Loja OLAVETTES: produtos Olavo de Carvalho

Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro concede Medalha Tiradentes a Olavo de Carvalho. Aqui.

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Robinson Cavalcanti, fundador de movimento esquerdista evangélico, é assassinado por filho adotivo

 

JULIO SEVERO

27 de fevereiro de 2012

Fundador do MEP (Movimento Evangélico Progressista), o maior movimento evangélico político esquerdista da história do Brasil, colunista da revista esquerdista Ultimato, candidato do PT: o trágico fim de um evangélico que não teve tempo ou disposição de desfazer os estragos que provocou na igreja evangélica brasileira. A notícia abaixo é do jornal Pernambuco

O pastor da Igreja Anglicana, cientista político e ex-reitor da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), Edward Robinson Cavalcanti, de 64 anos, e a esposa dele, a professora aposentada Mirian Nunes Machado Cotias Cavalcante, também de 64 anos foram assassinados na casa da família, na Rua Barão de São Borja, número 305, em Jardim Fragoso, Olinda.

 

De acordo com a polícia, o autor do crime é o filho adotivo do casal Eduardo Olímpio Cotias Cavalcante, de 29 anos. O rapaz morava nos Estados Unidos desde os 16 anos de idade e teria voltado ao Brasil há cerca de 15 dias depois de ter sido preso no país estrangeiro várias vezes por envolvimento com drogas e outros delitos.

Segundo o reverendo Hermany Soares, amigo da família, quando Eduardo chegou ao Brasil, ele foi buscá-lo no aeroporto e ainda no desembarque teria perguntado onde compraria uma arma.

Ontem pela manhã, o rapaz saiu de casa, foi beber na praia e voltou à tarde. À noite ele foi visto amolando uma faca na frente do portão de  casa. Por volta das 22 horas da noite, Eduardo começou a discutir com o pai, pegou a faca e começou a golpear o idoso. A mãe foi defender o marido e também foi esfaqueada.

O bispo Robinson morreu no quarto. Já a mãe ainda foi levada para o Hospital Tricentenário, em Olinda, com uma facada no peito esquerdo, mas já chegou morta. Após o crime, Eduardo tentou cometer suicídio ingerindo uma substância não identificada e aplicando vários golpes de faca no próprio peito. Ele foi levado para o Hospital da Restauração (HR) em uma viatura da Polícia Militar. Eduardo estava passando por um processo de deportação.

Segundo informações de parentes, o bispo Robinson foi o coordenador regional da primeira campanha do ex-presidente Lula para presidente da República, que o teria visitado em casa depois de eleito. O bispo também foi candidato a deputado federal e proferiu palestras na ONU.

Fonte: Pernambuco.

Divulgação: www.juliosevero.com

Artigos no Blog Julio Severo mencionando Robinson Cavalcanti:

Robinson Cavalcanti: sempre socialista, nunca conservador

Evangélicos progressistas, evangelicais ou encaPeTados?

Esquerda evangélica quer unificação de evangélicos do Brasil

Denúncia pública: MEP virou EPJ

O pedido de “perdão” dos safados e manipuladores

Confissão espontânea

Um comentário:

Paulo disse...

Excelente blog!

Peço licença para fazer um comentário sobre Cavalcanti:

Ainda que tenha havido alguma tendência ao esquerdismo por parte de Dom Robinson Cavalcanti, acho necessário, por justiça, ressaltar também os pontos positivos da trajetória do falecido bispo anglicano.

Por exemplo:

Dom Robinson Cavalcanti em diversas vezes criticou o PLC 122 e outros projetos gayzistas;
denunciou a perseguição anti-cristã, cada vez maior e institucionalizada, amparada até mesmo pelo Estado;
defendeu a VINACC quando esta organização cristã teve seus outdoors, que citavam passagem bíblica, censurados pela "justiça" submissa ao lobby gay;
opôs-se ao "progressismo gay" dentro da Igreja Anglicana.

Estes posicionamentos de Dom Robinson Cavalcanti, dignos de elogio, podem ser conferidos em vários de seus artigos, por exemplo:

DA INTOLERÂNCIA HOMOSSEXUAL
http://intoleranciahomossexual.blogspot.com/2009/11/da-intolerancia-homossexual-por-dom.html

Citar a Bíblia Já é Crime no Brasil
http://liberdadedeexpressao.multiply.com/journal/item/42

A questão homossexual
http://www.ejesus.com.br/artigos/a-questao-homossexual/

A "Ciência" e o Homossexualismo: Uma questão política
http://www.prazerdapalavra.com.br/proximo-domingo/proxima-aula/1788-a-ciencia-e-o-homossexualismo-uma-questao-politica-robinson-cavalcanti.html

Em suma, Dom Robinson Cavalcanti pode ter cometido erros, mas se posicionou muito corretamente em outras situações.

Grato, fiquem com Deus!

wibiya widget

A teoria marxista da “ideologia de classe” não tem pé nem cabeça. Ou a ideologia do sujeito traduz necessariamente os interesses da classe a que ele pertence, ou ele está livre para tornar-se advogado de alguma outra classe. Na primeira hipótese, jamais surgiria um comunista entre os burgueses e Karl Marx jamais teria sido Karl Marx. Na segunda, não há vínculo entre a ideologia e a condição social do indivíduo e não há portanto ideologia de classe: há apenas a ideologia pessoal que cada um atribui à classe com que simpatiza, construindo depois, por mera inversão dessa fantasia, a suposta ideologia da classe adversária. Uma teoria que pode ser demolida em sete linhas não vale cinco, mas com base nela já se matou tanta gente, já se destruiu tanto patrimônio da humanidade e sobretudo já se gastou tanto dinheiro em subsídios universitários, que é preciso continuar a fingir que se acredita nela, para não admitir o vexame. Olavo de Carvalho, íntegra aqui.
"Para conseguir sua maturidade o homem necessita de um certo equilíbrio entre estas três coisas: talento, educação e experiência." (De civ Dei 11,25)
Cuidado com seus pensamentos: eles se transformam em palavras. Cuidado com suas palavras: elas se transformam em ação. Cuidado com suas ações: elas se transformam em hábitos. Cuidado com seus atos: eles moldam seu caráter.
Cuidado com seu caráter: ele controla seu destino.
A perversão da retórica, que falseia a lógica e os fatos para vencer o adversário em luta desleal, denomina-se erística. Se a retórica apenas simplifica e embeleza os argumentos para torná-los atraentes, a erística vai além: embeleza com falsos atrativos a falta de argumentos.
‎"O que me leva ao conservadorismo é a pesquisa e a investigação da realidade. Como eu não gosto de futebol, não gosto de pagode, não gosto de axé music, não gosto de carnaval, não fumo maconha e considero o PT ilegal, posso dizer que não me considero brasileiro - ao contrário da maioria desses estúpidos que conheço, que afirma ter orgulho disso". (José Octavio Dettmann)
" Platão já observava que a degradação moral da sociedade não chega ao seu ponto mais abjeto quando as virtudes desapareceram do cenário público, mas quando a própria capacidade de concebê-las se extinguiu nas almas da geração mais nova. " Citação de Olavo de Carvalho em "Virtudes nacionais".