Loja OLAVETTES: produtos Olavo de Carvalho

Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro concede Medalha Tiradentes a Olavo de Carvalho. Aqui.

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Empresas japonesas interrompem produção na China

 

VEJA

17/09/2012 - 10:42

Ásia

Disputa por um pequeno arquipélago provoca onda de protestos contra o Japão em vários pontos do território chinês e obriga companhias a parar

Chineses protestam do lado de fora da embaixada japonesa em Pequim

Disputa entre Pequim e Tóquio ganhou força após anúncio de aquisição de três ilhas pelo Japão (David Gray/Reuters)

Manifestações fizeram com que grandes empresas japonesas, como Panasonic, Canon e Honda, anunciassem a suspensão de suas atividades

Empresas japonesas decidiram interromper a produção na China após uma série de protestos deflagrados em todo o país contra o Japão. Os países vizinhos reivindicam a posse de um pequeno arquipélago no Mar da China Oriental hoje controlado por Tóquio.

A Panasonic interrompeu as atividades na fábrica de Qingdao, no Nordeste chinês, após um incêndio. A empresa também teria suspendido temporariamente as operações em outras duas unidades, mas a informação não foi confirmada oficialmente.

A empresa de câmeras fotográficas e impressoras Canon paralisou três de suas quatro principais fábricas nesta segunda-feira e terça-feira para garantir a segurança dos funcionários.

E a montadora Honda anunciou que vai suspender a produção na China por dois dias a partir desta terça. A porta-voz da montadora, Natsuno Asanuma, disse à imprensa que suspenderá a produção entre 18 e 19 de setembro em duas fábricas na cidade de Guangzhou, no sul do país, e Wuhan, na região central. As fábricas, administradas com parceiras chinesas, têm capacidade para produzir 820 mil carros por ano, disse a porta-voz.

"Decidimos suspender a produção por dois dias, na sequência de tensões entre China e Japão", disse Asanuma. "Nossos revendedores não estão em condições de receber novos veículos atualmente", acrescentou, referindo-se a ataques contra algumas lojas no final de semana.

A disputa – Nos últimos dias foram registrados diversos protestos na China contra o Japão pela disputa territorial de um pequeno arquipélago que Pequim chama de Diaiyu e Tóquio de Senkaku. Os dois países reivindicam as ilhas, controladas por Tóquio.

A disputa ganhou força na semana passada, quando o governo japonês anunciou a compra das três ilhas e a consequente nacionalização. A China respondeu com o envio de navios de guerra para patrulhar a área.

Muitas empresas japonesas investiram no país vizinho e o comércio bilateral alcançou 342,9 bilhões de dólares no ano passado. A China é o maior sócio comercial do Japão. A paralisação das atividades nas fábricas coincide com a advertência da imprensa estatal chinesa de que Tóquio poderia sofrer durante décadas se Pequim decidisse impor sanções pela disputa territorial.

(com Reuters e Agence France-Press)

Nenhum comentário:

wibiya widget

A teoria marxista da “ideologia de classe” não tem pé nem cabeça. Ou a ideologia do sujeito traduz necessariamente os interesses da classe a que ele pertence, ou ele está livre para tornar-se advogado de alguma outra classe. Na primeira hipótese, jamais surgiria um comunista entre os burgueses e Karl Marx jamais teria sido Karl Marx. Na segunda, não há vínculo entre a ideologia e a condição social do indivíduo e não há portanto ideologia de classe: há apenas a ideologia pessoal que cada um atribui à classe com que simpatiza, construindo depois, por mera inversão dessa fantasia, a suposta ideologia da classe adversária. Uma teoria que pode ser demolida em sete linhas não vale cinco, mas com base nela já se matou tanta gente, já se destruiu tanto patrimônio da humanidade e sobretudo já se gastou tanto dinheiro em subsídios universitários, que é preciso continuar a fingir que se acredita nela, para não admitir o vexame. Olavo de Carvalho, íntegra aqui.
"Para conseguir sua maturidade o homem necessita de um certo equilíbrio entre estas três coisas: talento, educação e experiência." (De civ Dei 11,25)
Cuidado com seus pensamentos: eles se transformam em palavras. Cuidado com suas palavras: elas se transformam em ação. Cuidado com suas ações: elas se transformam em hábitos. Cuidado com seus atos: eles moldam seu caráter.
Cuidado com seu caráter: ele controla seu destino.
A perversão da retórica, que falseia a lógica e os fatos para vencer o adversário em luta desleal, denomina-se erística. Se a retórica apenas simplifica e embeleza os argumentos para torná-los atraentes, a erística vai além: embeleza com falsos atrativos a falta de argumentos.
‎"O que me leva ao conservadorismo é a pesquisa e a investigação da realidade. Como eu não gosto de futebol, não gosto de pagode, não gosto de axé music, não gosto de carnaval, não fumo maconha e considero o PT ilegal, posso dizer que não me considero brasileiro - ao contrário da maioria desses estúpidos que conheço, que afirma ter orgulho disso". (José Octavio Dettmann)
" Platão já observava que a degradação moral da sociedade não chega ao seu ponto mais abjeto quando as virtudes desapareceram do cenário público, mas quando a própria capacidade de concebê-las se extinguiu nas almas da geração mais nova. " Citação de Olavo de Carvalho em "Virtudes nacionais".