Loja OLAVETTES: produtos Olavo de Carvalho

Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro concede Medalha Tiradentes a Olavo de Carvalho. Aqui.

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Do Facebook: FORTALEZA/CE. Crime no Aracapé. Candidato a vereador do DEM é assassinado

 

 

    Inspetor Gustavo Simplicio Moreira

    Ontem às 05:14 próximo a Fortaleza ·

  • QUE SEJA FEITA JUSTIÇA AO GUERREIRO :

    Polícia

    Crime no Aracapé

    Candidato a vereador do DEM é assassinado

    A Polícia não acredita que o crime tenha motivação eleitoral. A vítima era agente penitenciário da CPPL I

    O candidato a vereador e agente penitenciário Elias Alves da Silva, 27, foi assassinado, na noite de ontem, no bairro Aracapé (Zona Sul da Capital). Além dele, o locutor Emanoel Ferreira Filho, 43 (deficiente visual), que estava no veículo de campanha do candidato, também foi baleado e levado por moradores para o ´Frotinha´ de Parangaba.

    Vários tiros foram disparados contra o carro de som de campanha que era dirigido pelo candidato. Os três assassinos ainda perseguiram Elias Alves e o mataram com uma facada no pescoço. A vizinhança ouviu os gritos de socorro fotos: Natasha Mota

    De acordo com o cabo Valmir, fiscal do Ronda do Quarteirão, Elias guiava o Chevette, de placas HVL-7723, e fazia campanha pelo bairro Aracapé, quando teve o veículo interceptado por três homens não identificados, na Rua Doutor Procópio.

    Os pistoleiros efetuaram vários disparos e atingiram Emanoel. Elias desceu do carro e tentou fugir dos matadores, mas foi perseguido por cerca de 50 metros. "Estava dentro de casa, ouvi tiros e uma pessoa pedindo socorro, gritando para alguém abrir a porta. Quando saí, encontrei esta cena aí".

    O morador, que pediu para não ser identificado, se referia ao corpo do candidato do Partido dos Democratas (DEM), apresentando um profundo golpe no pescoço, que quase o degolou. Parentes de Elias Alves chegaram rapidamente ao local do crime e não se conformavam com a violência. Raimundo Ferreira, cunhado da vítima, disse que ele era evangélico e não "apoiava coisa errada".

    Antes de licenciar-se para concorrer a uma vaga na Câmara dos Vereadores de Fortaleza, o agente trabalhava na Casa de Privação Provisória de Liberdade I (CPPL) I), em Itaitinga.

    Ameaças

    Segundo um agente (identidade preservada) do Serviço de Inteligência da Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejus), o crime pode ter ligação com o trabalho de Elias na CPPL. "Os presos disseram que iriam matar qualquer agente da nossa unidade".

    No local do crime, a Polícia encontrou dificuldades para obter informações. Com medo de represália dos pistoleiros, os moradores pouco falaram sobre o caso

    Conforme o colega de trabalho de Elias, ele já havia recebido ameaças de morte há cerca de seis meses dentro do presídio. "Acredito que eles descobriram que ele estava andando desarmado por aqui e praticaram o crime", revelou.

    O major PM Océlio Alves, que estava na Supervisão de Policiamento da Capital na noite de ontem, compareceu ao local do crime e orientou as patrulhas na caça aos acusados. "Estamos buscando informações das testemunhas. O agente era muito rígido no trabalho dele e o crime pode ter sido motivado por isso", afirmou o oficial.

    EMERSON RODRIGUES

    REPÓRTER

    PROTAGONISTA

    Vítima exercia a profissão de agente na CPPL I

    Elias Alves da Silva tinha 27 anos e era natural de Fortaleza. Servidor público, era agente penitenciário, mas estava licenciado da função para trabalhar na campanha para vereador de Fortaleza. Era filiado ao Partido dos Democratas (DEM), com o número 25888. Exercia sua profissão na segurança interna da Casa de Privação Provisória da Liberdade I, no Município de Itaitinga. Era evangélico e casado. Morava no bairro Aracapé.

Nenhum comentário:

wibiya widget

A teoria marxista da “ideologia de classe” não tem pé nem cabeça. Ou a ideologia do sujeito traduz necessariamente os interesses da classe a que ele pertence, ou ele está livre para tornar-se advogado de alguma outra classe. Na primeira hipótese, jamais surgiria um comunista entre os burgueses e Karl Marx jamais teria sido Karl Marx. Na segunda, não há vínculo entre a ideologia e a condição social do indivíduo e não há portanto ideologia de classe: há apenas a ideologia pessoal que cada um atribui à classe com que simpatiza, construindo depois, por mera inversão dessa fantasia, a suposta ideologia da classe adversária. Uma teoria que pode ser demolida em sete linhas não vale cinco, mas com base nela já se matou tanta gente, já se destruiu tanto patrimônio da humanidade e sobretudo já se gastou tanto dinheiro em subsídios universitários, que é preciso continuar a fingir que se acredita nela, para não admitir o vexame. Olavo de Carvalho, íntegra aqui.
"Para conseguir sua maturidade o homem necessita de um certo equilíbrio entre estas três coisas: talento, educação e experiência." (De civ Dei 11,25)
Cuidado com seus pensamentos: eles se transformam em palavras. Cuidado com suas palavras: elas se transformam em ação. Cuidado com suas ações: elas se transformam em hábitos. Cuidado com seus atos: eles moldam seu caráter.
Cuidado com seu caráter: ele controla seu destino.
A perversão da retórica, que falseia a lógica e os fatos para vencer o adversário em luta desleal, denomina-se erística. Se a retórica apenas simplifica e embeleza os argumentos para torná-los atraentes, a erística vai além: embeleza com falsos atrativos a falta de argumentos.
‎"O que me leva ao conservadorismo é a pesquisa e a investigação da realidade. Como eu não gosto de futebol, não gosto de pagode, não gosto de axé music, não gosto de carnaval, não fumo maconha e considero o PT ilegal, posso dizer que não me considero brasileiro - ao contrário da maioria desses estúpidos que conheço, que afirma ter orgulho disso". (José Octavio Dettmann)
" Platão já observava que a degradação moral da sociedade não chega ao seu ponto mais abjeto quando as virtudes desapareceram do cenário público, mas quando a própria capacidade de concebê-las se extinguiu nas almas da geração mais nova. " Citação de Olavo de Carvalho em "Virtudes nacionais".