Loja OLAVETTES: produtos Olavo de Carvalho

Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro concede Medalha Tiradentes a Olavo de Carvalho. Aqui.

segunda-feira, 30 de julho de 2012

Esses “conservadores” brasileiros e suas ideias maravilhosas

 

MÍDIA A MAIS

12 | 06 | 2012

Por: Redação Midia@Mais

De um lado, Alckmin defendendo o casamento gay; do outro, Kassab perseguindo motoristas de automóveis. Com uma “direita” como essa, quem precisa de socialistas para fazer a revolução?

Geraldo Alckmin, modelo de “conservador brasileiro”, “ligado a setores tradicionais da igreja”, é declaradamente favorável ao casamento gay, como ele deixou claro nesta entrevista:

- O deputado federal Jean Wyllys (PSol-RJ) tem uma proposta sobre o casamento civil igualitário no Brasil. Qual a opinião do senhor sobre o casamento civil?

GERALDO ALCKMIN - Eu sou favorável. Primeiro que a lei estadual que nós promulgamos em 2001 (Lei 10.948) que ela seja federal, que ela possa ir para o Brasil inteiro para não se tolerar homofobia, não se tolerar discriminação, não se tolerar injustiça. A injustiça cometida contra uma pessoa é uma ameaça a toda a sociedade. Não pode ser tolerada. E sou favorável aos direitos civis, os direitos civis são importantes. É uma tradição da legislação brasileira.

(http://www.advivo.com.br/blog/gunter-zibell-sp/eu-sou-a-favor-do-casamento-gay-afirma-geraldo-alckmin)

Alckmin está na vanguarda das reivindicações do movimento LGBT: é do governo estadual a iniciativa de criar um mundialmente pioneiro “museu gay” em São Paulo (http://www.midiaamais.com.br/artigo/detalhes/2071/Governo+de+SP+deixa+para+depois+ilumina%C3%A7%C3%A3o+e+seguran%C3%A7a+para+fazer+%E2%80%9Cmuseu+gay%E2%80%9D+em+pra%C3%A7a).

Kassab, por sua vez, faz cortesia com chapéu alheio ao conceder terreno público para o memorial do socialista Lula (http://noticias.terra.com.br/brasil/noticias/0,,OI5808896-EI7896,00-SP+apos+conceder+terreno+para+memorial+Kassab+visita+Lula.html), além de fazer de tudo para dificultar a vida dos paulistanos, com o objetivo de adequar a cidade aos devaneios internacionalistas do lobby ambiental (http://www.midiaamais.com.br/artigo/detalhes/1027/Lentos+e+Furiosos+%E2%80%93+Desafio+em+S%C3%A3o+Paulo:+Kassab+apoia+criar+taxa+sobre+donos+de+carros+para+apoiar+ciclistas).

É por essas e outras que, ao optar pelo antipetismo, o brasileiro em geral (e o paulista em particular) acaba votando nos “menos piores”: embora, nesse caso, “menos pior” esteja longe de significar “menos esquerdista”.

Nenhum comentário:

wibiya widget

A teoria marxista da “ideologia de classe” não tem pé nem cabeça. Ou a ideologia do sujeito traduz necessariamente os interesses da classe a que ele pertence, ou ele está livre para tornar-se advogado de alguma outra classe. Na primeira hipótese, jamais surgiria um comunista entre os burgueses e Karl Marx jamais teria sido Karl Marx. Na segunda, não há vínculo entre a ideologia e a condição social do indivíduo e não há portanto ideologia de classe: há apenas a ideologia pessoal que cada um atribui à classe com que simpatiza, construindo depois, por mera inversão dessa fantasia, a suposta ideologia da classe adversária. Uma teoria que pode ser demolida em sete linhas não vale cinco, mas com base nela já se matou tanta gente, já se destruiu tanto patrimônio da humanidade e sobretudo já se gastou tanto dinheiro em subsídios universitários, que é preciso continuar a fingir que se acredita nela, para não admitir o vexame. Olavo de Carvalho, íntegra aqui.
"Para conseguir sua maturidade o homem necessita de um certo equilíbrio entre estas três coisas: talento, educação e experiência." (De civ Dei 11,25)
Cuidado com seus pensamentos: eles se transformam em palavras. Cuidado com suas palavras: elas se transformam em ação. Cuidado com suas ações: elas se transformam em hábitos. Cuidado com seus atos: eles moldam seu caráter.
Cuidado com seu caráter: ele controla seu destino.
A perversão da retórica, que falseia a lógica e os fatos para vencer o adversário em luta desleal, denomina-se erística. Se a retórica apenas simplifica e embeleza os argumentos para torná-los atraentes, a erística vai além: embeleza com falsos atrativos a falta de argumentos.
‎"O que me leva ao conservadorismo é a pesquisa e a investigação da realidade. Como eu não gosto de futebol, não gosto de pagode, não gosto de axé music, não gosto de carnaval, não fumo maconha e considero o PT ilegal, posso dizer que não me considero brasileiro - ao contrário da maioria desses estúpidos que conheço, que afirma ter orgulho disso". (José Octavio Dettmann)
" Platão já observava que a degradação moral da sociedade não chega ao seu ponto mais abjeto quando as virtudes desapareceram do cenário público, mas quando a própria capacidade de concebê-las se extinguiu nas almas da geração mais nova. " Citação de Olavo de Carvalho em "Virtudes nacionais".