Loja OLAVETTES: produtos Olavo de Carvalho

Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro concede Medalha Tiradentes a Olavo de Carvalho. Aqui.

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

CÓDIGO FLORESTAL NA MADRUGADA

VENENO VELUDO
QUINTA-FEIRA, 1 DE DEZEMBRO DE 2011


Começou perto da meia-noite, mais um daqueles papos de Twitter que a gente até esquece que pode existir, mas ainda bem que existe! Quem puxou a prosa foi o Coronel, do CoroneLeaks, comentando com Mônica Waldvogel as observações feitas pela jornalista, sobre o Código Florestal. A conversa tomou corpo com a entrada do especialista no tema, Ciro Siqueira, e com BSchopenhauer, com o seu estilo que o leitor do Veneno conhece bem. No final, uma "participação especial" do (hoje) ministro dos esportes, Aldo Rebelo, que foi o relator do Código Florestal na Câmara dos Deputados e o grande responsável por levar o debate sobre ele por todo o território nacional. 

Opiniões de indivíduos pensantes, por si, nem sempre são convergentes, nem sempre são tão divergentes. Nesse nosso mundo de mentes tão pasteurizadas, seja pela ideologia que doutrina todas as instituições, ou pela simples preguiça de pensar, nada como poder presenciar o pensamento liberto do patrulhamento ideológico entre indivíduos... livres. Pessoas inteligentes, "positivas", propositivas, talvez sem nem perceberem,  jogaram algumas luzes e levantaram bons questionamentos sobre um tema tão complicado quanto é o debate sobre o novo Código Florestal, que deve ser enfim votado no plenário do Senado na próxima semana.  

A seguir alguns dos tweets trocados entre o grupo. Notem as pitadas de humor, lá no final, em referências aos métodos fundamentalistas do ecoterrorismo promovido pelas ONGs internacionais que patrocinam dona Marina Silva contra a aprovação do Código Florestal Brasileiro. Para facilitar a visualização, retirei as mentions (arroba_perfil) em alguns dos tweets. Já está claro que o grupo conversava entre si.

Coronel: A competente @MonicaWaldvogel deu show de desinformação sobre Código Florestal. Até tu, Mônica! Jornalistas precisam ser menos patrulhados. Olha, tenho um enorme respeito e admiração pelo seu trabalho. Tema Código Florestal é complexo e jornalistas estão sempre pressionados.

Mônica: @coroneldoblog pressionados apenas para tentar entender e distinguir, tenha certeza. Eu estudo pra caramba pra poder fazer o meu trabalho. Ainda não encontrei quem tenha mais tempo de leitura do Código, das análises e dos estudos, de todos os lados. Francamente...

Coronel: @MonicaWaldvogel Sugiro o @CiroFSiqueira blogueiro do Código Florestal que escreve sobre o tema desde 2007. É mestre e da Amazônia!

Mônica: Tks pela dica. Quando a gente lê dados, calcula grandezas, sobrepõe territórios vê que todo mundo mistifica.


Coronel: Mônica, é sério. O Ciro não é tão tímido quanto o Nassar. Está lá em Paragominas, sabe tudo! É fonte de 1a.!

Mônica: Ciro, avise quando estiver em SP!

Ciro: Para falar de Código Florestal eu posso estar em SP quando você quiser. Ainda mais agora que estou zen.

BSchopenhauer: @MonicaWaldvogel Convida o @CiroFSiqueira e o @coroneldoblog para debaterem o Código Florestal no "Entre Aspas". Estende o debate sobre o Código Florestal para o descumprimento do atual.

Mônica: Não entendi.

Ciro: A lei atual não funciona, não protege floresta nenhuma e os verdes adoram. Não é estranho?

Monica: Não funciona mesmo.

BSchopenhauer: Esse ponto é fundamental: o Código Florestal atual nunca foi cumprido por culpa dos governos. Paradoxo normativo: o Código que nunca foi cumprido é defendido pelo que não é.

Ciro: Os verdes dizem que a lei atual é uma das melhores do mundo, mas ela não funciona. 

Mônica: O país é grande demais, difícil enquadrar todo mundo. regras foram e voltaram. é uma confusão.

Ciro: Essa é a fonte de toda a confusão. Enquanto todos estavam ilegais, mas a lei crimes não estava regulamentada o esqueleto tava no armário. Quando o Minc regulamentou a lei de crimes e deixou 90% da agricultura passiva de multa diária, o gato subiu no telhado, veio a comissão especial, o Aldo, etc, etc, etc...

BSchopenhauer:  Multas ambientais nestepaiz são engodo descarado. Servem para fomentar crimes funcionais.

Ciro: Único efeito prático é torna 90% da produção rural brazuca em crime. Não é lindo isso?

Monica: Como assim? Você está exagerando os números.

Ciro: A que número você se refere?

Monica: 90% da produção fica ilegal. Entendo que não. Que a reserva legal terá de ser recomposta - e os índices não foram modificados. Mudou é APP.


Ciro: Quisera eu que fosse um exagero. Essa é a fonte de tudo. Há um dec que entra em vigor no dia 11 que regulamenta a lei de crimes ambientais. Ele enquadrará todos os produtores que não RL averbada, ou seja, 90%.  Olha nesse link bit.ly/sEmsyw Tem toda a história que ensejou a atual reforma do Código Florestal

Mônica: Vou ler depois com calma. mas, se tiver paciência, topa dar uma discutida nos números?

BSchopenhauer:  Reservas legais deveriam se substituir por unidades de conservação estatais

Mônica:  Reserva legal é dentro de propriedade particular, não?

Ciro: Lembra de uma arenga entre os Ministros da Agricultura e do Meio Ambiente do Lula? Stephanes e Minc? A coisa começou lá.

Mônica: Claro. Natural o conflito. Estranho seria não haver.

Ciro: Globo Amazônia - Lula repreende Minc e Stephanes por bate boca público. glo.bo/vq07Bn

Mônica:  Começando pelas APPs e arredondando: 130 milhões de ha. 44 mi destruídos pela pecuária, 11mi pela agricultura. Confere?

Ciro: Reserva legal coloca na ilegalidade mais de 90% das propriedades rurais. Agência Senado bit.ly/tbpw3o

BSchopenhauer: Reservas Legais são dentro de propriedade particular. Em regra, fragmentadas, sem utilidade ambiental. Muito mais lógico que as RL fossem extintas e o Estado criasse unidades de conservação. 

Mônica: Desapropriando tudo>?

BSchopenhauer: Permitindo o uso normal das Reservas Legais e criando em outras áreas públicas as unidades de conservação.

Mônica: Assim é muito mais difícil, acho eu.

BSchopenhauer: Mais difícil porque o Estado brasileiro é propenso a criar obrigações para os indivíduos. Vejam a situação atual das unidades de conservação públicas. Abandonadas.

Mônica: Ah, isso é mesmo. E você ainda quer criar mais? Tem de obrigar os caras a cumprir a lei!

BSchopenhauer: Quero que o Estado cumpra primeiro o que lhe compete e, só depois, crie deveres para os indivíduos. 

Mônica: Os indivíduos não podem ficar assim tão à solta, esperando.

BSchopenhauer: Não se trata de deixar os indivíduos à solta, mas de o Estado cumprir, primeiro, o que lhe cabe Enquanto o mesmo Estado não cumpre o que lhe mandam a Constituição e as leis. O Estado brasileiro é o primeiro a degradar o meio ambiente, por ação ou omissão ilícita

Mônica: Bingo. E por atrasar análises de desmatamento legal.

BSchopenhauer: Pensem na degradação ambiental por falta de saneamento nas cidades brasileiras

Mônica: Direito básico desrespeitado. Tem uma potlrona bem confortável?

BSchopenhauer: Poltrona confortável? Para brigar?

Mônica: Pra esperar o Estado cumprir a sua parte.

BSchopenhauer: Enquanto parlamentares, sociedade, ONGs debatem o novo Código Florestal, quem está cobrando do governo saneamento básico?  É diversionista a ação do Estado, antes de cumprir o que lhe cabe, criar deveres para o indivíduo.

Mônica: Não posso debater com você que tem 43 (ou mais) maneiras de vencer uma discussão :)

BSchopenhauer: Somente 38 estratagemas. [obra de Arthur Schopenhauer, Como vencer um Debate sem ter razão]

Mônica: 38? não falei que não dá pra discutir com Schopenhauer?

BSchopenhauer: Mas prefiro vencer o debate com razão. Mas costumo assistir ao "Entre Aspas", apesar de muitos esquerdistas presentes.

Mônica: Muitos? Que nada. Raramente aceitam. Será que é aquele pessoal da USP?

BSchopenhauer: PUC-USP, a maior concentração de esquerdistas fora do mundo.

Coronel: Se eu fosse a @MonicaWaldvogel entrevistava o @aldorebelo que acaba de entrar na sala! Boa noite, ministro! (só arranjo confiusão!)

Mônica: @coroneldoblog @aldorebelo Logo agora que ele se livrou do Código Florestal? Boa noite, ministro!

BSchopenhauer: @coroneldoblog @MonicaWaldvogel@aldorebelo Ainda vou fazer uma análise do debate do Código Florestal à luz dos 38 estratagemas.

Mônica: Boa! Manda o link pra mim. Adoro destrinchar falácias. É uma espécie de hobby.

BSchopenhauer: Se bem que os defensores do Código Florestal descumprido apreciam um estratagema especial: insulto.

Mônica:  E balões verdinhos.

BSchopenhauer: Balões verdinhos? Vale levar um alfinete?

Coronel:  Achei um fenômeno obter 1,47 milhão assinaturas em 24 horas. Tinha 70 mil até a véspera do protesto contra Código Florestal.

Mônica: Deve ter sido o milagre da gota d'água.

BSchopenhauer: Ainda me surpreendo com a racionalidade ambiental do @aldorebelo. Até parece que não é comunista.

Coronel: Aldo é antes de tudo um brasileiro defendendo o Brasil. Ninguém pode dizer que não. Admirável.

Aldo: @coroneldoblog @bschopenhauer @monicawaldvogel O debate sobre o Código Florestal só tangencia a agricultura pela questão nacional.

BSchopenhauer: @MonicaWaldvogel Vou assistir ao "Entre Aspas" amanhã, para ver seu índice de desenvolvimento esquerdista.

E com boas noites geral, todos se despediram. Bem, este meu final não ficou à altura do debate. Mas também não precisa. As mentes aí acima falam por si. E por mim. E se os "co-autores" encontrarem erros nas transcrições, por favor, ajudem-me a corrigi-los. 

Vamos ao Plenário. Código Florestal já!


Arquivo:

Nenhum comentário:

wibiya widget

A teoria marxista da “ideologia de classe” não tem pé nem cabeça. Ou a ideologia do sujeito traduz necessariamente os interesses da classe a que ele pertence, ou ele está livre para tornar-se advogado de alguma outra classe. Na primeira hipótese, jamais surgiria um comunista entre os burgueses e Karl Marx jamais teria sido Karl Marx. Na segunda, não há vínculo entre a ideologia e a condição social do indivíduo e não há portanto ideologia de classe: há apenas a ideologia pessoal que cada um atribui à classe com que simpatiza, construindo depois, por mera inversão dessa fantasia, a suposta ideologia da classe adversária. Uma teoria que pode ser demolida em sete linhas não vale cinco, mas com base nela já se matou tanta gente, já se destruiu tanto patrimônio da humanidade e sobretudo já se gastou tanto dinheiro em subsídios universitários, que é preciso continuar a fingir que se acredita nela, para não admitir o vexame. Olavo de Carvalho, íntegra aqui.
"Para conseguir sua maturidade o homem necessita de um certo equilíbrio entre estas três coisas: talento, educação e experiência." (De civ Dei 11,25)
Cuidado com seus pensamentos: eles se transformam em palavras. Cuidado com suas palavras: elas se transformam em ação. Cuidado com suas ações: elas se transformam em hábitos. Cuidado com seus atos: eles moldam seu caráter.
Cuidado com seu caráter: ele controla seu destino.
A perversão da retórica, que falseia a lógica e os fatos para vencer o adversário em luta desleal, denomina-se erística. Se a retórica apenas simplifica e embeleza os argumentos para torná-los atraentes, a erística vai além: embeleza com falsos atrativos a falta de argumentos.
‎"O que me leva ao conservadorismo é a pesquisa e a investigação da realidade. Como eu não gosto de futebol, não gosto de pagode, não gosto de axé music, não gosto de carnaval, não fumo maconha e considero o PT ilegal, posso dizer que não me considero brasileiro - ao contrário da maioria desses estúpidos que conheço, que afirma ter orgulho disso". (José Octavio Dettmann)
" Platão já observava que a degradação moral da sociedade não chega ao seu ponto mais abjeto quando as virtudes desapareceram do cenário público, mas quando a própria capacidade de concebê-las se extinguiu nas almas da geração mais nova. " Citação de Olavo de Carvalho em "Virtudes nacionais".