Loja OLAVETTES: produtos Olavo de Carvalho

Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro concede Medalha Tiradentes a Olavo de Carvalho. Aqui.

sábado, 29 de outubro de 2011

Copiei o escrito de M.T.: A ESQUERDALHA ESTÁ LOUCA DA VIDA PORQUE VANDRÉ DEMOLIU O MITO QUE FIZERAM DELE, inclusive o próprio reporter....




Uploaded by  on Mar 15, 2011
FONTE; GLOBO NEWS-
PROGRAMA DOSSIÊ GLOBO NEWS
JORNALISTA-GENETON MORAES NETO

Depois de quatro décadas de isolamento, o cantor e compositor Geraldo Vandré, que se transformou em um dos maiores enigmas da MPB, resolve finalmente quebrar o silêncio. Autor de clássicos como "Disparada" e "Pra Não Dizer que Falei das Flores" -- esta, transformada em hino de manifestações contra a ditadura militar - Vandré deu uma entrevista ao repórter Geneton Moraes Neto no dia em que completava 75 anos de idade. Desde que voltou do exílio, no segundo semestre de 1973, ele não falava para a televisão.

Um comentário:

Anônimo disse...

Assisti emocionado ao vídeo da entrevista dessa grande figura. No meu entender ele foi manipulado pelos esquerdopatas da época e pelos partidos comunistas, que se chegassem ao poder teriam feito atrocidades infinitamente piores que a dos militares. Geraldo é um homem simples que não guarda rancor e não tem discurso de ódio contra os militares, os valores e princípios morias que criaram o país como têm os esquerdopatas (principalmente PTralhas). Não se arremeteu aos tribunais com argumentações estapafúrdias contra a ditadura, à procura do fio como fez Ziraldo e ainda fazem tantos outros vagabundos e imposotores (porque não estavam dando a vida pelo país, mas fazendo um investimento). Quando Geraldo valoriza as FAB e a prestigia, me fez lembara dos textos e áudios postados sobre estudos feitos por A. C. Portinari Greggio, onde ao final ele menciona o perigo de se desmantelar as Forças Armadas em vários países do mundo. Dá como exemplo a Inglaterra onde o processo de transformá-la em uma entidade civil e comandada por esquerdistas, já está em franco adiantamento. Obrigado Cavaleiro do Templo por este vídeo e pelos demais artigos.

Vá com Deus, Geraldo Vandré.

wibiya widget

A teoria marxista da “ideologia de classe” não tem pé nem cabeça. Ou a ideologia do sujeito traduz necessariamente os interesses da classe a que ele pertence, ou ele está livre para tornar-se advogado de alguma outra classe. Na primeira hipótese, jamais surgiria um comunista entre os burgueses e Karl Marx jamais teria sido Karl Marx. Na segunda, não há vínculo entre a ideologia e a condição social do indivíduo e não há portanto ideologia de classe: há apenas a ideologia pessoal que cada um atribui à classe com que simpatiza, construindo depois, por mera inversão dessa fantasia, a suposta ideologia da classe adversária. Uma teoria que pode ser demolida em sete linhas não vale cinco, mas com base nela já se matou tanta gente, já se destruiu tanto patrimônio da humanidade e sobretudo já se gastou tanto dinheiro em subsídios universitários, que é preciso continuar a fingir que se acredita nela, para não admitir o vexame. Olavo de Carvalho, íntegra aqui.
"Para conseguir sua maturidade o homem necessita de um certo equilíbrio entre estas três coisas: talento, educação e experiência." (De civ Dei 11,25)
Cuidado com seus pensamentos: eles se transformam em palavras. Cuidado com suas palavras: elas se transformam em ação. Cuidado com suas ações: elas se transformam em hábitos. Cuidado com seus atos: eles moldam seu caráter.
Cuidado com seu caráter: ele controla seu destino.
A perversão da retórica, que falseia a lógica e os fatos para vencer o adversário em luta desleal, denomina-se erística. Se a retórica apenas simplifica e embeleza os argumentos para torná-los atraentes, a erística vai além: embeleza com falsos atrativos a falta de argumentos.
‎"O que me leva ao conservadorismo é a pesquisa e a investigação da realidade. Como eu não gosto de futebol, não gosto de pagode, não gosto de axé music, não gosto de carnaval, não fumo maconha e considero o PT ilegal, posso dizer que não me considero brasileiro - ao contrário da maioria desses estúpidos que conheço, que afirma ter orgulho disso". (José Octavio Dettmann)
" Platão já observava que a degradação moral da sociedade não chega ao seu ponto mais abjeto quando as virtudes desapareceram do cenário público, mas quando a própria capacidade de concebê-las se extinguiu nas almas da geração mais nova. " Citação de Olavo de Carvalho em "Virtudes nacionais".