às 10h23 cometerá a "overdose homeopática". Vá e leve seu complexo homeopático favorito, pois não haverá distribuição de drogas no local.

O 10:23 que dá nome ao movimento é uma referência à constante de Avogadro (6,02x1023), a garantia estequiométrica de que preparados em diluições superiores a 12C passam a ter mais chances de não conter nenhuma molécula do princípio ativo do que de conter.

A meta do movimento não é banir a homeopatia, mas levantar a discussão sobre seus fundamentos de modo que as pessoas possam fazer escolhas informadas sobre sua utilização. Outro objetivo é evitar que governos gastem preciosos recursos com tratamentos sem confirmação científica. Seria como financiar pesquisas astrológicas em vez de astronômicas.

PS - Passadas mais de 24 horas da minha overdose, ainda não senti nada, mas, depois de ler a nota da entidade dos homeopatas, fiquei com vontade de me entregar à polícia. Quem gosta de homeopatia poderá dizer que é um efeito colateral do complexo nº 35.

Articulista da Folha de São Paulo e bacharel em filosofia Sr. Hélio Schwartsman


Dr. Moises Chencinski
Médico Pediatra e Homeopata

Professor do Curso de Especialização em Homeopatia com Ênfase em Saúde Pública e Estratégias em Saúde da Família da Prefeitura de São Paulo

P.S.: A empresa divulgada deve estar muito feliz pela propaganda gratuita.

A homeopatia é uma especialidade médica que tem 200 anos, reconhecida pelo Conselho Federal de Medicina no Brasil desde 1980.

Para ser homeopata, é necessário fazer um curso de graduação em 6 anos em Faculdade de Medicina (o meu eu fiz na Faculdade de Medicina da USP), alguns fazem especialização em regime de residência médica (eu fiz Pediatria na Santa Casa de São Paulo) para então fazer 3 anos de especialização em homeopatia.

Assim, para ser homeopata no Brasil é necessário ter formação em medicina, odontologia, veterinária e farmácia (que são as especialidades em homeopatia).

O Brasil é um país livre que permite qualquer tipo de manifestação, desde que não haja violência. O Brasil permite liberdade religiosa. E a Constituição do Brasil garante a todo cidadão a liberdade de escolha de terapêuticas oficiais.

Assim, o 10:23 é uma manifestação legítima (desde que seja conduzida sem violência e com respeito) que mostra a opinião de algumas pessoas a respeito da homeopatia.

Assim como o Sr., os responsáveis por essa campanha no Brasil não são da área médica e nem da área da saúde. Eles são céticos, ufologistas que têm grande representatividade com seus sites, mas não têm conhecimento da homeopatia.

Apesar de bem humorada (tentativa de suicídio com remédios homeopáticos) se vocês tentassem conhecer um pouco sobre homeopatia, sua filosofia e sua prática, vocês não fariam isso.

Dessa forma, vocês só vão conseguir demonstrar duas coisas:

1) O medicamento homeopático, mesmo tomado em grande quantidade, não tem efeitos colaterais indesejáveis.

2) O medicamento homeopático, mesmo tomado em grande quantidade, não é indicado para suicídios (não vai acontecer).

Posso fazer uma sugestão:

A "tentativa de suicídio" com vitamina C, nas mesmas quantidades, teria o mesmo efeito e pode ter gosto mais agradável para algumas pessoas. Mas também não vai ser eficaz para suicídio. Isso provaria que a vitamina C não funciona?

Tenho um livro sobre o assunto (HOMEOPATIA mais simples que parece) e sou editor de uma revista (DOSES MÍNIMAS) sobre homeopatia para o público leigo.

Coloco-me à disposição para esclarecer quem tiver interesse real sobre a homeopatia, quer seja profissional da área de saúde ou não.

Tenho absoluta certeza que pessoas tão interessadas e preocupadas em alertar a população sobre riscos à sua saúde não se privarão da oportunidade de conhecer a homeopatia, assim como devem ter se dedicado a conhecer a fundo outras formas terapêuticas também reconhecidas pelo Conselho Federal de Medicina, como a acupuntura e a alopatia.

Nenhum comentário:

wibiya widget

A teoria marxista da “ideologia de classe” não tem pé nem cabeça. Ou a ideologia do sujeito traduz necessariamente os interesses da classe a que ele pertence, ou ele está livre para tornar-se advogado de alguma outra classe. Na primeira hipótese, jamais surgiria um comunista entre os burgueses e Karl Marx jamais teria sido Karl Marx. Na segunda, não há vínculo entre a ideologia e a condição social do indivíduo e não há portanto ideologia de classe: há apenas a ideologia pessoal que cada um atribui à classe com que simpatiza, construindo depois, por mera inversão dessa fantasia, a suposta ideologia da classe adversária. Uma teoria que pode ser demolida em sete linhas não vale cinco, mas com base nela já se matou tanta gente, já se destruiu tanto patrimônio da humanidade e sobretudo já se gastou tanto dinheiro em subsídios universitários, que é preciso continuar a fingir que se acredita nela, para não admitir o vexame. Olavo de Carvalho, íntegra aqui.
"Para conseguir sua maturidade o homem necessita de um certo equilíbrio entre estas três coisas: talento, educação e experiência." (De civ Dei 11,25)
Cuidado com seus pensamentos: eles se transformam em palavras. Cuidado com suas palavras: elas se transformam em ação. Cuidado com suas ações: elas se transformam em hábitos. Cuidado com seus atos: eles moldam seu caráter.
Cuidado com seu caráter: ele controla seu destino.
A perversão da retórica, que falseia a lógica e os fatos para vencer o adversário em luta desleal, denomina-se erística. Se a retórica apenas simplifica e embeleza os argumentos para torná-los atraentes, a erística vai além: embeleza com falsos atrativos a falta de argumentos.
‎"O que me leva ao conservadorismo é a pesquisa e a investigação da realidade. Como eu não gosto de futebol, não gosto de pagode, não gosto de axé music, não gosto de carnaval, não fumo maconha e considero o PT ilegal, posso dizer que não me considero brasileiro - ao contrário da maioria desses estúpidos que conheço, que afirma ter orgulho disso". (José Octavio Dettmann)
" Platão já observava que a degradação moral da sociedade não chega ao seu ponto mais abjeto quando as virtudes desapareceram do cenário público, mas quando a própria capacidade de concebê-las se extinguiu nas almas da geração mais nova. " Citação de Olavo de Carvalho em "Virtudes nacionais".