Loja OLAVETTES: produtos Olavo de Carvalho

Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro concede Medalha Tiradentes a Olavo de Carvalho. Aqui.

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Revolução sexual custando bilhões de dólares anualmente para a Inglaterra

 

JULIO SEVERO

14 de fevereiro de 2012

Matthew Cullinan Hoffman

13 de fevereiro de 2012 (LifeSiteNews.com) — A cultura de promiscuidade sexual da Inglaterra não é destrutiva somente para o país em nível moral — vem também com um preço pesado, de acordo com o recente documento “Cambridge Paper” publicado pelo Centro Jubileu da Inglaterra, um instituto protestante de políticas públicas.

Desintegração da família: os inocentes pagam o preço

Depois de somar os custos diretos da promiscuidade bem como os custos indiretos resultantes da desintegração da família, o documento conclui que “100 bilhões de libras (157 bilhões de dólares) anualmente é um ponto de partida razoável”, que é “cerca do dobro das despesas de abuso de álcool, fumo e obesidade juntas”. O número equivale a quase 1.400 libras por ano por contribuinte do imposto de renda, de acordo com Peter Saunders da Associação Médica Cristã da Inglaterra.

Guy Brandon, autor do documento, observa, “legalmente, o sexo é um assunto privado entre indivíduos” e que “sob a Lei de Crimes Sexuais de 2003, os adultos são essencialmente livres para agir conforme escolherem, independente da condição conjugal ou relacionamento”.

Contudo, “Reconhece-se um pouco as falhas dessa abordagem. Poucas pessoas genuinamente duvidam que a liberdade sexual tem consequências para terceiros”.

As consequências da atitude libertina da Inglaterra para com a sexualidade humana incluem desintegração da família e resultados finais prejudiciais devido à maior promiscuidade, argumenta Brandon.

Embora um estudo recente do governo britânico, intitulado Inglaterra se Desintegrando, tenha revelado que a desintegração da família custa aos contribuintes do imposto de renda 24 bilhões de libras (37,8 bilhões de dólares), o autor chega a um resultado muito mais elevado levando em consideração os efeitos da promiscuidade.

Os efeitos diretos da promiscuidade somente custam a cada contribuinte do imposto de renda 60 libras (94 dólares) por ano, e incluem o custo de abortos induzidos, tratamento de doenças venéreas e a infertilidade que as DSTs provocam, e assistência maternal para adolescentes mães solteiras. Contudo, além dessas consequências estão os efeitos mais indiretos que também acarretam despesas sérias, inclusive ausência do trabalho, violência doméstica e baixo rendimento educacional, que Inglaterra se Desintegrando e outros estudos identificaram como consequências de desintegração doméstica.

“O risco moral que surge quando a sociedade apoia sem restrição a liberdade sexual traz como consequência enormes gastos públicos”, conclui Brandon, que oferece três respostas possíveis: 1) a abordagem do “Estado Gigante”, que agrava o problema tirando os custos da irresponsabilidade sexual dos irresponsáveis e jogando nas costas da sociedade inteira, 2) a abordagem de leis duras representadas por tais tradições como a lei islâmica xaria, ou 3) o “modelo bíblico” de “maior prestação de contas pelas escolhas sexuais, fortalecendo as famílias estendidas aumentando enraizamento e lhes dando interesses financeiros comuns”.

“Nisso a ética sexual cristã de fidelidade e estabilidade tem não somente uma justificativa espiritual, mas também oferece uma resposta pragmática para uma cultura decadente que geralmente vê os padrões cristãos como irremediavelmente antiquados”, escreve Brandon.

Tradução: www.juliosevero.com

Fonte: LifeSiteNews

O preço da desintegração do casamento tradicional

Líder do Fundo de População das Nações Unidas diz que a desintegração da família é um triunfo para os direitos humanos

Distorções e abusos do Estado voraz gerando caos às famílias

Desintegração da família está custando 41 bilhões de libras ao governo inglês

Controle da natalidade no mundo ocidental ajudando no crescimento explosivo do islamismo

Suécia: um alerta contra o extremismo do Estado em suas políticas públicas para a família

ONU promove prostituição como redução de danos

Combater o divórcio pode economizar bilhões ao governo

Coabitação ligada a aumento exponencial em risco de relacionamentos fracassados

Nenhum comentário:

wibiya widget

A teoria marxista da “ideologia de classe” não tem pé nem cabeça. Ou a ideologia do sujeito traduz necessariamente os interesses da classe a que ele pertence, ou ele está livre para tornar-se advogado de alguma outra classe. Na primeira hipótese, jamais surgiria um comunista entre os burgueses e Karl Marx jamais teria sido Karl Marx. Na segunda, não há vínculo entre a ideologia e a condição social do indivíduo e não há portanto ideologia de classe: há apenas a ideologia pessoal que cada um atribui à classe com que simpatiza, construindo depois, por mera inversão dessa fantasia, a suposta ideologia da classe adversária. Uma teoria que pode ser demolida em sete linhas não vale cinco, mas com base nela já se matou tanta gente, já se destruiu tanto patrimônio da humanidade e sobretudo já se gastou tanto dinheiro em subsídios universitários, que é preciso continuar a fingir que se acredita nela, para não admitir o vexame. Olavo de Carvalho, íntegra aqui.
"Para conseguir sua maturidade o homem necessita de um certo equilíbrio entre estas três coisas: talento, educação e experiência." (De civ Dei 11,25)
Cuidado com seus pensamentos: eles se transformam em palavras. Cuidado com suas palavras: elas se transformam em ação. Cuidado com suas ações: elas se transformam em hábitos. Cuidado com seus atos: eles moldam seu caráter.
Cuidado com seu caráter: ele controla seu destino.
A perversão da retórica, que falseia a lógica e os fatos para vencer o adversário em luta desleal, denomina-se erística. Se a retórica apenas simplifica e embeleza os argumentos para torná-los atraentes, a erística vai além: embeleza com falsos atrativos a falta de argumentos.
‎"O que me leva ao conservadorismo é a pesquisa e a investigação da realidade. Como eu não gosto de futebol, não gosto de pagode, não gosto de axé music, não gosto de carnaval, não fumo maconha e considero o PT ilegal, posso dizer que não me considero brasileiro - ao contrário da maioria desses estúpidos que conheço, que afirma ter orgulho disso". (José Octavio Dettmann)
" Platão já observava que a degradação moral da sociedade não chega ao seu ponto mais abjeto quando as virtudes desapareceram do cenário público, mas quando a própria capacidade de concebê-las se extinguiu nas almas da geração mais nova. " Citação de Olavo de Carvalho em "Virtudes nacionais".