Loja OLAVETTES: produtos Olavo de Carvalho

Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro concede Medalha Tiradentes a Olavo de Carvalho. Aqui.

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Descaso de Cid Gomes faz Polícia e Bombeiro Militar entrar em greve no Ceará

RICARDO GAMA
terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Não há como negar, a situação em Fortaleza está muito complicada, mas esse CAOS todo tem um nome, e é Cid Gomes o FANFARRÃO que governa o Ceará e que gosta de viajar em jatinhos de empresários, tal como Sérgio Cabral no Rio de Janeiro.

Desde o ano de 2007 os policiais e bombeiros militares vem implorando ao Governo do Ceará que atendesse as reivindicações da tropa, mas Cid Gomes ignorava os militares, resultado, a greve explodiu.

Hoje eu conversei com o presidente da Associação dos Praças, PMs e Bombeiros, Pedro Queiroz, por telefone, vejam o vídeo abaixo.



Sinceramente eu espero que o Governador Cid Gomes tome um pouco de vergonha na cara, e atenda os militares.

temos que nos atentar que esse é um movimento que está se espalhando por todo o Brasil, devido a omissão, descaso, incompetência dos governadores, lembram do Sérgio Cabral e a crise dos Bombeiros Militares do Rio que ainda não acabou?

Que os governadores abram o olho, e passem a respeitar mais o servidor estadual da segurança pública.

E que os policiais e bombeiros militares não deixem de atender o povo.

Abaixo uma matéria da Revista Veja, digamos..., deixa para lá.

Reprodução da Revista Veja on line


A greve da Polícia Militar e dos Bombeiros do Ceará está provocando pânico entre os moradores de Fortaleza e do interior. Notícias sobre arrastões que acontecem desde a segunda-feira pelo estado fizeram o comércio fechar e os cearenses ficarem em casa.

Nesta terça-feira, foi confirmada uma tentativa de assalto no bairro Aldeota, em Fortaleza, informou o Diário do Nordeste. Um homem foi abordado por três assaltantes, mas a vítima reagiu a tiros e os ladrões fugiram. Ninguém se feriu. No bairro Serrinha, uma agência lotérica foi assaltada por três homens armados. Escolas dos bairros Vila Velha e Montese fecharam as portas.

No início da tarde, a Delegacia de Narcóticos (Denarc) prendeu dois homens e uma mulher envolvidos em assaltos praticados no Jardim Iracema. A informação foi confirmada pelo delegado titular da Denarc, Pedro Viana, ao Diário do Nordeste. O trio portava uma metralhadora 9 mm, dois revólveres, uma pistola .40 e um revólver calibre 38, munição, cinquenta papelotes de cocaína, balança e três pneus de carro.

Pelo boca a boca e pelas redes sociais circulam notícias nem sempre verdadeiras sobre ataques a shoppings, supermercados e lojas. Na manhã desta terça-feira, por exemplo, boatos de um arrastão no Mercado Central de Fortaleza causaram confusão e o fechamento de lojas. “Não houve nada. O pessoal ficou com medo e começou a fechar as lojas, foi apenas tumulto”, disse ao Diário do Nordeste o presidente da Associação dos Empresários do Centro de Fortaleza, João Maia Santos Júnior.

O clima de pânico tem feito prosperarem boatos, a exemplo do que aconteceu em São Paulo em maio de 2006, quando o Primeiro Comando da Capital (PCC) atacou dezenas de delegacias e bases policiais. Na época, na capital paulista, o medo chegou a tal ponto que a maioria dos trabalhadores foi dispensada mais cedo do serviço e trancou-se em casa com medo. A Avenida Paulista, principal via da cidade, ficou deserta à noite.

Farmácia e ônibus assaltados - Em Fortaleza, na segunda-feira, foram registrados ao menos três arrastões na capital, informou o jornal O Povo. “Eram uns vinte ou trinta homens com armas em punho”, contou ao jornal o funcionário de uma farmácia que presenciou um dos arrastões. O estabelecimento encerra o expediente às 22h30, mas na segunda, ao anoitecer, às 19 horas, já estava fechado.

Ainda em Fortaleza, um ônibus foi parado por cerca de quinze bandidos e todos os passageiros foram roubados. “Eles estavam ameaçando apedrejar o coletivo e o motorista teve que abrir a porta”, disse ao O Povo um dos passageiros. Os bandidos aproveitaram a falta de policiamento também para assaltar carros que estavam parados no semáforo, na Via Expressa.


Situação de emergência - Os policiais militares e bombeiros do Ceará estão em greve desde quinta-feira da semana passada. Eles reivindicam aumento salarial de 80% até 2015, reajuste do auxílio-alimentação e assistência médica. A paralisação fez o governador do estado, Cid Gomes, decretar estado de emergência na sexta-feira. O decreto foi publicado no Diário Oficial no sábado.

Cid Gomes convocou o Exército e a Força Nacional de Segurança Pública para reforçar o policiamento no estado. O governo estadual emprestou ainda 159 veículos recém-adquiridos pela Secretaria de Saúde para uso da segurança. Aproximadamente 2,5 mil militares já patrulham as ruas de Fortaleza e região metropolitana.

Segundo o Comando da 10ª Região Militar, órgão do Exército responsável por coordenar a Operação Ceará, 710 homens do Exército, 169 da Força Nacional e 1.620 integrantes de órgãos federais de segurança pública farão o patrulhamento ostensivo. Eles ficarão no estado pelo tempo que for necessário, informou a Agência Brasil.

Greve ilegal - O Tribunal de Justiça do Estado o Ceará (TJCE) determinou, na segunda-feira, que os policiais e bombeiros voltem imediatamente às atividades. Caso a determinação seja descumprida, cada trabalhador pagará multa diária de 500 reais e cada sindicato envolvido na greve, multa diária de 15 000 reais.

A decisão judicial, assinada pela desembargadora Sérgia Miranda, considera o movimento ilegal. “Não se pode perder de vista a supremacia do interesse público e a necessidade de se dar continuidade ao serviço essencial”, argumentou a desembargadora. A Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social do Estado informou que está tomando providências para que a liminar seja cumprida.

Nenhum comentário:

wibiya widget

A teoria marxista da “ideologia de classe” não tem pé nem cabeça. Ou a ideologia do sujeito traduz necessariamente os interesses da classe a que ele pertence, ou ele está livre para tornar-se advogado de alguma outra classe. Na primeira hipótese, jamais surgiria um comunista entre os burgueses e Karl Marx jamais teria sido Karl Marx. Na segunda, não há vínculo entre a ideologia e a condição social do indivíduo e não há portanto ideologia de classe: há apenas a ideologia pessoal que cada um atribui à classe com que simpatiza, construindo depois, por mera inversão dessa fantasia, a suposta ideologia da classe adversária. Uma teoria que pode ser demolida em sete linhas não vale cinco, mas com base nela já se matou tanta gente, já se destruiu tanto patrimônio da humanidade e sobretudo já se gastou tanto dinheiro em subsídios universitários, que é preciso continuar a fingir que se acredita nela, para não admitir o vexame. Olavo de Carvalho, íntegra aqui.
"Para conseguir sua maturidade o homem necessita de um certo equilíbrio entre estas três coisas: talento, educação e experiência." (De civ Dei 11,25)
Cuidado com seus pensamentos: eles se transformam em palavras. Cuidado com suas palavras: elas se transformam em ação. Cuidado com suas ações: elas se transformam em hábitos. Cuidado com seus atos: eles moldam seu caráter.
Cuidado com seu caráter: ele controla seu destino.
A perversão da retórica, que falseia a lógica e os fatos para vencer o adversário em luta desleal, denomina-se erística. Se a retórica apenas simplifica e embeleza os argumentos para torná-los atraentes, a erística vai além: embeleza com falsos atrativos a falta de argumentos.
‎"O que me leva ao conservadorismo é a pesquisa e a investigação da realidade. Como eu não gosto de futebol, não gosto de pagode, não gosto de axé music, não gosto de carnaval, não fumo maconha e considero o PT ilegal, posso dizer que não me considero brasileiro - ao contrário da maioria desses estúpidos que conheço, que afirma ter orgulho disso". (José Octavio Dettmann)
" Platão já observava que a degradação moral da sociedade não chega ao seu ponto mais abjeto quando as virtudes desapareceram do cenário público, mas quando a própria capacidade de concebê-las se extinguiu nas almas da geração mais nova. " Citação de Olavo de Carvalho em "Virtudes nacionais".