Loja OLAVETTES: produtos Olavo de Carvalho

Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro concede Medalha Tiradentes a Olavo de Carvalho. Aqui.

segunda-feira, 2 de abril de 2012

Agressores de militares das Forças Armadas no Clube Militar - Políbio Braga (29/03/2012)



Enviado por  em 31/03/2012
Agressores de militares das Forças Armadas no Clube Militar - Rio de Janeiro (29/03/2012)
Por Políbio Braga

Grupos provocadores fascio-comunitas tentam evitar à força reunião no Clube Militar do Rio. O que fazia Tarso Genro nas imediações?

Quem acompanhou o noticiário do Jornal da Band e do Jornal Nacional desta quinta-feira a noite, percebeu as cenas de violência com que manifestantes ligados ao PT, PCdoB, PSOL, PSTU e até do PDT, usaram para impedir a entrada dos militares da reserva que ingressaram na sede do Clube Militar, Rio, onde participaram de ato de apoio ao movimento militar de 64 que depôs o presidente João Goulart. Os manifestantes são provocadores fascio-comunistas do mesmo gênero dos que radicalizaram o regime em 1964, sem ter acumulado forças políticas e militares para enfrentar a reação dos militares e da sociedade. CLIQUE AQUI para ler o artigo de Reinaldo Azevedo, que explica melhor o caráter perverso da atuação fascistóide.

. O mais notável do ato desta sexta-feira para os gaúchos nem foi o cerco selvagem dos grupos agressivos e intolerantes da extrema esquerda, mas foi a repentina presença do governador Tarso Genro, que "casualmente" passava pelo local, conforme registro do jornal O Globo. Tarso Genro não se negou a falar aos jornalistas e jogar mais lenha na fogueira. Como se sabe, o ato provocador foi organizado e sua execução foi fiscalizada.
Leia este trecho da notícia desta sexta-feira de O Globo, que registra a presença de Tarso Genro (na agenda oficial do governador, não estava prevista nenhuma viagem dele ao Rio e no Palácio Piratini ninguém soube explicar o que ele fazia diante do Clube Militar na hora da manifestação):

. No fim do evento, os militares ficaram acuados dentro do prédio e foram saindo aos poucos. O governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro, ex-ministro da Justiça, passou em frente à sede por causa de um outro evento. Ele considerou a comemoração dos militares uma provocação. Já o general Nilton Cerqueira, que comandou a operação que acabou na morte do ex-capitão Carlos Lamarca, em 1971, enfrentou os manifestantes.

(Polibio Braga)

FONTE: http://datadez.blogspot.com.br/2012/03/grupos-provocadores-fascio-comunitas.html

LEIA TAMBÉM...
Só em 1969, Dilma Rousseff organizou três ações de ROUBO de armamentos em unidades do Exército Brasileiro no Rio de Janeiro...
http://www.facebook.com/photo.php?fbid=423523594331089&set=p.423523594331...

ASSISTA AO VÍDEO...
Vera Silvia Magalhães era guerrilheira do grupo da Dilma Rousseff, e revela como elas roubavam armas do Exército Brasileiro para fazerem terrorismo no Brasil...
http://migre.me/8uevx

ASSISTA...
O Governador do Rio Grande do Sul, TARSO GENRO do PT, estava no dia 29/03/2012 passando "por acaso" pelo Clube Militar, no Rio de Janeiro...
http://youtu.be/DT7IH28vIU4

LEIA...
ALLAN BORGES, superintendente de Estado de Políticas Públicas para a Juventude do Rio de Janeiro [do Sérgio Cabral - aliado da Dilma-PT-Lula] e integrante do Diretório Estadual do PT, UM DOS ORGANIZADORES do evento que agrediu e hostilizou militares das Forças Armadas Brasileiras no Rio de Janeiro, no dia 29/03.
http://migre.me/8vxwo

LEIA...
Aos que defenderam a Pátria, nossas saudações!
http://www.deuslovult.org/2012/03/31/aos-que-defenderam-a-patria-nossas-sauda...

Nenhum comentário:

wibiya widget

A teoria marxista da “ideologia de classe” não tem pé nem cabeça. Ou a ideologia do sujeito traduz necessariamente os interesses da classe a que ele pertence, ou ele está livre para tornar-se advogado de alguma outra classe. Na primeira hipótese, jamais surgiria um comunista entre os burgueses e Karl Marx jamais teria sido Karl Marx. Na segunda, não há vínculo entre a ideologia e a condição social do indivíduo e não há portanto ideologia de classe: há apenas a ideologia pessoal que cada um atribui à classe com que simpatiza, construindo depois, por mera inversão dessa fantasia, a suposta ideologia da classe adversária. Uma teoria que pode ser demolida em sete linhas não vale cinco, mas com base nela já se matou tanta gente, já se destruiu tanto patrimônio da humanidade e sobretudo já se gastou tanto dinheiro em subsídios universitários, que é preciso continuar a fingir que se acredita nela, para não admitir o vexame. Olavo de Carvalho, íntegra aqui.
"Para conseguir sua maturidade o homem necessita de um certo equilíbrio entre estas três coisas: talento, educação e experiência." (De civ Dei 11,25)
Cuidado com seus pensamentos: eles se transformam em palavras. Cuidado com suas palavras: elas se transformam em ação. Cuidado com suas ações: elas se transformam em hábitos. Cuidado com seus atos: eles moldam seu caráter.
Cuidado com seu caráter: ele controla seu destino.
A perversão da retórica, que falseia a lógica e os fatos para vencer o adversário em luta desleal, denomina-se erística. Se a retórica apenas simplifica e embeleza os argumentos para torná-los atraentes, a erística vai além: embeleza com falsos atrativos a falta de argumentos.
‎"O que me leva ao conservadorismo é a pesquisa e a investigação da realidade. Como eu não gosto de futebol, não gosto de pagode, não gosto de axé music, não gosto de carnaval, não fumo maconha e considero o PT ilegal, posso dizer que não me considero brasileiro - ao contrário da maioria desses estúpidos que conheço, que afirma ter orgulho disso". (José Octavio Dettmann)
" Platão já observava que a degradação moral da sociedade não chega ao seu ponto mais abjeto quando as virtudes desapareceram do cenário público, mas quando a própria capacidade de concebê-las se extinguiu nas almas da geração mais nova. " Citação de Olavo de Carvalho em "Virtudes nacionais".