Loja OLAVETTES: produtos Olavo de Carvalho

Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro concede Medalha Tiradentes a Olavo de Carvalho. Aqui.

segunda-feira, 21 de maio de 2012

“Os ativistas gays conseguem enganar, mentindo, como se fosse verdade de que o Brasil é o país mais homofóbico do mundo”

 

CREIO

Segundo Feliciano, os ativistas gays desejam convencer a população de que a homofobia é algo que é praticado por toda a sociedade: “Os ativistas gays conseguem enganar, mentindo, como se fosse verdade de que o Brasil é o país mais homofóbico do mundo. Houve 260 assassinatos de gays em 2010 a maioria eram homens. O assassinato de lésbicas é raro Os assassinos 90% eram michês que também são gays. Muitos dos crimes atribuídos à chamada homofobia são praticados por… homossexuais”, afirmou Feliciano, citando informação do colunista da revista Veja, Reinaldo Azevedo.

Marco Feliciano ainda mencionou que o número de homossexuais mortos em todo o Brasil em 2010 foi de 260, enquanto que o número geral de assassinatos foi muito superior: “Em 2010 mais de 50 mil assassinatos ocorreram no Brasil. Portanto devemos lutar contra a violência em um todo e não tornar um grupo especial. O PL 122 cria uma ‘casta’ privilegiada, concede direitos especiais há um grupo que quer impor com mão de ferro seu estilo (perigoso) de vida. Sinto muito, muito mesmo pelos 260 assassinatos de gays nesse país. Mas me angustio também pelos outros 49.740 assassinatos”, opinou Feliciano.

O deputado e pastor também criticou o estilo de vida dos homossexuais, e afirmou que a excentricidade deles camufla um vazio: “O cristianismo confronta e revela que esse estilo de vida com luzes, sexo bizarro, plumas e paetês, esconde um grito de socorro que não sai… E [o cristianismo] abre os braços para ama-los aceita-los como seres que precisam de ajuda. O cristianismo ama o homossexual, mas não ama a pratica homo”.

Feliciano ressaltou que a mensagem cristã incomoda os ativistas gays pois “expõe a verdade, toca em suas vidas promiscuas, grita contra suas sodomias e como espelho mostra suas falácias”.Para o pastor da Assembleia de Deus Catedral do Avivamento, “existe uma conspiração global para desestabilizar a família, desmerecer os valores e criar uma nova ordem mundial onde o moral deve ser abolido. Os ativistas gays encabeçam essa trama”.

Nenhum comentário:

wibiya widget

A teoria marxista da “ideologia de classe” não tem pé nem cabeça. Ou a ideologia do sujeito traduz necessariamente os interesses da classe a que ele pertence, ou ele está livre para tornar-se advogado de alguma outra classe. Na primeira hipótese, jamais surgiria um comunista entre os burgueses e Karl Marx jamais teria sido Karl Marx. Na segunda, não há vínculo entre a ideologia e a condição social do indivíduo e não há portanto ideologia de classe: há apenas a ideologia pessoal que cada um atribui à classe com que simpatiza, construindo depois, por mera inversão dessa fantasia, a suposta ideologia da classe adversária. Uma teoria que pode ser demolida em sete linhas não vale cinco, mas com base nela já se matou tanta gente, já se destruiu tanto patrimônio da humanidade e sobretudo já se gastou tanto dinheiro em subsídios universitários, que é preciso continuar a fingir que se acredita nela, para não admitir o vexame. Olavo de Carvalho, íntegra aqui.
"Para conseguir sua maturidade o homem necessita de um certo equilíbrio entre estas três coisas: talento, educação e experiência." (De civ Dei 11,25)
Cuidado com seus pensamentos: eles se transformam em palavras. Cuidado com suas palavras: elas se transformam em ação. Cuidado com suas ações: elas se transformam em hábitos. Cuidado com seus atos: eles moldam seu caráter.
Cuidado com seu caráter: ele controla seu destino.
A perversão da retórica, que falseia a lógica e os fatos para vencer o adversário em luta desleal, denomina-se erística. Se a retórica apenas simplifica e embeleza os argumentos para torná-los atraentes, a erística vai além: embeleza com falsos atrativos a falta de argumentos.
‎"O que me leva ao conservadorismo é a pesquisa e a investigação da realidade. Como eu não gosto de futebol, não gosto de pagode, não gosto de axé music, não gosto de carnaval, não fumo maconha e considero o PT ilegal, posso dizer que não me considero brasileiro - ao contrário da maioria desses estúpidos que conheço, que afirma ter orgulho disso". (José Octavio Dettmann)
" Platão já observava que a degradação moral da sociedade não chega ao seu ponto mais abjeto quando as virtudes desapareceram do cenário público, mas quando a própria capacidade de concebê-las se extinguiu nas almas da geração mais nova. " Citação de Olavo de Carvalho em "Virtudes nacionais".